Páginas

Translate

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

CHIQUINHA GONZAGA - 171 ANOS


CHIQUINHA GONZAGA em seu aniversário de 85 anos.
Rio de Janeiro, 17 de outubro de 1932.
www.entreriosjornal.com.br


Há 171 anos nascia a compositora, regente e pianista CHIQUINHA GONZAGA.

Francisca Hedwiges de Lima Neves Gonzaga nasceu no Rio de Janeiro em 17 de outubro de 1847.

Era filha de Rosa Maria de Lima e José Basileu Neves Gonzaga, que viria a ser marechal de campo.

Vinda de uma tradicional família, Chiquinha Gonzaga começou cedo os estudos de piano, demonstrando talento musical quando, aos onze anos de idade, compôs sua primeira música, a canção natalina Canção dos Pastores. Aos 16 anos de idade foi obrigada pelo pai a se casar com o oficial da marinha mercante, Jacinto Ribeiro do Amaral, oito anos mais velho que ela. O casal teve três filhos: João Gualberto, Maria do Patrocínio e Hilário.

Foi obrigada a acompanhar o marido à Guerra do Paraguai, e após esse episódio o abandona. Seu pai a expulsa de casa e Chiquinha leva consigo o filho mais velho, João Gualberto. Em uma segunda união, com o engenheiro João Batista de Carvalho Júnior, ela teria mais uma filha, Alice, que ficou com o pai quando eles se separaram.

Mulher forte e à frente de seu tempo, Chiquinha Gonzaga se voltou para a música, lecionando piano e tocando em bailes. Em 1977, lançou seu primeiro sucesso, a polca Atraente.

Seu nome foi ficando cada vez mais conhecido no meio musical e cultural do Rio de Janeiro, sendo amiga e acompanhando o trabalho de compositores como Joaquim Callado e Henrique Alves de Mesquita.

Foi pioneira no Brasil em vários aspectos: foi a primeira mulher a compor para o teatro e nossa primeira maestrina.

Em 1885, compôs a partitura da opereta A Côrte na Roça, de Palhares Ribeiro. Se a peça em si não fez sucesso, suas músicas agradaram a crítica e o público.

Compondo vários sucessos para o teatro e partituras musicais, Chiquinha Gonzaga lançaria em 1899 a primeira e mais conhecida marcha de carnaval, Abre Alas, feita especialmente para o rancho carnavalesco Rosas de Ouro, que ensaiava perto de sua casa. Nesse mesmo ano conheceu seu futuro companheiro, João Batista Gonzaga. Na época, ela tinha 52 anos e ele 16 e, por a diferença de idade, apresentavam-se como mãe e filho.

A partir de 1902 a obra de Chiquinha Gonzaga foi gravada em discos. O cantor Bahiano registrou algumas de suas composições, seguido por Senhorita Odette, que também registrou algumas páginas do repertório da maestrina. Outros artistas de prestígio da época, como Pepa Delgado, Mário Pinheiro, Os Geraldos (Nina Teixeira e Geraldo Magalhães) também gravariam seus sucessos, fora um grupo feito em sua homenagem, o Grupo Chiquinha Gonzaga, que gravaria várias de suas composições.

Chiquinha Gonzaga foi dona de uma vida riquíssima em experiências e talento, que ela explorou e exibiu da melhor forma através de suas composições, seja no teatro ou no disco. Morou um período, no final da década de 1900, em Portugal. Porém, em 1912 estava no Brasil musicando a célebre burleta Forrobodó, para o qual compôs o dueto cômico Sá Zeferina que, anos mais tarde, viraria a romântica canção Lua Branca, sucesso até hoje.

Também comporia a música de peças como A Sertaneja, onde Pepa Delgado lançou a belíssima canção homônima, em 1915, sendo gravada em 1932 por Jayme Vogeler.

Chiquinha Gonzaga compôs até por volta de seus 85 anos.
Ela faleceria, aos 87 anos, em pleno Carnaval de 1935, no dia 28 de fevereiro, no Rio de Janeiro.


