segunda-feira, 11 de maio de 2020

EFEMÉRIDES DE 11 DE MAIO: BIDU SAYÃO, SÔNIA CARVALHO, JAYME VOGELER, ZEZINHO (JOSÉ CARIOCA) E JOSÉ MARIA DE ABREU






A data de hoje, 11 de maio, marca o nascimento ou falecimento dos seguintes artistas: BIDU SAYÃO, SÔNIA CARVALHO, JAYME VOGELER, ZEZINHO (JOSÉ CARIOCA) e JOSÉ MARIA DE ABREU.





BIDU SAYÃO


BIDU SAYÃO
http://memoria.bn.br/


Balduína de Oliveira Sayão nasceu em Itaguaí (RJ) em 11 de maio de 1902.

Bidu Sayão é considerada a maior soprano brasileira, em todos os tempos, com fama internacional. E foi justamente pelo mundo que ela foi mais valorizada como cantora lírica.

Brilhou nos palcos de Nova York, onde é homenageada com um quadro no Metropolitan Opea House, caracterizada de Manon, na ópera homônima de Jules Massenet.

No Carnaval 1995, com quase 93 anos de idade, Bidu Sayão foi homenageada pela Escola de Samba Beija Flor, com o enredo “Bidu Sayão e o Canto de Cristal”. Bidu, emocionada, desfilou na Marquês de Sapucai vestida de baiana, em uma homenagem à sua amiga Carmen Miranda.

Bidu Sayão faleceu nos EUA, onde morava, em 12 de março de 1999, dois meses antes de completar 97 anos de idade.



CANTO DA SAUDADE
Canção de Alberto Costa
Gravada por Bidu Sayão
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira, sob a Direção de Bernadino Vivas
Disco Victrola 11.595-A, matriz 65866-2
Gravado em 20 de outubro de 1933 e lançado em 1933



O GUARANY - GENTILE DI CUORE
De Antônio Carlos Gomes
Gravada por Bidu Sayão
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira, sob a Direção de G Giannetti
Disco Victrola 11.561-A, matriz 65863-2
Gravado em 16 de outubro de 1933 e lançado em 1933



O GUARANY – BALLATA
De Antônio Carlos Gomes
Gravada por Bidu Sayão
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira, sob a Direção de G Giannetti
Disco Victrola 11.561-B, matriz 65862-2
Gravado em 16 de outubro de 1933 e lançado em 1933



A CASINHA PEQUENINA
Canção Popular
Gravada por Bidu Sayão
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira, sob a Direção de Bernadino Vivas
Disco Victrola 4.230-B, matriz 65868-2
Gravado em 20 de outubro de 1933 e lançado em 1933



CAPIM DI PRANTA
Popular de Alagoas, arranjo de Ernâni Braga
Gravada por Bidu Sayão
Acompanhamento de Milne Charnley ao Piano
Disco Columbia 17.567-D, matriz CO 37821
Gravado e lançado em 1949






SÔNIA CARVALHO


SÔNIA CARVALHO
Arquivo Nirez


Maria de Nazaré Reis nasceu em São Paulo, em 27 de fevereiro de 1914.

Começando sua carreira em São Paulo, estendeu-a pelo Rio de Janeiro, conquistando o país com seus discos e através das ondas do rádio.

Em janeiro de 1936, ela, Francisco Alves, Aracy de Almeida e Orlando Silva, entravam por volta das dez horas da manhã na gravadora Victor, para gravar as músicas de Carnaval, e só saíram meia noite, se alimentando de sanduíches e laranjada. Além de gravar suas músicas, eles faziam coro nas músicas dos colegas.

Foi uma das principais atrações da inauguração da Rádio Nacional do Rio de Janeiro, em 12 de setembro de 1936.

Era cunhada do locutor Celso Guimarães.

Sua voz era parecida com a de Carmen Miranda e, quando queria, Sônia Carvalho fazia uma imitação perfeita da Pequena Notável.

A origem do nome Sônia Carvalho era uma homenagem à cantora Sônia Barreto e ao compositor Joubert de Carvalho.

uma das músicas preferidas de Francisco Alves era do repertório dela. Sempre que ele via Sônia, dizia: “Olha aí a garota que gravou A infelicidade me persegue!”.

