segunda-feira, 29 de julho de 2019

ANÍSIO SILVA - 99 ANOS


ANÍSIO SILVA
Arquivo Nirez


Há 99 anos nascia o cantor e compositor ANÍSIO SILVA.

Anísio Silva nasceu em Caitité (BA), em 29 de julho de 1920.

Ainda na infância sua família mudou-se para o interior de São Paulo, indo depois morar na capital paulista.

Em 1945, ele vai para o Rio de Janeiro e emprega-se como balconista em uma farmácia.

Sua estreia nos discos aconteceu em 1952, seguindo um estilo romântico.

Sua primeira gravação, na gravadora Star, foi o samba-canção Um Passado Tristonho, da autoria de Mary Monteiro e Acúrcio Rosas, e a valsa Quando me Lembro, de Alencar Terra.

Em 1957, já contratado pela Odeon, viveu a melhor fase de sua carreira.
aí, gravou o bolero Sonhando Contigo, de grande sucesso, que o levou a ser o primeiro artista brasileiro a ganhar um disco de ouro.




Radiolândia, 1956
http://memoria.bn.br


O Cruzeiro 1959
http://memoria.bn.br


Disco Sonhando Contigo


Anísio Silva excursionou bastante pelo brasil e em 1959 gravou duas valsas ao lado de Dalva de Oliveira: Minha Mãe, com música do maestro Lindolfo Gaya, sob versos do poeta Casimiro de Abreu, e Amor de Mãe, de Raul Sampaio.

O maior sucesso de sua carreira foi o bolero Alguém me Disse, da autoria de Evaldo Gouveia e Jair Amorim, gravado em 1960. Gal Costa regravaria em 1988, também com sucesso.

De seu casamento, teve dois filhos.

Em 1968, afastou-se da carreira artística e passou a se dedicar à administração de uma casa noturna no rio de janeiro.

Anísio Silva faleceu em 12 de fevereiro de 1989, no Rio de Janeiro, aos 68 anos de idade.


Anísio Silva
Manchete, 1960.
http://memoria.bn.br

No ano 2000, Alguém me Disse foi incluída pelo crítico Ricardo Cravo Albim na coleção “as 100 músicas do século XX”, coletânea de seis Cds extraídos do acervo da Emi-Odeon.


ANÍSIO SILVA
Arquivo Nirez

Os discos e Lps de Anísio Silva já foram lançados em outras coletâneas, mantendo vivo seu talento e sucesso.
  


AQUELA NOITE
Fox Trot de Anísio Silva e Oliveira Neto
Gravado por Anísio Silva e Jack Jony
Disco Copacabana 5.088-A, matriz M-435
Lançado em maio/junho de 1953



UM GRANDE AMOR
Baião de Anísio Silva e Jorge de Castro
Gravado por Anísio Silva e Jack Jony
Disco Copacabana 5.088-B, matriz M-436
Lançado em maio/junho de 1953



SEMPRE COMIGO
Samba de Anísio Silva e William Duba
Gravado por Anísio Silva
Acompanhamento de Orquestra
Disco Odeon 14.230, matriz RIO-11740
Gravado em 08 de maio de 1957 e lançado em agosto de 1957



SONHANDO CONTIGO
Bolero de Anísio Silva e Fausto Guimarães
Gravado por Anísio Silva
Acompanhamento de Orquestra
Disco Odeon 14.230, matriz RIO-11739
Gravado em 08 de maio de 1957 e lançado em agosto de 1957



ABISMO
Bolero de Anísio Silva
Gravado por Anísio Silva
Disco Odeon 14.290, matriz RIO 12134
Gravado em 12 de novembro de 1957 e lançado em janeiro de 1958



NÃO ME DIGA ADEUS
Samba de Anísio Silva e Fausto Guimarães
Gravado por Anísio Silva
Disco Odeon 14.290, matriz RIO 12135
Gravado em 12 de novembro de 1957 e lançado em janeiro de 1958



INTERESSEIRA
Bolero de Bidu Reis e Murilo Latini
Gravado por Anísio Silva
Disco Odeon 14.327, matriz RIO-12427
Gravado em 02 de abril de 1958 e lançado em agosto de 1958



