quarta-feira, 15 de abril de 2020

RELEMBRANDO O MAESTRO FRANCISCO BRAGA - 152 ANOS

FRANCISCO BRAGA
Fon Fon, 1931
http://memoria.bn.br/



Há 152 anos nascia o maestro e compositor FRANCISCO BRAGA.

Antônio Francisco Braga nasceu no Rio de Janeiro em 15 de abril de 1868. Esteve internado no Asilo de Meninos Desvalidos, fazendo neste local seus primeiros estudos musicais, chegando a ser o regente da instituição.



Estudos e profissionalização

Estudou no Imperial Conservatório de Música, aprendendo clarineta com o professor Antônio Luís de Moura e obtendo medalha de ouro por seu desempenho.

Em 1890 morou em Paris, onde foi estudar no Conservatório de Música, conquistando o primeiro lugar no concurso de ingresso. Em Paris, foi aluno do célebre músico francês Jules Massenet. Morou algum tempo na Alemanha.

Foi nomeado em 1902 como professor de fuga, contraponto e composição do Instituto Nacional de Música e do Instituto Profissional João Alfredo, o antigo Asilo de Meninos Desvalidos. Em 1909, Francisco Braga foi nomeado instrutor de bandas da Marinha do Brasil.

A partir de 1912, até 1932, sozinho ou em sociedade com Francisco Nunes, esteve à frente da Sociedade de Concertos Sinfônicos do Rio de Janeiro.

Aposentou-se em 1938, como professor do Instituto Nacional de Música.


Carreira artística

Francisco Braga é conhecido até hoje como o compositor da melodia do Hino à Bandeira, que recebeu versos do poeta Olavo Bilac. Porém, ele deixou uma vasta e bela obra que, vem sendo gravada, regravada e revisitada desde o começo do século XX.

Sua primeira composição executada foi a Fantasia-Abertura, em 1887, pela Sociedade de Concertos Populares. Sua ópera Jupira foi, em 1900, apresentada no Theatro Lyrico do Rio de Janeiro, onde ele foi o regente.

Compôs o Hino à Bandeira em 1905, que foi gravado por volta de 1910 pela Banda do Corpo de Bombeiros, que também gravou o dobrado de sua autoria, Barão do Rio Branco. Em 1917, o tenor Vicente Celestino gravaria o Hino à Bandeira com a letra de Olavo Bilac, sendo acompanhado pela Banda do Batalhão Naval e Coro.

Uma das últimas regravações do Hino à Bandeira se deu em 2017, cem anos depois da gravação feita por Vicente Celestino, realizada pela cantora Rosemary para o CD Ouço Soprar o Vento.

Em 1907, a soprano Medina de Souza gravaria Dá-me as Pétalas da Rosa, de Francisco Braga e em 1909, o barítono Mário Pinheiro gravaria A Tua Mão, com letra de Catullo da Paixão Cearense.


Selo de Dá-me as Pétalas da Rosa
Arquivo Nirez


Selo de A Mão (A Tua Mão)
https://discografiabrasileira.com.br/

Entre as belas composições de Francisco Braga que receberam letra podemos citar O Trovador do Sertão, com versos de Mello Moraes Filho, gravada por Lydia Salgado de Albuquerque em 1928. A contralto Anna Maria Kieffer gravaria o CD 1900: A Virada do Século com algumas músicas de Francisco Braga no ano 2000, incluindo O Trovador do Sertão.

Francisco Braga musicou poemas ou teve versos adicionados às suas melodias por parceiros como Machado de Assis (Lágrimas de Cera), Luiz Murat (O Poder das Lágrimas), Olavo Bilac (Hino à Bandeira e Virgens Mortas), Floriano de Brito (Prece) Mello Moraes Filho (O Trovador do Sertão) e Hemetério dos Santos (Velha Canção), para citar alguns.

O maestro Francisco Braga faleceu no Rio de Janeiro em 04 de março de 1945, pouco antes de completar 77 anos de idade.



BARÃO DO RIO BRANCO
Dobrado de Francisco Braga
Gravado pela Banda da Casa Edison
Disco Odeon Record 40.067, matriz RX-51
Lançado em 1904



HINO À BANDEIRA
Hino de Francisco Braga
Gravado pela Banda do Corpo de Bombeiros
Disco Columbia Record B-53, matriz 12009
Lançado em 1912
Obs. Gravação feita em 1910, disco relançado em 1912.



DÁ-ME AS PÉTALAS DA ROSA
Canção de Francisco Braga
Gravada por Medina de Souza
Acompanhamento de Orquestra
Disco Victor Record 98.901, matriz 98901
Gravado em 01 de novembro de 1907



A TUA MÃO
Canção de Francisco Braga e Catullo da Paixão Cearense
Gravada por Mário Pinheiro
Acompanhamento de Piano
Disco Odeon Record 108.354, matriz XR-920
Lançado em 1909




HINO À BANDEIRA
Hino de Francisco Braga e Olavo Bilac
Gravado por Vicente Celestino
Acompanhamento da Banda do Batalhão Naval e Coro
Disco Odeon Record 121.343, matriz P-10

Gravado e lançado em 1917



O TROVADOR DO SERTÃO
Canção de Francisco Braga e Mello Moraes Filho
Gravada por Lydia de Albuquerque Salgado
Disco Odeon 10.205-A, matriz 1696
Lançado em 1928



EPISÓDIO SINFÔNICO (I)
De Francisco Braga
Gravado pela Orquestra do Sindicato Musical do Rio de Janeiro
Disco Odeon A-3.257-A, matriz 67
Gravado em 1938 e lançado em 1939



EPISÓDIO SINFÔNICO (II)
De Francisco Braga
Gravado pela Orquestra do Sindicato Musical do Rio de Janeiro
Disco Odeon A-3.257-B, matriz 68
Gravado em 1938 e lançado em 1939



OS LUNDUS DA MARQUESA
Lundu de Francisco Braga
Gravado por Mário de Azevedo ao Piano
Disco Continental 15.241-A, matriz 922-1
Lançado em janeiro de 1945



TANGO CAPRICHOSO
Tango Brasileiro de Francisco Braga
Gravado por Oscar Borgerth ao Violino
Acompanhamento de Francisco Mignone ao Piano
Disco Odeon B-3.305-A, matriz 8395-1
Gravado em agosto de 1948 e lançado em 1948



SAUDADES
Valsa de Francisco Braga
Gravada pela Banda do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal
Disco RCA Victor 80-2060-B, matriz 13-K2PB-0586
Gravado em 02 de fevereiro de 1959 e lançado em abril de 1959














Agradecimento ao Arquivo Nirez









Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...