Outras postagens sobre Chiquinha Gonzaga:

Por ocasião dos 80 anos de seu falecimento, postamos várias informações sobre ela (http://bit.ly/chiquinha80saudade), bem como divulgamos a descoberta de um disco onde a própria compositora se anuncia e executa suas músicas (http://bit.ly/chiquinhavozepiano).

Nesse link http://bit.ly/chiquinha79saudades, você confere os jornais de 01 de março de 1935 que falaram sobre Chiquinha Gonzaga.


Chiquinha Gonzaga interpretada por Senhorita Odette: http://bit.ly/2J5Xsg8

A Côrte na Roça - Opereta de 1885: http://bit.ly/2OYsM5R



Para homenagear essa artista ímpar e de grande importância para nossa cultura, trago trinta gravações de suas obras realizadas entre 1903 e 1932.




BEIJOS
Valsa de Chiquinha Gonzaga com letra de Luiz Murat e Alfredo de Souza
Gravada por Senhorita Odette
Disco Zon – O – Phone X-696
Lançado em 1903



MANHÃ DE AMOR
Balada de Chiquinha Gonzaga com letra de C. C.
Gravada por Senhorita Odette
Disco Zon – O – Phone X-699, matriz X699II
Lançado em 1903



CÔRTE NA ROÇA
Valsa de Chiquinha Gonzaga com letra de Francisco Sodré
Gravada por Senhorita Odette
Disco Zon – O – Phone X-702
Lançado em 1903



POESIA E AMOR
Canção de Chiquinha Gonzaga com letra de Casimiro de Abreu
Gravada por Senhorita Odette
Disco Zon – O – Phone X-705
Lançado em 1903



O ABACATE
Cançoneta de Chiquinha Gonzaga, Tito Martins e Gouveia.
Gravado por Pepa Delgado
Acompanhamento de piano
Disco Odeon Record 10.059, matriz R-379
Lançado em 1904
Da Revista “Cá e Lá”



CAFÉ IDEAL
Maxixe de Chiquinha Gonzaga e letra de Tito Martins, com o refrão da melodia de Oh, sole mio.
Gravado por Pepa Delgado
Acompanhamento de piano
Disco Odeon Record 10.074
Lançado em 1904
De Revista “Cá e Lá”



CORTA JACA
Maxixe de Chiquinha Gonzaga com letra do ator Machado Careca
Gravado por Pepa Delgado e Mário Pinheiro
Acompanhamento de piano
Disco Odeon Record 40.392
Lançado em 1906



RODA YOYÔ
Dueto de Chiquinha Gonzaga e Ernesto de Souza
Gravado pelos Geraldos (Nina Teixeira e Geraldo Magalhães)
Disco Odeon Record 40.496
Lançado em 1906



A BANDOLEIRA
Cançoneta de Chiquinha Gonzaga
Sobre a melodia Machuca, também de Chiquinha Gonzaga
Gravada por Pepa Delgado
Acompanhamento de piano
Disco Odeon Record 40.531
Lançado em 1906



SACY PERERÉ
Dueto com melodia de Chiquinha Gonzaga, o autor dos versos é desconhecido.
Gravado por Os Geraldos
Disco Odeon Record 108.285, matriz XR-845
Gravado em 1906
Obs. Na partitura vem como tango brasileiro.



A BAIANA E O CAPADÓCIO
Dueto de Chiquinha Gonzaga
Gravado pelos Geraldos (Nina Teixeira e Geraldo Magalhães)
Disco Odeon Record 70.040, matriz 70040-4
Lançado em 1907
Obs. Mesma melodia de Yayá Fazenda etc e tal!, com novos versos acrescidos.