TU SOMENTE TU
Bolero de Anísio Silva e Jonas Garret
Gravado por Anísio Silva
Acompanhamento de Osvaldo Borba e Sua Orquestra
Disco Odeon 14.391, matriz RIO-13028
Gravado em 05 de novembro de 1958 e lançado em novembro de 1958



A CANÇÃO DE MINHA MÃE
Valsa Canção de Bidu Reis e Murilo Latini
Gravada por Anísio Silva
Disco Odeon 14.441, matriz RIO-13296
Gravado em 06 de fevereiro de 1959 e lançado em março de 1959



MINHA MÃE
Valsa de Lindolfo Gaya e Casemiro de Abreu
Gravada por Dalva de Oliveira e Anísio Silva
Disco Odeon 14.441, matriz RIO-13297
Gravado em 06 de fevereiro de 1959 e lançado em março de 1959



QUERO BEIJAR-TE AS MÃOS
Guarânia de Arcênio de Carvalho e Lourival Faissal
Gravada por Anísio Silva
Acompanhamento de Osvaldo Borba e Sua Orquestra
Disco Odeon 14.482, matriz RIO-13524
Gravado em 17 de junho de 1959 e lançado em julho de 1959



DEVOLVA-ME
Bolero dos Irmãos Orlando
Gravado por Anísio Silva
Disco Odeon 14.527, matriz RIO-13530
Gravado em 22 de maio de 1959 e lançado em setembro de 1959



ALGUÉM ME DISSE
Bolero de Evaldo Gouveia e Jair Amorim
Gravado por Anísio Silva
Disco Odeon 14.582, matriz RIO-14009
Gravado em 14 de janeiro de 1960 e lançado em fevereiro de 1960



ESTOU PENSANDO EM TI
Bolero de Raul Sampaio e Benil Santos
Gravado por Anísio Silva
Disco Odeon 14.637, matriz RIO-14066
Gravado em 03 de fevereiro de 1960 e lançado em junho de 1960



POR TODA VIDA
Guarânia de Edson Menezes e Roberto Faissal
Gravada por Anísio Silva
Disco Odeon 14.637, matriz RIO-14070
Gravado em 04 de fevereiro de 1960 e lançado em junho de 1960











Agradecimento ao Arquivo Nirez










domingo, 28 de julho de 2019

ADEUS À GRANDE ATRIZ RUTH DE SOUZA


RUTH DE SOUZA
www.geledes.org.br



Faleceu na manhã deste domingo, 28 de julho, a atriz RUTH DE SOUZA, aos 98 anos de idade.
Desde o início da semana passada, ela estava internada no Centro de Tratamento Intensivo do Hospital Copa D´Or, em Copacabana, Zona Sul do Rio de Janeiro, devido a uma pneumonia.

Ela estava com mais de 70 anos de carreira artística.

Ruth Pinto de Souza nasceu no Rio de Janeiro em 12 de maio de 1921.

Em criança, viveu com a família em uma fazenda em Minas Gerais, mas aos nove anos de idade perdeu o pai, retornando com a mãe para o Rio de Janeiro, indo morar em uma vila de Copacabana.

Ingressou no Teatro Experimental do Negro em 1945, que era liderado por Abadias do Nascimento.

Pioneira, Ruth de Souza abriu caminhos para o artista negro no Brasil, sendo a primeira atriz negra a atuar no palco do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, com a peça O Imperador Jones, de Eugene O´Neill. Recebendo uma bolsa de estudos da Fundação Rockefeller, morou um ano nos Estados Unidos, onde estudou na Universidade de Harvard e na Academia Nacional do Teatro.

Sua estreia no cinema aconteceu em 1948, em Terra Violenta (baseado no romance Terras do Sem-Fim, de Jorge Amado). Participou de vários filmes, conseguindo a consagração nacional através de Sinhá Moça, filme de 1953, onde, mais uma vez foi pioneira: por seu desempenho, seria a primeira atriz brasileira indicada ao prêmio de melhor atriz em um festival internacional de cinema (festival de Veneza em 1954).

