segunda-feira, 15 de junho de 2020

RELEMBRANDO O GRANDE MESQUITINHA





Um dos maiores nomes do nosso teatro e cinema foi, sem dúvidas, o ator Olympio Bastos, mais conhecido como Mesquitinha.


Nascido em Lisboa (Portugal), em 19 de abril de 1902, pertencia a uma família de atores e veio ao Brasil em 1907 na companhia dos atores Olympio Mesquita e Maria de La Salette, seus padrinhos. Passaram a viver em São Paulo.

Aos oito anos estreou em São Paulo, atuando na Companhia Arruda, interpretando o papel de Pirralho na revista musical A Grande Fita. Seu nome artístico, Mesquitinha, veio do sobrenome de seu padrinho.

Com vinte anos foi para o Rio de Janeiro, atuando no teatro musicado e em comédias. 


MESQUITINHA
A Noite Illustrada, 1930
Arquivo Nirez

Trabalhou com grandes nomes do teatro de revista como Margarida Max e Aracy Côrtes, logo fixando o seu no mesmo patamar.

No rádio, fez sucesso na Rádio Nacional, apresentando o programa humorístico Casa de Doidos, além de atuar como rádio ator.


GUY MARTINELLI, MESQUITINHA e MARGARIDA MAX.
O Cruzeiro, 1936.
http://memoria.bn.br/



MESQUITINHA e MARGARIDA MAX
O Cruzeiro, 1936.
http://memoria.bn.br/



MESQUITINHA e MARIA COSTA
O Cruzeiro, 1936.
http://memoria.bn.br/

Atuou em diversos filmes, entre musicais e comédias, como Estudantes, de 1935, ao lado de Carmen Miranda e Barbosa Junior.

Em 1936, estreou como diretor no filme João Ninguém, que apresentou a primeira sequência colorida do cinema brasileiro. Em 1952, ele se destacaria no filme Simão, o Caolho, dirigido por Alberto Cavalcanti.


Mesquitinha em João Ninguém, 1936.
Carioca, 1936.
Arquivo Nirez


Plácido Ferreira e Mesquitinha em João Ninguém, 1936.
Carioca, 1936.
Arquivo Nirez

Chegou a naturalizar-se brasileiro e dirigiu a Companhia de Comédias Mesquitinha.

No disco, fez seis gravações entre 1930 e 1931 (quatro na Odeon e duas na Victor), em três discos.

Mesquitinha faleceu em 10 de junho de 1956, no Rio de Janeiro.



MESQUITINHA
Carioca, 1936.
Arquivo Nirez




Recortes sobre Mesquitinha 


Carioca, 1936










A Noite, 11 de junho de 1956, p.01





A Noite, 12 de junho de 1956, p.01





A Noite, 12 de junho de 1956, p.02





Correio da Manhã, 12 de junho de 1956, p.15






Diário Carioca, 12 de junho de 1956, p.01











Diário de Notícias, 12 de junho de 1956, p.16 e 17










 Gravações de Mesquitinha



EU FICO É COM O CAVANHAQUE
Monólogo de Freire Junior
Gravado por Mesquitinha
Disco Odeon 10.550-A, matriz 3082
Lançado em janeiro de 1930



BEBO
Monólogo de Freire Junior
Gravado por Mesquitinha
Disco Odeon 10.550-A, matriz 3083
Lançado em janeiro de 1930



AI AI AI
Paródia de Perez Freire, Pacheco Francisco, M. Castro e H. Porto
Gravada por Mesquitinha
Acompanhamento de Kalua ao Piano
Disco Victor 33.496-A, matriz 65277-1
Gravado em 09 de novembro de 1931 e lançado em dezembro de 1931



CHEVALIER DO RECREIO
Paródia de Fain, Kahal, Norman e Marques Porto
Gravada por Mesquitinha
Acompanhamento de Kalua ao Piano
Disco Victor 33.496-B, matriz 65278-1
Gravado em 09 de novembro de 1931 e lançado em dezembro de 1931














Agradecimento ao Arquivo Nirez











Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...