Sua popularidade a levou ser eleita duas vezes Rainha do Rádio Paulistano.


Também apresentou programas infantis de calouros, onde descobriu a cantora Marion.


No final dos anos 30, abandonou sua carreira e se casou com Roberto Marengo, com quem foi muito feliz, morando em Taubaté.

Sônia Carvalho faleceu em 11 de maio de 1988.



BEIJOS
Marcha de André Filho
Gravada por Sônia Carvalho
Disco Odeon 11.176-A, matriz 4918
Gravado em 21 de setembro de 1934 e lançado em dezembro



ADEUS
Samba de Geraldo Decourt
Gravado por Sônia Carvalho
Acompanhamento de Benedito Lacerda e Seu Conjunto Regional
Disco Odeon 11.287-A, matriz 5160
Gravado em 19 de setembro de 1935 e lançado em dezembro




A INFELICIDADE ME PERSEGUE
Samba de Assis Valente
Gravado por Sônia Carvalho
Acompanhamento do Conjunto Regional RCA Victor
Disco Victor 34.014-A, matriz 80032-1
Gravado em 96 de dezembro de 1935 e lançado em janeiro de 1936



SOS
Marcha de André Filho
Gravada por Sônia Carvalho
Acompanhamento dos Diabos do Céu
Disco Victor 34.017-A, matriz 80064-1
Gravado em 30 de dezembro de 1935 e lançado em janeiro de 1936


VOCÊ QUER SE VER LIVRE DESSE MUNDO
Samba de Assis valente e Roberto Azevedo
Gravado por Sônia Carvalho
Acompanhamento do Conjunto Regional RCA Victor
Disco Victor 34.055-A, matriz 80075-1
Gravado em 06 de janeiro de 1936 e lançado em maio



EU VIVIA NO MORRO
Samba de Assis valente
Gravado por Sônia Carvalho
Acompanhamento do Conjunto Regional RCA Victor
Disco Victor 34.055-B, matriz 80076-1
Gravado em 06 de janeiro de 1936 e lançado em maio






JAYME VOGELER


JAYME VOGELER
Arquivo Nirez


Jayme da Rocha Vogeller nasceu no Rio de Janeiro em 11 de maio de 1906.

Era de uma família de artistas: filho do desenhista Jorge Vogeler; sobrinho neto do compositor e maestro Henrique Vogeler (autor de Ai, Yoyô) e tio do produtor e autor Dalton Vogeler.


Iniciou suas gravações em disco no ano de 1929. Durante a década de 1930, figurou entre os cantores populares do rádio e disco.

Deixou um bom repertório, entre sambas, marchas e canções.

Regravou a canção Amargura, de Eduardo Souto, gravada originalmente na fase mecânica por Zaíra de Oliveira; e foi ele quem primeiro gravou A Sertaneja, de Chiquinha Gonzaga e Viriato Correia, da opereta de mesmo nome, estrelada por Pepa Delgado, que fazia o papel principal, em 1915.

Jaime Vogeler faleceu no Rio de Janeiro em 07 de agosto de 1966.



BONDE ERRADO
Marcha Carnavalesca de Lamartine Babo
Gravada por Jayme Vogeler
Acompanhamento da Orquestra Copacabana
Disco Odeon 10.759-A, matriz 4115
Lançado em janeiro de 1931




ENCURTA A SAIA
Samba Carnavalesco de Júlio Casado, Almirante e João de Barro
Gravado por Jayme Vogeler
Acompanhamento da Orquestra Copacabana
Disco Odeon 10.760-B, matriz 4114
Lançado em janeiro de 1931



COPACABANA
Fox Trot de Gastão Lamounier e Domingos Barbosa
Gravado por Jayme Vogeler
Disco Odeon 10.819-A, matriz 4260
Gravado em 06 de julho de 1931 e lançado nesse mesmo ano