Também participou de radionovelas e em teleteatros da TV Tupi. Nos anos 60, fez sucesso na televisão atuando na novela A Deusa Vencida (1965) de Ivani Ribeiro, exibida pela TV Excelsior. Ao integrar o elenco de artistas da TV Globo, em 1968, mais uma conquista: torna-se a primeira atriz negra a protagonizar uma novela, A Cabana do Pai Tomás, de 1969. Desde então é contratada da emissora carioca, aparecendo em produções como a telenovela Sinhá Moça, de 1986, onde interpretou o personagem Balbina, irmã de Virgínia (), interpretada por Chica Xavier. Nesse trabalho, Ruth de Souza mais uma vez mostrou seu talento, em cenas ao lado de Grande Otelo.

Aos 96 anos, no início de 2018, após oito anos afastada das telas, Ruth de Souza participou do primeiro episódio da nova temporada de Mister Brau, ao lado de Lázaro Ramos.

Seu último trabalho foi na minissérie Se Eu Fechar Os Olhos Agora, em 2019.
Também em 2019, Ruth de Souza foi homenageada pela Escola de Samba Acadêmicos de Santa Cruz, no Rio de Janeiro.



Ruth de Souza e a escritora Carolina Maria de Jesus.
Favela Canindé, São Paulo, 1961.
g1.globo.com


RUTH DE SOUZA
https://baurutv.com


Ruth de Souza
www.geledes.org.br


Ruth de Souza
astrosemrevista.blogspot.com


Ruth de Souza e Grande Otelo.
Sinhá Moça, 1986.

ultimosegundo.ig.com.br

Ruth de Souza e Grande Otelo.
Sinhá Moça, 1986.
g1.globo.com


Ruth de Souza durante homenagem da Santa Cruz. 
Foto: Marcos Serra Lima/G1


Ruth de Souza emocionada durante homenagem da Santa Cruz.
Foto: Marcos Serra Lima/G1



Ruth de Souza
filmow.com






quarta-feira, 24 de julho de 2019

CÂNDIDO DAS NEVES (ÍNDIO) 120 ANOS

CÂNDIDO DAS NEVES (ÍNDIO)
A Noite Illustrada, 1933.
Arquivo Nirez


Há 120 anos nascia o compositor, cantor e violonista CÂNDIDO DAS NEVES (ÍNDIO).

Cândido das Neves era filho do célebre cantor, compositor e palhaço de circo Eduardo das Neves, um dos mais queridos intérpretes do começo do século XX.

Cândido nasceu no Rio de Janeiro em 24 de julho de 1899 e faleceu nessa mesma cidade em 04 de novembro de 1934.

Aos cinco anos de idade, interessou-se pelo violão, mas seu pai o proibia de tocar o instrumento (considerado coisa de vagabundo na época), o incentivando a tocar piano ou violino. Por determinação de seu pai, ingressou no colégio interno. Ao terminar o curso, em 1920, dedicou-se (às escondidas) ao violão.

Também era conhecido como Índio ou Índio das Neves.

Trabalhou, em 1922, como funcionário da Estrada de Ferro Central do Brasil, como conferente da estação, depois, chegando a agente ferroviário.

Era casado com Débora Siqueira, com quem teve um filho.

Residiu, por um ano, em Conselheiro Lafaiete (MG), onde foi transferido.
Também ensinava música, já que dominava a leitura e a escrita musical.

Embora tendo iniciado sua carreira como compositor, em 1922 gravou na Odeon Record, como cantor, duas composições suas, Quadra de Amor, fox trot, e Saudades do Sertão, canção.

Em 1930, apresentou-se algumas vezes no programa de Gastão Lamounier, na Rádio Educadora do Brasil. Por essa época, teve algumas músicas gravadas na Victor, como Lenda Sertaneja, canção que foi registrada por Jesy Barbosa.

Teve várias músicas de sucesso, como A Última Estrofe (gravada por Orlando Silva), Noite Cheia de EstrelasRasguei o teu Retrato (essas duas gravadas por Vicente Celestino), entre outras.

