Translate

quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

EFEMÉRIDES DE 15 DE JANEIRO: BATISTA JÚNIOR, LEONEL FARIA, ZÉ GONZAGA E ÊNIO SANTOS

A data de hoje, 15 de janeiro, marca o nascimento ou falecimento dos seguintes artistas: BATISTA JÚNIOR, LEONEL FARIA, ZÉ GONZAGA e ÊNIO SANTOS.




BATISTA JÚNIOR


Batista Júnior
Arquivo Nirez


João Baptista de Oliveira Júnior nasceu em Itapira (SP), em 15 de janeiro de 1894. Também era cantor e compositor.

Batista Júnior era casado com D. Emília Grandino de Oliveira, de família tradicional paulista e conhecida no meio artístico como D. Neném. Eles eram pais das famosas cantoras Linda Batista e Dircinha Batista, e ainda teriam outra filha, Odete Batista.

Em 1920, a família se transferiu para o Rio de Janeiro, onde Batista Júnior foi em busca de melhores condições de trabalho, morando no bairro carioca do Catete.

Ele foi nosso maior ventríloquo, imitando 22 vozes sem abrir os lábios, segundo o Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira. Também era cançonetista. Atuava com 18 bonecos e fazia vozes para todos. Atuou no rádio, teatro, disco e cinema, participando do filme Coisas Nossas, de 1931.


Batista Júnior
Arquivo Nirez

 Gravou seu primeiro disco em 1913, lançado pela Gaúcho Record, que trazia Monólogo Caipira e Visita do Caipira Paulista. Voltaria a gravar em 1924, pela Odeon Record, e em 1928, pela Columbia. Gravou vários discos até 1936. Nesse mesmo ano, levou sua filha, Dirce de Oliveira (futura cantora Dircinha Batista) para gravar na Columbia. Ela tinha apenas oito anos de idade e agradou em cheio. Ela gravou da autoria de seu pai Dircinha e Borboleta Azul (esta, ele também gravaria).

Artista aclamado, Batista Júnior viu suas filhas iniciarem a carreira de cantoras e chegar ao auge, em meados dos anos 40. Ele faleceria no Rio de Janeiro (RJ) em 24 de maio de 1943, na época em que suas filhas estavam entre as maiores cantoras do Brasil.


MONÓLOGO CAIPIRA
Monólogo de Batista Jr.
Gravado por Batista Jr.
Disco Gaúcho Record 1.130, matriz 1130
Lançado em 1913



VISITA DE UM CAIPIRA PAULISTA
Arranjo de Batista Jr.
Gravado por Batista Jr.
Disco Gaúcho Record 1.134, matriz 1134
Lançado em 1913



A ROSEIRA
Valsa Canção de Batista Jr.
Gravada por Batista Jr.
Disco Odeon Record 122.744
Lançado em 1924



O RELÓGIO CARRILON
Serenata de Batista Jr.
Gravada por Batista Jr.
Acompanhamento de Piano
Disco Columbia 5.009-B, matriz 380044
Lançado em fevereiro de 1929



PINTA MEU BEM
Samba de Batista Jr.
Gravado por Batista Jr.
Acompanhamento de Quarteto Instrumental
Disco Columbia 5.009-B, matriz 380039
Lançado em fevereiro de 1929



ADEUS MOMO
Maxixe de Batista Jr.
Gravado por Batista Jr.
Acompanhamento da Orquestra Ghiraldini
Disco Columbia 5.028-B, matriz 380098-2
Lançado em março de 1929



MÁGOAS DE CARREIRO
Canção Sertaneja de Batista Jr.
Gravada por Batista Jr.
Acompanhamento de Piano
Disco Columbia 5.031-B, matriz 380088
Lançado em junho de 1929



UMA FESTA DE SÃO JOÃO NA ROÇA
Prosa Humorística de Batista Jr.
Gravada por Batista Jr.
Acompanhamento de Piano
Disco Columbia 5.031-B, matriz 380089
Lançado em junho de 1929





LEONEL FARIA

Leonel Faria
http://memoria.bn.br/


Leonel Neves de Faria nasceu no Rio de Janeiro em 15 de janeiro de 1908.