A SERTANEJA
Canção de Chiquinha Gonzaga e Viriato Correia
Gravada por Jayme Vogeler
Acompanhamento da Orquestra Copacabana
Disco Odeon 10.912-A, matriz 4428
Gravado em 06 de abril de 1932 e lançado nesse mesmo ano



EU JÁ CHOREI
Samba de Pedro Cabral e Dan Málio Carneiro
Gravado por Jayme Vogeler
Acompanhamento da Orquestra Copacabana
Disco Odeon 10.918-A, matriz 4442
Gravado em 20 de maio de 1932 e lançado nesse mesmo ano



AMARGURA
Canção de Eduardo Souto
Gravada por Jayme Vogeler
Acompanhamento da Orquestra Copacabana
Disco Odeon 10.944-A, matriz 4511
Gravado em 26 de setembro de 1932 e lançado em janeiro/fevereiro de 1933




ZEZINHO (JOSÉ CARIOCA)


ZÉ CARIOCA
O Malho, 1936
http://memoria.bn.br/


José do Patrocínio Oliveira nasceu em Jundiaí (SP), em 11 de fevereiro de 1904. Tocava violão, cavaquinho e banjo.

No final da década de 1920 e início da década de 1930, Zezinho, como era conhecido, acompanhou vários artistas em gravações Columbia, como Elsie Houston, Stefana de Macedo, Batista Júnior e Januário de Oliveira.

Em 1931, passou a atuar na Orquestra Columbia, que era dirigida pelo maestro Gaó, apresentando-se na Rádio Cruzeiro do Sul.

Em 1932, por intermédio do locutor César Ladeira, foi para o Rio de Janeiro, atuando na Rádio Mayrink Veiga, trabalhando também ao lado de grandes artistas, como Garoto e Pixinguinha.


O Malho, 1936
http://memoria.bn.br/

Quando César Ladeira passou a ser o diretor artístico do Cassino da Urca, levou Zezinho para atuar no famoso cassino. Aí, ele conheceu Carmen Miranda, que era a estrela da Urca, em 1939. Pouco depois, Zezinho embarcou com a Orquestra de Romeu Silva para os EUA, para atuar no Pavilhão Brasileiro da Feira de Amostras, em Nova York (1939).

Nesse mesmo ano de 1939, em maio, Carmen Miranda embarcava para os EUA, onde seguiria com uma vitoriosa carreira internacional. Zezinho, também conhecido como José Carioca, atuaria como músico no primeiro filme de Carmen na Fox, Serenata Tropical (1940).

Em 1941, José Carioca assinou um contrato com a 20th Century Fox, passando a atuar ao lado de Carmen Miranda e do Bando da Lua em vários filmes.

Nessa época, ele conheceu Walt Disney através de Aloysio de Oliveira, passando a dublar personagens de desenhos animados. Esse contato fez com que Walt Disney se inspirasse em José Carioca para criar o famoso papagaio Zé Carioca, símbolo do bom malandro brasileiro. O personagem Zé Carioca estrearia nas telas em 1944, no filme Você Já Foi à Bahia?, onde o Pato Donald o apresentava à Bahia e a uma formosa Yayá, interpretada por Aurora Miranda, que cantava Os Quindins de Yayá, de Ary Barroso. Foi a primeira vez em que humanos contracenaram com desenho animado.

A partir de então, Zezinho passou a ser conhecido como Zé Carioca.

Ele ficaria nos EUA trabalhando para a Disney produções e atuando como músico, mas voltava para visitar o Brasil em várias ocasiões, alternando residência nos EUA e no Brasil (ficando seis meses em cada país).

José Carioca faleceu em Los Angeles (EUA), em 22 de fevereiro de 1987, pouco depois de completar 83 anos de idade.