Vicente Celestino foi seu maior intérprete.

Também fizemos uma postagem com Vicente cantando suas composições: http://bit.ly/2GsuaYI 


Vamos conferir algumas gravações da autoria de Cândido das Neves, interpretadas por ele e por alguns dos grandes nomes de nossa música.



Cândido das Neves (Índio) Intérprete


QUADRA DE AMOR
Fox Trot 
Gravado por Cândido das Neves
Acompanhamento de Regional
Disco Odeon Record 122.148
Lançado em 1922



SAUDADES DO SERTÃO
Canção
Gravada por Cândido das Neves
Acompanhamento de Regional
Disco Odeon Record 122.149
Lançado em 1922




LUAR DE MINHA TERRA
Canção Sertaneja de Cândido das Neves (Índio)
Gravada por Melo Morais e Cândido das Neves (Índio)
Acompanhamento de Violão
Disco Parlophon 13.403-A
Lançado em maio/junho de 1932



ROSA MORENA
Canção Sertaneja de Cândido das Neves (Índio)
Gravada por Melo Morais e Cândido das Neves (Índio)
Acompanhamento de Conjunto
Disco Parlophon 13.403-B

Lançado em maio/junho de 1932



Cândido das Neves (Índio) Compositor


TUDO ACABADO
Tango Canção de Cândido das Neves
Gravado por J. Gomes Jr.
Disco Odeon Record 123.263, matriz 1087
Lançado em 1926



TUDO ACABADO
Canção de Cândido das Neves
Gravada por Pedro Celestino
Disco Odeon Record 123.296, matriz 1108
Lançado em 1927




ÍNTIMA LÁGRIMA
Modinha de Cândido das Neves (Índio)
Gravada por Eurístenes Pires
Acompanhamento do Trio Ghiraldini
Disco Columbia 5.047-B, matriz 380151

Lançado em julho de 1929



DE TANGA
Samba de Cândido das Neves (Índio)
Gravado por Francisco Alves
Acompanhamento da Orquestra Pan American, sob a direção de Simon Bountman
Disco Odeon 10.578-B, matriz 3365-1
Lançado em janeiro de 1930




FOI MOAMBA
Samba Carnavalesco de A. Viana (Pixinguinha) e Cândido das Neves (Índio)
Gravado por Breno Ferreira
Acompanhamento do Coro e Orquestra Victor
Disco Victor 33.254-B, matriz 50148-2

Gravado em 09 de janeiro de 1930 e lançado em fevereiro de 1930



RANCHO ABANDONADO
Canção de Pixinguinha e Cândido das Neves (Índio)
Gravada por Albênzio Perrone
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira
Disco Victor 33.271-A, matriz 50174-1
Gravado em 18 de fevereiro de 1930 e lançado em maio de 1930



PORQUE GOSTO DE VOCÊ
Samba de Cândido das Neves (Índio)
Gravado por Francisco Alves
Acompanhamento da Orquestra Pan American, sob a direção de Simon Bountman
Disco Odeon 10.584-A, matriz 3369
Lançado em abril de 1930



LENDA SERTANEJA
Canção Sertaneja de Cândido das Neves (Índio)
Gravada por Jesy Barbosa
Acompanhamento de Rogerio Guimarães, ao violão, e coro
Disco Victor 33.284-A, matriz 50225-1
Gravado em 03 de abril de 1930 e lançado em julho



CANÇÃO DO CEGUINHO
Canção de Cândido das Neves (Índio)
Gravada por Floriano Belham
Acompanhamento de Rogério Guimarães ao violão
Disco Victor 33.288-B, matriz 50242-2
Gravado em 28 de abril de 1930 e lançado em julho



SIM MAS DESENCOSTA
Samba de Cândido das Neves (Índio)
Gravado por Aracy Côrtes
Disco Odeon 10.664-A, matriz 3721
Lançado em agosto de 1930




CINZAS DE AMOR
Canção de Cândido das Neves (Índio)
Gravado por Floriano Belham
Acompanhamento de dois violões
Disco Victor 33.410-B, matriz 65039-1
Gravado em 22 de novembro de 1930 e lançado em fevereiro de 1931



