terça-feira, 7 de julho de 2020

EFEMÉRIDES DE 07 DE JULHO: ARTHUR AZEVEDO, ALBÊNZIO PERRONE E LUIZ BARBOSA





A data de hoje, 07 de julho, marca o nascimento e falecimento dos seguintes artistas: ARTHUR AZEVEDO, ALBÊNZIO PERRONE e LUIZ BARBOSA.




ARTHUR AZEVEDO




ARTHUR AZEVEDO
http://ihgm1.blogspot.com

Arthur Nabantino Gonçalves de Azevedo nasceu em São Luís (MA), em 07 de julho de 1855.
Foi revistógrafos, poeta, jornalista e letrista.
Destacou-se como um dos principais nomes, senão o principal, do Teatro de Revista brasileiro, tendo sido o responsável, ao lado de Moreira Sampaio, de sua consolidação na década de 1880, no Rio de Janeiro.
Entre suas peças de sucesso estão A República, de 1890, onde a atriz Ana Manarezzi lançou o lundu de sucesso As Laranjas da Sabina; e a burleta A Capital Federal, de 1897, na qual se destacaram Pepa Ruiz e Brandão – o – Popularíssimo nos papéis principais de Lola e Euzébio.
Arthur Azevedo faleceu no Rio de Janeiro em 22 de outubro de 1908.



AS LARANJAS DA SABINA
Lundu de Arthur Azevedo
Gravado por Pepa Delgado
Disco Odeon Record 40.350, matriz RX-452
Lançado em 1906
Da Revista A República, de 1890, lançado por Ana Manarezzi






CAPITAL FEDERAL
Cançoneta de Arthur Azevedo
Gravada por Geraldo Magalhães
Acompanhamento de piano
Disco Odeon Record 40.602
Lançado em 1905
Da burleta A Capital Federal, lançada em 1897






A CAPITAL FEDERAL
Tango de Arthur Azevedo e Nicolino Milano
Gravado por Júlia Martins e João Barros
Acompanhamento de Orquestra
Disco Victor Record 98.908
Lançado em 1909
Da burleta A Capital Federal, lançada em 1897





O FAZENDEIRO
Lundu de Arthur Azevedo
Gravado por Mário Pinheiro
Disco Victor Record 99.738
Lançado em 1910

Da burleta A Capital Federal, lançada em 1897






ALBÊNZIO PERRONE

ALBÊNZIO PERRONE
Revista Carioca de 1938, Arquivo Nirez.
"Albênzio Perrone, pouca gente o sabe, é francês, nascido em Paris (sic). Parece que ser estrangeiro é uma fatalidade dos nossos artistas mais representativos, como Carmen Miranda, que é portuguesa, e Gilda de Abreu, também nascida em paris (sic). Albênzio veio para o Brasil com seis anos e aqui tornou-se um dos nossos maiores seresteiros, apesar de ter começado sua carreira como tenor de ópera. Tem inúmeras gravações Victor e Odeon. Conta com trinta e um anos, é casado e tem uma linda filhinha. pertence atualmente à Rádio Educadora".



Nascido em Marselha (França), em 01 de novembro de 1906, Albênzio Gaspare Raffaele Perrone, chegou ao Brasil em 1912. Seus pais eram italianos. 

Abandonou os estudos de Medicina para se dedicar à música.

Começou a atuar no meio artístico em 1927, como speaker na rádio Clube do Brasil (PRAB). Nessa época, o Rio de Janeiro só possuía mais uma emissora, a Rádio Sociedade Difusora (PRAA).

Ainda em 1927 gravou seu primeiro disco na Odeon, com os tangos Paraguayta, de Marcelo Tupinambá, e Pecado, de Joubert de Carvalho.

Em 1928, foi para a Rádio Educadora, onde ficou por muitos anos, conquistando cargos importantes, mas, sem abandonar a locução e também atuando como rádio-ator e cantor.

Em 1929, passou a gravar na Victor, estreando nessa gravadora com o choro Meu Bem, de Rogério Guimarães.

Foi um dos melhores intérpretes de Gastão Lamounier, tendo lançado nove músicas do compositor.

O locutor Saint-Clair Lopes o apelidou A Voz Carinhosa e Bonita.

No final da década de 1960 e início da década de 1970, foi redescoberto por Raul Marmaldo em seu programa na Rádio Rio de Janeiro, quando gravou um LP, chamado Revendo o Passado, pela Itamarati, com um repertório de valsas

Cantando árias e operetas, bem como canções napolitanas, Albênzio excursionou por vários estados brasileiros, nas várias companhias que fez parte.

