Páginas

Translate

sexta-feira, 26 de junho de 2020

EFEMÉRIDES DE 26 DE JUNHO: SERRINHA E BIDU REIS


SERRINHA E BIDU REIS


A data de hoje, 26 de junho, marca o nascimento ou falecimento dos seguintes artistas: SERRINHA e BIDU REIS.





SERRINHA

SERRINHA
Revista do Disco, 1954.
http://memoria.bn.br


Antenor Serra nasceu em Botucatu (SP), em 26 de junho de 1917.
Era sobrinho de Raul Torres, um dos pioneiros da música sertaneja.

Serrinha aprendeu a tocar viola com Lopinho, um famoso violeiro de sua cidade natal. Aos 15 anos já participava de serenatas e tocava em festas. Com 18 anos, passou a trabalhar na Estrada de Ferro Sorocabana, onde o tio Raul Torres também trabalhava.

Em 1936, Raul Torres o convidou para o acompanhar como segunda voz em seus shows e apresentações na Rádio Cosmo. A primeira gravação da dupla Raul Torres e Serrinha aconteceu em 1937, quando eles gravaram a moda de viola A Cigana, de Raul Torres, na Victor. Ainda em 1937, gravaram outras duas modas de viola: Cidade de Campinas, de Raul Torres, em homenagem ao compositor Carlos Gomes; e Ouro Branco, de Raul Torres e João Pacífico.

A dupla se firmou no gosto popular, gravando vários discos, inclusive com composições de Cornélio Pires, o pioneiro na divulgação das modas de viola. Em 1940, a dupla gravou o sucesso Moda da Pinga, de Cunha Jr, uma moda de viola. Em 1942 a dupla se desfez e Serrinha passou a fazer uma nova dupla com Marino Rabelo, o Caboclinho.


Raul Torres e Serrinha


Revista do Disco, 1953.
http://memoria.bn.br

Serrinha e Caboclinho gravaram seu primeiro disco em 1943, interpretando a moda de viola Fui nascido pra vancê, e o recortado Recortando, ambas de Serrinha. Os dois seriam premiados na Rádio Excelsior, no programa A Hora da Peneira. Serrinha passou a desenvolver mais sua capacidade como compositor, o que não acontecia ao lado do tio Raul Torres, este também um grande compositor.

Em 1946, Serrinha e Caboclinho gravaram um dos maiores clássicos da música sertaneja, a toada Chitãozinho e Xororó, que décadas depois daria nome a uma famosa dupla de cantores sertanejos da nova geração.

A dupla Serrinha e Caboclinho só se desfez em 1958, com a morte de Caboclinho. Serrinha ainda faria dupla com Zé do Rancho a partir de 1958, ou um trio de muito sucesso ao lado de Rielinho e Zé do Rancho.

Ao lado de seu tio Raul Torres, Serrinha é considerado responsável pela introdução do uso do violão nas duplas caipiras.

Serrinha faleceu em Botucatu (SP), em 19 de agosto de 1978, aos 61 anos de idade.


RAUL TORRES E SERRINHA


A CIGANA
Moda de Viola de Raul Torres
Gravada por Raul Torres e Serrinha
Acompanhamento de Viola
Disco Victor 34.196-A, matriz 80426-1
Gravado em 31 de maio de 1937 e lançado em agosto de 1937



CIDADE DE CAMPINAS
Moda de Viola de Raul Torres
Gravada por Raul Torres e Serrinha
Acompanhamento de Viola
Disco Victor 34.210-A, matriz 80431-1
Gravado em 31 de maio de 1937 e lançado em setembro de 1937



OURO BRANCO
Moda de Viola de Raul Torres e João Pacífico
Gravada por Raul Torres e Serrinha
Acompanhamento de Viola
Disco Victor 34.211-A, matriz 80427-1
Gravado em 31 de maio de 1937 e lançado em setembro de 1937




BOIADA CUIABANA
Moda de Viola de Raul Torres
Gravada por Raul Torres e Serrinha
Acompanhamento de Viola
Disco Victor 34.317-A, matriz 80730-1
Gravado em 07 de abril de 1938 e lançado em maio de 1938