COM YAYÁ É ASSIM
Samba Canção de Cândido das Neves (Índio)
Gravado por Jesy Barbosa
Acompanhamento de Orquestra e violões
Disco Victor 33.406-A, matriz 65043-2
Gravado em 24 de novembro de 1930 e lançado em fevereiro de 1931



ABISMO DE AMOR
Canção de Cândido das Neves (Índio)
Gravada por Jayme Vogeler
Acompanhamento da Orquestra Guanabara
Disco Parlophon 13.261-A, matriz T-22
Lançado em janeiro de 1931



INFELIZ AMOR
Tango de Cândido das Neves (Índio)
Gravada por Jayme Vogeler
Acompanhamento da Orquestra Guanabara
Disco Parlophon 13.261-B, matriz T-23
Lançado em janeiro de 1931



JURA DE CABOCLA
Canção de Cândido das Neves (Índio)
Gravada por Benício Barbosa
Acompanhamento de Conjunto Típico
Disco Columbia 22.114-B, matriz 381186
Lançado em maio de 1932




A ÚLTIMA ESTROFE
Canção de Cândido das Neves (Índio)
Gravada por Fernando de Castro Barbosa
Acompanhamento da Orquestra de Concertos Columbia
Disco Columbia 22.125-B, matriz 381258
Gravado em 1932 e lançado em junho de 1932



E NADA MAIS
Tango Canção de Cândido das Neves (Índio)
Gravado por Fernando de Castro Barbosa
Acompanhamento da Orquestra de Concertos Columbia
Disco Columbia 22.125-B, matriz 381259

Gravado em 1932 e lançado em junho de 1932



UM BEIJO SÓ
Samba de Bonfiglio de Oliveira e Cândido das Neves (Índio)
Gravado por Luciano Perrone
Acompanhamento da Orquestra Columbia
Disco Columbia 22.157-B, matriz 381333
Lançado em dezembro de 1932



A ÓRFÃ
Canção
Gravada por Dircinha Batista
Acompanhamento de Índio (Cândido das Neves) e Tuti aos violões
Disco Odeon 11.070-A, matriz 4645
Gravado em 18 de abril de 1933 e lançado em novembro



ANJO ENFERMO
Canção
Gravada por Dircinha Batista
Acompanhamento de Índio (Cândido das Neves) e Tuti aos violões
Disco Odeon 11.070-B, matriz 4646
Gravado em 18 de abril de 1933 e lançado em novembro



A MAIOR DESCOBERTA
Marcha de Cândido das Neves
Gravada por Almirante e Castro Barbosa
Acompanhamento do Grupo do Canhoto
Disco Victor 33.758-A, matriz 65934-1
Gravado em 12 de janeiro de 1934 e lançado em fevereiro



A ÚLTIMA ESTROFE
Canção de Cândido das Neves (Índio)
Gravada por Orlando Silva
Acompanhamento de Pereira Filho, Luís Bittencourt e Luperce Miranda aos violões
Disco Victor 33.975-A, matriz 79931-1
Gravado em 18 de junho de 1935 e lançado em setembro



LÁGRIMAS
Valsa Canção de Cândido das Neves (Índio)
Gravada por Orlando Silva
Acompanhamento de Pereira Filho, Luís Bittencourt e Luperce Miranda aos violões
Disco Victor 33.975-B, matriz 79932-1
Gravado em 18 de junho de 1935 e lançado em setembro



APOTEOSE DO AMOR
Valsa de Cândido das Neves (Índio)
Gravada por Orlando Silva
Acompanhamento de Pereira Filho, Luís Bittencourt e Luperce Miranda aos violões
Disco Victor 34.047-A, matriz 79948-1
Gravado em 01 de julho de 1935 e lançado em abril de 1936




PÁGINA DE DOR
Valsa de Cândido das Neves (Índio) e Pixinguinha
Gravada por Orlando Silva
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira
Disco Victor 34.354-A, matriz 80764-3
Gravado em 11 de maio de 1938 e lançado em setembro de 1938












Agradecimento ao Arquivo Nirez












Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...