Albênzio Perrone faleceu no Rio de Janeiro em 07 de julho de 1974, aos 67 anos de idade.


PARAGUAYTA
Tango de Marcello Tupynambá
Gravado por Albênzio Perrone
Disco Odeon 10.061-A, matriz 1371
Lançado em novembro de 1927




PECADO
Tango de Joubert de Carvalho
Gravado por Albênzio Perrone
Disco Odeon 10.061-B, matriz 1372
Lançado em novembro de 1927


A MORENINHA DO MEU BAIRRO
Tango Canção de Pachequinho e Augusto Santos
Gravado por Albênzio Perrone
Acompanhamento da Orquestra Rio Artists
Disco Parlophon 13.043-A, matriz 2930
Gravado em 1929 e lançado em novembro de 1929


APOTEOSE DE ESTRELAS
Valsa em parceria com Mário Rossi
Gravada por Albênzio Perrone
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira
Disco Victor 34.311-A, matriz 80709-1
Gravado em 22 de março de 1938 e lançado em maio desse mesmo ano



QUANDO O AMOR CHEGA AO FIM
Valsa em parceria com Mário Rossi
Gravada por Albênzio Perrone
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira
Disco Victor 34.311-B, matriz 80710-1
Gravado em 22 de março de 1938 e lançado em maio desse mesmo ano


VIGÍLIA DA LÂMPADA
Valsa de Mário Castelar e Gastão Lamounier
Gravada por Albênzio Perrone
Acompanhamento de Orquestra
Disco Victor 34.525-A, matriz 33194-1
Gravado em 19 de outubro de 1939 e lançado em dezembro de 1939




LUIZ BARBOSA
(1910 – 1938)

LUIZ BARBOSA
Arquivo Nirez


Luiz dos Santos Barbosa nasceu em Macaé, RJ, em 07 de julho de 1910. Fazia parte de uma família de artistas, sendo irmão do compositor Paulo Barbosa, do humorista e cantor Barbosa Júnior e do radialista Henrique Barbosa.

Sua marca registrada foi o chapéu de palha, que utilizava enquanto cantava, como instrumento rítmico.

Luiz Barbosa também foi intérprete do primeiro jingle comercial cantado no rádio brasileiro, apresentado no Programa Casé e criado por Nássara: “Oh! Padeiro desta rua!/ Tenha sempre na lembrança/ Não me traga outro pão/ Que não seja o pão Bragança”.

Sua primeira gravação se deu na Odeon em 1931, com o samba Meu Santo, de Pedro Brito, e a marcha Vem, meu bem, de Pedro Brito e Milton Amaral. Também gravou os sambas, Recordar é viver, de sua autoria, Fome não é pagode, e Não gostei de seus modos, de Getúlio Marinho e Silêncio, de Vadico.

Luiz Barbosa faleceu muito jovem, aos 28 anos, em 08 de dezembro de 1938, no Rio de Janeiro, vitimado pela tuberculose. Mas, deixou em definitivo sua marca na história de nossa Música Popular Brasileira.



MEU SANTO
Samba de Pedro Brito
Gravado por Luiz Barbosa
Acompanhamento dos Juritis da Mata
Disco Odeon 10.776-A, matriz 4141
Lançado em abril de 1931



VEM MEU BEM
Marcha de Pedro Brito, Milton Amaral e Henrique Batista
Gravada por Luiz Barbosa
Acompanhamento dos Juritis da Mata
Disco Odeon 10.776-B, matriz 4140
Lançado em abril de 1931



PEGA
Marcha de Luiz Barbosa
Gravada por Luiz Barbosa
Acompanhamento da Orquestra Copacabana
Disco Odeon 10.969-A, matriz 4578
Gravado em janeiro de 1933 e lançado em janeiro/fevereiro de 1933



SOU JOGADOR
Samba de Luiz Barbosa
Gravado por Luiz Barbosa
Acompanhamento de Gente Bamba
Disco Odeon 10.969-B, matriz 4579
Gravado em janeiro de 1933 e lançado em janeiro/fevereiro de 1933



BUMBA NO CANECO
Batucada de Getúlio Marinho e Orlando Vieira
Gravado por Luiz Barbosa
Acompanhamento da Orquestra Copacabana
Disco Odeon 10.974-A, matriz 4594
Gravado em 24 de janeiro de 1933 e lançado em janeiro/fevereiro de 1933






Agradecimento ao Arquivo Nirez







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...