MODA DA PINGA
Moda de Viola de Cunha Jr.
Gravada por Raul Torres e Serrinha
Acompanhamento de Violas
Disco Victor 34.638-A, matriz 33406-1
Gravado em 25 de abril de 1940 e lançado em agosto de 1940



SERRINHA E CABOCLINHO


 FUI NASCIDO PRA VANCÊ
Moda de Viola de Serrinha
Gravada por Serrinha e Caboclinho
Acompanhamento de Viola
Disco Odeon 12.316-A, matriz 7263
Gravado em 19 de abril de 1943 e lançado em junho de 1943



RECORTANDO
Recortado de Serrinha
Gravado por Serrinha e Caboclinho
Acompanhamento de Rogério Guimarães ao Violão
Disco Odeon 12.316-B, matriz 7261
Gravado em 19 de abril de 1943 e lançado em junho de 1943



RECORDANDO BOTUCATU
Valsa de Serrinha
Gravada por Serrinha e Caboclinho
Acompanhamento de Viola
Disco Odeon 12.407-B, matriz 7260
Gravado em 19 de abril de 1943 e lançado em janeiro de 1944



FELICIDADE DE CABOCLO
Toada de Serrinha e Rielinho
Gravada por Serrinha e Caboclinho
Acompanhamento de Osvaldo Rieli (Rielinho) ao Acordeon
Disco Odeon 12.684-A, matriz 7820
Gravado em 07 de maio de 1945 e lançado em março de 1946



CHITÃOZINHO E CHORORÓ
Toada de Serrinha e Atos Campos
Gravada por Serrinha e Caboclinho
Acompanhamento de Rogério Guimarães e Artur
Disco Odeon 12.747-A, matriz 7990
Gravado em 24 de janeiro de 1946 e lançado em janeiro de 1947






BIDU REIS

BIDU REIS em 1951
Revista Carioca
http://brazilianpop-30-40-50.blogspot.com.br

 Nascida Edila Luísa Reis em 05 de março de 1920, no Rio de Janeiro, seguiu carreira artística com o nome de Bidu Reis.

Além de cantora e compositora, era poetisa, pianista e radio atriz.

Em 1942, participou da formação original do grupo As Três Marias, ao lado de Marília Batista e Salomé Cotelli. O grupo foi formado na Rádio Nacional por seu diretor artístico José Mauro.

O primeiro disco gravado pelo grupo foi ainda em 1942, acompanhando a cantora Linda Batista no samba canção Bom Dia, de Herivelto Martins e Aldo Cabral, e no samba Aula de Música, de Haroldo Barbosa e Herivelto Martins.

Em 1943, acompanhariam Francisco Alves e participaram, cantando, do filme É Proibido Sonhar, de Moacir Fenelon. Acompanhariam ainda Roberto Paiva, Nilo Sérgio e Albertinho Fortuna. Em 1945, Bidu saiu do grupo para cantar na Rádio Globo e na Orquestra Tabajara, de Severino Araújo.

Gravou três discos solo: Não me fale em Pretoria, marcha de Fernando Lobo e Nestor de Holanda (1951); Adeus, minha gente, baião de Alcir Pires Vermelho e Gilvan Chaves (1955); e o samba Sozinha, de sua autoria e José Bastos, com acompanhamento de Radamés Gnatalli e seu conjunto (1955).

Como compositora, teve obras gravadas, como: Qu´est que tu pense, samba gravado pelo conjunto vocal Os Cariocas (1955); Quatro histórias diferentes, samba em parceria com Dora Lopes, gravado pelo grupo Quatro Estrelas (1956); É Natal, canção em parceria com Arsênio de Carvalho, gravada por Emilinha Borba (1956); Interesseira, bolero em parceria com Murilo Latini, gravada pelo grupo Os Sinuelos (1957). Esse bolero seria ainda gravado pelo grupo Os Seresteiros e também por Jairo Aguiar(1958) e seria um grande sucesso na gravação de Anísio Silva. Em 1960, Lúcio Alves gravaria Festa de Luz, em parceria com Murilo Latino, que seria gravado depois por Dilu Melo.