Músicas acompanhadas por Zezinho


AZULÃO
Canção de Hekel Tavares e Luiz Peixoto
Gravada por Paraguassú
Acompanhamento de Hekel, Zezinho, Petit e Sampaio
Disco Columbia 5.141-B, matriz 380474-1
Lançado em fevereiro de 1930



DENGOSO

Choro de João Pernambuco

Gravado por João Pernambuco
Acompanhamento de Zezinho ao Violão
Disco Columbia 5.178-B, matriz 380577
Gravado em 27 de janeiro de 1930 e lançado em março de 1930




QUADRILHA DO PÉ ESPAIADO
Cômico de Batista Júnior
Gravado por Batista Júnior
Acompanhamento de Gaó, Jonas e Zezinho
Disco Columbia 5.181-B, matriz 380594
Gravado em dezembro de 1929 e lançado em março de 1930



MACUMBAGELÊ
Samba de J. da Paulicéa e Lilico Leal
Gravado por Elsie Houston
Acompanhamento de Gaó, Zezinho e Petit
Disco Columbia 5.182-B, matriz 380606-1
Lançado em março de 1930



O RETRATO DA MULHER QUE A GENTE GOSTA
Samba de José Francisco de Freitas
Gravado por Januário de Oliveira
Acompanhamento de Gaó, Jonas, Petit, Zezinho, Sutte e Grany
Disco Columbia 5.185-B, matriz 380611
Lançado em março de 1930



OH CHIQUINHA

Samba de Amélia Brandão Nery

Gravado por Jararaca
Acompanhamento de Gaó, Jonas e Zezinho
Disco Columbia 7.011-B, matriz 380769
Setembro de 1930



LÁ VEM...
Embolada de Jararaca (José Luiz Calazans)
Gravada por Jararaca
Acompanhamento de Gaó, Jonas e Zezinho
Disco Columbia 7.025-B, matriz 380750
Lançado em outubro de 1930



CASA DE FARINHA
Cantiga de Amélia Brandão Nery
Gravada por Stefana de Macedo
Acompanhamento de Gaó, Zezinho, Chaves e Napoleão
Disco Columbia 7.032-B, matriz 380809
Lançado em outubro de 1930






JOSÉ MARIA DE ABREU


JOSÉ MARIA DE ABREU
Arquivo Nirez


José Maria de Abreu foi compositor, instrumentista e regente, tendo nascido em Jacareí (SP), em 07 de fevereiro de 1911, e falecido no Rio de Janeiro em 11 de maio de 1966.

Foi um de nossos mais inspirados compositores, deixando verdadeiras pérolas musicais para a posteridade, como a linda valsa Boa Noite, Amor, em parceria com Francisco Matoso, que Francisco Alves imortalizou.


Outros grandes intérpretes também registraram suas composições, como a bonita valsa em parceria com Carlos Rego Barros de Souza, Meu Destino, gravada por Januário de Oliveira.


CASTIGO
Samba de José Maria de Abreu
Gravado por Januário de Oliveira
Acompanhamento de Orquestra
Disco Columbia 5.104-B, matriz 380294-1
Lançado em outubro de 1929


FEITIÇO
Canção de José Maria de Abreu
Gravada por Castro Barbosa
Acompanhamento da Orquestra Odeon
Disco Odeon 11.063-A, matriz 4716
Gravado em 31 de agosto de 1933 e lançado em outubro de 1933



E NÃO VOLTOU

Marcha de José Maria de Abreu

Gravada por Gastão Formenti
Acompanhamento dos Diabos do Céu, sob a direção de Pixinguinha
Disco Victor 33.886-B, matriz 79790-1
Gravado em 23 de novembro de 1934 e lançado em janeiro de 1935



MEU DESTINO
Valsa de José Maria de Abreu e Carlos Rego Barros de Souza
Gravada por Januário de Oliveira
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira
Disco Victor 33.919-B, matriz 79728-2
Gravado em 12 de outubro de 1934 e lançado em abril de 1935




INGRATIDÃO
Samba de José Maria de Abreu e Carlos Rego Barros de Souza
Gravado por Aracy de Almeida
Acompanhamento dos Diabos do Céu
Disco Victor 34.027-A, matriz 80065-1
Gravado em 30 de dezembro de 1935 e lançado em fevereiro de 1936



BOA NOITE AMOR
Valsa de José Maria de Abreu e Francisco Matoso
Gravada por Francisco Alves
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira
Disco Victor 34.052-A, matriz 80111-1
Gravado em 03 de abril de 1936 e lançado em maio de 1936














Agradecimento ao Arquivo Nirez










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...