DONA ADELAIDE (D´ADELAIDE)
Cançoneta Alegre de Chiquinha Gonzaga e José Patrocínio Filho
Gravada por Mário Pinheiro
Disco Odeon Record 108.185, matriz XR-722
Lançado em 1909



O FADO E A MODINHA
Dueto de Chiquinha Gonzaga
Gravado por Medina de Souza e Olímpio Nogueira
Acompanhamento de Orquestra
Disco Victor Record 98.818
Lançado em 1909



TE AMO
Tango de Chiquinha Gonzaga
Gravado pelo Grupo Chiquinha Gonzaga
Disco Columbia Record 11.824
Lançado em 1910



A BAIANA DOS PASTÉIS
Cançoneta de Chiquinha Gonzaga
Gravada por Risoletta
Disco Columbia 12155
Gravado em 1910



MACHUCA
Cançoneta de Chiquinha Gonzaga com versos de Patrocínio Filho
Gravada por Risoletta
Acompanhamento de piano
Disco Columbia Record 12.193
Lançado em 1910



OS NAMORADOS DA LUA
Serenata de Chiquinha Gonzaga
Gravada por Mário Pinheiro
Disco Victor Record 98.950
Lançado em 1910



MENINA FACEIRA
Tango de Chiquinha Gonzaga
Gravado por Mário Pinheiro
Acompanhamento de violão
Disco Victor Record 98.952
Lançado em 1910



TRIGUEIRA
Fado Canção de Chiquinha Gonzaga
Gravado por Almeida Cruz
Disco Columbia Record B-88
Lançado em 1912



ABRE ALAS
Marcha de Chiquinha Gonzaga com a adaptação para dobrado feita por Santos Bocot
Gravado pela Banda da Casa Edison
Disco Odeon Record 120.174, matriz RX-1723
Lançado em fevereiro de 1913



ATRAENTE
Polca de Chiquinha Gonzaga
Gravada pelo Grupo Chiquinha Gonzaga
Disco Odeon Record 120.918
Lançado em fevereiro de 1914



PLANGENTE
Valsa de Chiquinha Gonzaga
Gravada pelo Grupo Chiquinha Gonzaga
Disco Odeon Record 120.929
Lançado em 1914



BIONE (ADEUS)
Tango de Chiquinha Gonzaga
Gravada pelo Grupo Chiquinha Gonzaga
Disco Odeon 120.930
Lançado em 1914



FALENA
Valsa de Chiquinha Gonzaga
Gravada pelo Grupo Chiquinha Gonzaga
Disco Odeon Record 120.933
Lançado em 1914



LUA BRANCA
Canção de Chiquinha Gonzaga
Gravada por Gastão Formenti
Acompanhamento de J. Otaviano ao piano
Disco Odeon 10.420-A, matriz 2521-I
Gravado em 20 de abril de 1929 e lançado em julho



FOGO FOGUINHO
Samba Canção de Chiquinha Gonzaga e Viriato Correia
Gravado por Helena Pinto de Carvalho
Acompanhamento de Max Cardoso e Arnaldo Pescuma aos violões e coro
Disco Victor 33.325-A, matriz 50371-2
Gravado em 05 de julho de 1930 e lançado em agosto



SOU MORENA
Canção de Chiquinha Gonzaga e Viriato Correia
Gravada por Helena Pinto de Carvalho
Acompanhamento de Orquestra e Coro
Disco Victor 33.325-B, matriz 50369-2
Gravado em 05 de julho de 1930 e lançado em agosto



CHINELINHA DO MEU AMOR
Canção de Chiquinha Gonzaga e Viriato Correia
Gravada por Helena Pinto de Carvalho
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira
Disco Victor 33.342-A, matriz 50370-1
Gravado em 05 de julho de 1930 e lançado nesse mesmo ano



SÁ ZEFERINA
Cena Cômica de Chiquinha Gonzaga
Gravada por Pinto Filho e Maria Vidal
Acompanhamento de Conjunto
Disco Parlophon 13.199-B, matriz 3695
Gravado em 1930 e lançado em setembro



A SERTANEJA
Canção de Chiquinha Gonzaga e Viriato Correia
Gravada por Jayme Vogeler
Acompanhamento da Orquestra Copacabana
Disco Odeon 10.912-A, matriz 4428
Gravado em 06 de abril de 1932 e lançado nesse mesmo ano










Agradecimento ao Arquivo Nirez














Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...