Seu maior sucesso foi Bar da Noite, em parceria com Haroldo Barbosa e gravado por Nora Ney em 1953. Essa música é considerada um dos clássicos mais significativos do samba-canção. Também seria sucesso na voz de Creusa Cunha, em gravação Mocambo de 1957.

Bidu Reis também escreveu livros, sendo autora da história infantil A inteligência dos animais, que foi adaptada ao rádio na década de 1960, e foi publicada em 1966 como livro pela Editora Sette Letras.

Em 2003, Marion Duarte gravou Folhas Mortas, sua música em parceria com Motta Vieira. Bidu escreveu a apresentação para o CD de Marion, Fonte de energia.

Sempre ativa, ela pertenceu à União Brasileira de Compositores, foi uma das diretoras da Associação Defensora dos Direitos dos Fonomecânicos e, em 2000, era também presidente da Associação das Donas de Casa da zona norte da cidade do Rio de Janeiro.

Bidu Reis faleceu no Rio de Janeiro, em 26 de junho de 2011, aos 91 anos.



Gravações de Bidu Reis no grupo As Três Marias

BOM DIA
Samba de Herivelto Martins e Aldo Cabral
Gravado por Linda Batista e As Três Marias
Acompanhamento de Passos e Sua Orquestra
Disco Victor 34.962-A, matriz S-052569
Gravado em 02 de julho de 1942 e lançado em setembro





AULA DE MÚSICA
Samba de Haroldo Barbosa e Herivelto Martins
Gravado por Linda Batista e As Três Marias
Acompanhamento de Passos e Sua Orquestra
Disco Victor 34.962-B, matriz S-052568
Gravado em 02 de julho de 1942 e lançado em setembro



Gravações de Bidu Reis como cantora


NÃO ME FALE EM PRETORIA
Marcha de Fernando Lobo e Nestor de Holanda
Gravada por Bidu Reis
Acompanhamento de Geraldo Medeiros e Seu Conjunto
Disco Carnaval 046-B, matriz CA-046-B
Lançado em 1951




ADEUS MINHA GENTE
Baião de Alcir Pires Vermelho e Gilvan Chaves
Gravado por Bidu Reis
Acompanhamento de Vero e Seu Conjunto
Disco Continental 17.162-A, matriz C-3612
Gravado em 11 de abril de 1955 e lançado em outubro




SOZINHA
Samba de José Bastos e Bidu Reis

Gravado por Bidu Reis
Acompanhamento de Vero e Seu Conjunto
Disco Continental 17.162-B, matriz C-3613
Gravado em 11 de abril de 1955 e lançado em outubro





Gravações de composições de Bidu Reis


QU´EST CE QUE TU PENSE
Samba de Haroldo Barbosa e Bidu Reis
Gravado pelos Cariocas
Acompanhamento de Conjunto
Disco Continental 17.093-B, matriz C-3409
Gravado em 09 de junho de 1954 e lançado em março de 1955




QUATRO HISTÓRIAS DIFERENTES
Samba de Bidu Reis e Dora Lopes
Gravado por Quatro Estrelas
Disco Continental 17.277-A, matriz C-3782
Gravado em março de 1956 e lançado em abril/maio desse ano



É NATAL
Canção de Arsênio de Carvalho e Bidu Reis
Gravada por Emilinha Borba
Acompanhamento de Severino Araújo e Sua Orquestra Tabajara
Disco Continental 17.367-B, matriz C-3932
Gravado em 1956 e lançado em novembro/dezembro desse ano





INTERESSEIRA
Bolero de Bidu Reis e Murilo Latini
Gravado por Anísio Silva
Disco Odeon 14.327, matriz RIO-12427
Gravado em 02 de abril de 1958 e lançado em agosto






BAR DA NOITE
Samba de Bidu Reis e Haroldo Barbosa
Gravado por Nora Ney
Acompanhamento de Vero e Seu Conjunto
Disco Continental 16.787-A, matriz C-3147
Gravado em 12 de junho de 1953 e lançado em julho/agosto desse ano




BAR DA NOITE
Samba Canção de Bidu Reis e Haroldo Barbosa
Gravado por Creusa Cunha
Acompanhamento da Orquestra Mocambo
Disco Mocambo 15.174-A, matriz R-854

Lançado em 1957















Agradecimento ao Arquivo Nirez










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...