Em 1930, Leonel Faria estreou como crooner no Brasil Danças, indo em seguido cantar na Rádio Clube do Brasil e, mais tarde, no Cassino da Urca, acompanhado da Orquestra de Simon Bountman.

Sua estreia no disco se deu em 1931 ao gravar os sambas de Ary Barroso, Maria e Cavanhaque, pela Columbia, sendo acompanhado pela Orquestra Columbia de Simon Bountman. Também gravou pela Odeon e Parlophon. Entre 1931 e 1935 gravou 56 músicas, sendo acompanhado de Ildefonso Norat.



http://memoria.bn.br/


Leonel Faria faleceu precocemente em 27 de dezembro de 1935, poucas semanas antes de completar 28 anos de idade.



MARIA
Samba Carnavalesco de Ary Barroso
Gravado por Leonel Faria
Acompanhamento de Simão e Sua Columbia Orquestra
Disco Columbia 22.000-B, matriz 380943-1
Lançado em janeiro de 1931




CAVANHAQUE
Marcha Carnavalesca de Ary Barroso
Gravada por Leonel Faria
Acompanhamento de Simão e Sua Columbia Orquestra
Disco Columbia 22.000-B, matriz 380944-1
Lançado em janeiro de 1931




VEM MAS COM FÉ
Samba de Victor Hugo de Albuquerque
Gravado por Leonel Faria
Acompanhamento de Simão e Sua Columbia Orquestra
Disco Columbia 22.003-B, matriz 380951
Lançado em janeiro de 1931




EU SOU GOZADO ASSIM
Samba de Pixinguinha
Gravado por Leonel Faria
Acompanhamento de Simão e Sua Columbia Orquestra
Disco Columbia 22.004-B, matriz 380955-2
Lançado em janeiro de 1931




EU JURO
Marcha de Plínio de Brito
Gravada por Leonel Faria
Acompanhamento de Simão e Sua Columbia Orquestra
Disco Columbia 22.007-B, matriz 380957
Lançado em janeiro de 1931




SAUDADES DO CARNAVAL
Marcha de Ranulfo Severo
Gravada por Leonel Faria
Acompanhamento de Simão e Sua Columbia Orquestra
Disco Columbia 22.008-B, matriz 380966
Lançado em janeiro de 1931




AMIZADE
Samba de Edgard Cardoso
Gravado por Leonel Faria
Acompanhamento de Simão e Sua Columbia Orquestra
Disco Columbia 22.009-B, matriz 380965
Lançado em janeiro de 1931




SÓ NA BATUCADA
Samba de Vicente
Gravado por Leonel Faria
Acompanhamento de Simão e Sua Columbia Orquestra
Disco Columbia 22.010-B
Lançado em janeiro de 1931






ZÉ GONZAGA


Zé Gonzaga
http://memoria.bn.br/


José Januário Gonzaga do Nascimento nasceu em Exu (PE) em 15 de janeiro de 1921.
Era cantor, compositor, instrumentista e acordeonista, sendo irmão de Luís Gonzaga.

Iniciou sua carreira artística cantando em programas de calouros. Em 1948 já estava no Rio de Janeiro e, a convite de seu irmão, foi contratado pela Rádio Guanabara.

Gravou seu primeiro disco na Star em 1949.
Em 1950 já estava gravando pela Odeon.


Zé Gonzaga
http://memoria.bn.br/

Em 1951, excursionou pelo Norte do país, indo também à Argentina e Uruguai. Em 1952, excursionou pela França, substituindo seu irmão, em um evento promovido por Assis Chateaubrinad, apresentando-se no Cassino Deauville.

Gravaria até meados da década de 1960.

Zé Gonzaga faleceu no Rio de Janeiro em 12 de abril de 2002, aos 81 anos de idade.



