domingo, 20 de outubro de 2019

EFEMÉRIDES DE 20 DE OUTUBRO: RAIMUNDO RAMOS (COTOCO) E PAULO TAPAJÓS

A data de hoje, 20 de outubro marca o falecimento e o nascimento dos artistas: RAIMUNDO RAMOS (COTOCO) e PAULO TAPAJÓS.



RAIMUNDO RAMOS (COTOCO)
(1871 - 1916)


RAIMUNDO RAMOS (Ramos Cotoco)
www.fortalezaemfotos.com.br




Raimundo Ramos de Paula Filho nasceu em Fortaleza (CE) a 21 de maio de 1871, vindo a falecer também em Fortaleza (CE) em 20 de outubro de 1916, aos 45 anos de idade.

Seu apelido Ramos Cotoco se devia por ter nascido com um defeito físico no braço.

Era um homem excêntrico e foi um dos boêmios mais populares de Fortaleza.

Em 1906, publicou o livro Cantares Boêmios, com poemas e canções. Em sua carreira, compôs lundus, chulas, valsas e cançonetas chistosas, algumas gravadas por Mário Pinheiro na Casa Edison do Rio de Janeiro.

Vários de seus poemas foram musicados por nomes que, até hoje, permanecem desconhecidos.

Tive a oportunidade de ver um de seus quadros sendo restaurados na Igreja de Nossa Senhora do Carmo, aqui em Fortaleza.

Trago as gravações que Mário Pinheiro fez na Casa Edison das músicas de Ramos Cotoco em 1908.


O DIABO DA FEIA
Cançoneta de Raimundo Ramos
Gravada por Mário Pinheiro
Acompanhamento de coro e violão
Disco Odeon Record 108.129, matriz XR-662
Lançado em 1908
Escrita em 1898



PELA PORTA DE DETRÁS
Cançoneta Alegre de Raimundo Ramos
Gravada por Mário Pinheiro
Disco Odeon Record 108.130, matriz XR-663
Lançado em 1908
Escrita em 1895




A SOGRA E O GENRO
Lundu de Raimundo Ramos
Gravado por Mário Pinheiro
Acompanhamento de piano
Disco Odeon Record 108.131, matriz (52W) XR-664
Lançado em 1908




SÓ ANGU
Cançoneta de Raimundo Ramos
Gravada por Mário Pinheiro
Acompanhamento de piano e ganzá
Disco Odeon Record 108.132, matriz XR-665
Lançado em 1908




NÃO FAZ MAL
Cançoneta de Raimundo Ramos
Gravada por Mário Pinheiro
Acompanhamento de piano e ganzá
Disco Odeon Record 108.133, matriz XR-666
Lançado em 1908




A COZINHEIRA
Cançoneta de Raimundo Ramos
Gravada por Mário Pinheiro
Acompanhamento de piano e ganzá
Disco Odeon Record 108.134, matriz XR-667
Lançado em 1908




ROSA E EU
Cançoneta de Raimundo Ramos
Gravada por Mário Pinheiro
Disco Odeon Record 108.135, matriz XR-668
Lançado em 1908



A ENGOMADEIRA
Cançoneta de Raimundo Ramos
Gravada por Mário Pinheiro
Acompanhamento de coro
Disco Odeon Record 108.137, matriz XR-670
Lançado em 1908






PAULO TAPAJÓS
(1913 - 1990)


Fon Fon, 1940.
http://memoria.bn.br


Paulo Tapajós Gomes nasceu no Rio de Janeiro em 20 de outubro de 1913. Era filho do escritor, jornalista e poeta Manoel Tapajós Gomes.

Estudou em bons colégios e também cursou a Escola Nacional de Belas Artes, no intuito de estudar Arquitetura. Em 1926, deu início aos estudos de piano, ao mesmo tempo estudando sozinho o violão. Depois, ainda estudaria cantor.

Editou sua primeira composição, a modinha Meu Bem, em 1927 pela Editora Casa Vieira Machado, tendo letra de seu pai, mas que não chegou a ser gravada.

Em 1928, iniciou sua carreira artística ao lado dos irmãos Haroldo e Oswaldo, formando o trio Irmãos Tapajós, apresentando-se na Rádio Sociedade do Rio de Janeiro. Oswaldo desistiria, pouco depois, da carreira e Paulo e Haroldo prosseguiriam formando a dupla Irmãos Tapajós.

A dupla gravou seu primeiro disco em 1932, na Columbia, registrando o fox canção de Haroldo Tapajós com o iniciante Vinícius de Moraes, Loura ou Morena, e do outro lado, Paulo Tapajós gravou sozinho o fox blues de Haroldo Tapajós, Doce Ilusão.

Eles gravariam alguns discos, inclusive com Sylvinha Melo e Elisa Coelho.

Paulo Tapajós também se destacaria no rádio atuando com sucesso na Rádio Nacional e Rádio Mec.

Nos anos 50 e 60 regravaria antigos sucessos de nosso cancioneiro, como Lua Branca, de Chiquinha Gonzaga, e Noite Cheia de Estrelas, de Cândido das Neves (Índio).

Nos anos 80, ele e o pesquisador Jayro Severiano fizeram uma importante entrevista (gravada em fita) com a cantora Jesy Barbosa, que já estava idosa e relembrou sua carreira.

Paulo Tapajós faleceu no Rio de Janeiro em 29 de dezembro de 1990, aos 77 anos de idade.



DOCE ILUSÃO
Fox Blues de Vinícius de Moraes e Haroldo Tapajós
Gravado por Paulo Tapajós
Acompanhamento da Orquestra Columbia
Disco Columbia 22.138-B, matriz 381293-2
Lançado em julho de 1932



DISTÂNCIA INFINITA
Samba Canção de Alberto Ribeiro e Dermeval Fonseca Neto (Furinha)
Gravado por Paulo Tapajós
Acompanhamento de Vero, ao Pianos, e Seu Conjunto
Disco Continental 16.371-B, matriz 2566
Gravado em 29 de janeiro de 1951 e lançado em março/abril de 1951



LUA BRANCA
Canção de Chiquinha Gonzaga
Gravada por Paulo Tapajós
Acompanhamento da Turma do Sereno
Disco Continental 16.425-B, matriz 2643
Gravado em 1951 e lançado em julho/setembro de 1951



LUAR DO SERTÃO
Toada de Catullo da Paixão Cearense e João Pernambuco
Gravada por Paulo Tapajós
Acompanhamento de Lírio Panicali e Sua Orquestra
Disco Sinter 513-A, matriz S-1133
Gravado em 1956 e lançado em dezembro



OLHA-ME BEM NOS OLHOS
Canção de Joubert de Carvalho e Adelmar Tavares
Gravada por Paulo Tapajós
Acompanhamento de Léo Perachi e Sua Orquestra
Disco Sinter 513-B, matriz S-1134
Gravado em 1956 e lançado em dezembro



NOITE CHEIA DE ESTRELAS
Canção de Cândido das Neves (Índio)
Gravada por Paulo Tapajós
Acompanhamento de Alexandre Gnattali e Sua Orquestra
Disco Philips P-61.049-H-A, matriz AA 61.049-1H
Lançado em novembro de 1960



E NADA MAIS
Canção de Cândido das Neves (Índio)
Gravada por Paulo Tapajós
Acompanhamento de Alexandre Gnattali e Sua Orquestra
Disco Philips P-61.049-H-B, matriz AA 61.049-2H
Lançado em novembro de 1960













Agradecimento ao Arquivo Nirez








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...