AI SANFONA
Calango de Jeová Rodrigues Portela e José Januário
Gravado por Zé Gonzaga (Canto e Acordeon)
Acompanhamento de Regional
Disco Odeon 12.995-A, matriz 8627
Gravado em 23 de janeiro de 1950 e lançado em abril de 1950




BATENDO SOLA
Rancheira de J. Portela e José Januário
Gravada por Zé Gonzaga
Acompanhamento de Regional
Disco Odeon 12.995-B, matriz 8628-1
Gravado em 23 de janeiro de 1950 e lançado em abril de 1950




DISCO VOADOR
Choro de Abelardo Barbosa (Chacrinha) e José Gonçalves
Gravado por Zé Gonzaga
Acompanhamento de Regional
Disco Odeon 13.041-A, matriz 8709
Gravado em 15 de junho de 1950 e lançado em setembro de 1950




ALENCARINA BONITA
Balanceio de José Amâncio e José Januário
Gravado por Zé Gonzaga
Acompanhamento de Regional
Disco Odeon 13.041-B, matriz 8710
Gravado em 15 de junho de 1950 e lançado em setembro de 1950




AI ROSINHA
Polca de Zé Gonzaga e Silveira Lima
Gravada por Zé Gonzaga
Acompanhamento de Regional
Disco Odeon 13.057-A, matriz 8781
Gravado em 29 de agosto de 1950 e lançado em novembro de 1950




NO CASÓRIO DE IRINEU
Xote de José Amâncio e José Januário
Gravado por Zé Gonzaga
Acompanhamento de Regional
Disco Odeon 13.057-B, matriz 8782
Gravado em 29 de agosto de 1950 e lançado em novembro de 1950




JANUÁRIO CRIOU FAMA
Baião de J. Amâncio e José Januário
Gravado por Zé Gonzaga
Acompanhamento de Regional
Disco Odeon 13.107-A, matriz 8874
Gravado em 30 de novembro de 1950 e lançado em maio de 1951




MORENINHA DO SERTÃO
Marchinha de J. Praxedes, Ceci Viana e Peter Bill
Gravada por Zé Gonzaga
Acompanhamento de Regional
Disco Odeon 13.107-B, matriz 8875
Gravado em 30 de novembro de 1950 e lançado em maio de 1951





ÊNIO SANTOS


Ênio Santos
Imdb.com


Ênio de Azevedo Santos nasceu em Porto Alegre (RS), em 15 de janeiro de 1922.
Mudou-se aos 13 anos de idade para o Rio de Janeiro, onde sempre ia às emissoras de rádio para se distrair. Querendo ser cantor, também participava dos programas de calouros.

Foi contratado como cantor pela Rádio Record de São Paulo no início dos anos 40. Atuou também como rádio ator, indo depois para a televisão, como ator.
Também escreveu novelas para o rádio.

Gravou apenas um disco em 1945, pela Continental, que trazia a famosa canção Lili Marlene e a canção Destino. 


Ênio Santos
Fon Fon, 1956
http://memoria.bn.br/

Carioca 1940

Fon Fon, 1943
http://memoria.bn.br/

Fon Fon, 1944
http://memoria.bn.br/

A Scena Muda, 1949
http://memoria.bn.br/

Fon Fon, 1951
http://memoria.bn.br/

Ficou conhecido pelo grande público, como ator, por seus trabalhos na Rede Globo, onde estreou em 1967 na novela Anastácia, a Mulher sem Destino.

Também atuaria em Irmãos Coragem (1970), Uma Rosa com Amor (1972), Escalada (1975), Dona Xepa (1977), Feijão Maravilha (1979), Água Viva (1980), Sinhá Moça (1986), entre outras. Também atuaria em outras emissoras e no cinema.

Na dublagem, Ênio Santos também se destacou, dublando, entre vários personagens de filmes, o anão Zangado, de Branca de Neve e os Sete Anões, e Willy Wonka, de A Fantástica Fábrica de Chocolate (primeira versão).

Ênio Santos faleceu no Rio de Janeiro, em 30 de janeiro de 2002, aos 80 anos de idade.


LILI MARLENE
Canção de N. Schultze, H. Leip e T. Connor, em versão de Ariovaldo Pires
Gravada por Ênio Santos
Acompanhamento de Orquestra
Disco Continental 15.387-A, matriz 10411-2
Gravado em 10 de junho de 1945 e lançado em agosto de 1945




DESTINO
Canção de Antônio Romeu e J. M. Alves
Gravada por Ênio Santos
Acompanhamento de Orquestra
Disco Continental 15.387-B, matriz 10412-2
Gravado em 10 de junho de 1945 e lançado em agosto de 1945














Agradecimento ao Arquivo Nirez










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...