sábado, 18 de julho de 2020

EFEMÉRIDES DE 18 DE JULHO: ARMANDO LOUZADA, STELINHA EGG, CAREQUINHA, JAIR AMORIM, MARINO PINTO E TITO MADI





A data de hoje, 18 de julho, marca o nascimento e falecimento dos seguintes artistas: ARMANDO LOUZADA, STELINHA EGG, CAREQUINHA, JAIR AMORIM, MARINO PINTO e TITO MADI.




ARMANDO LOUZADA


ARMANDO LOUZADA
Fon Fon, 1939
http://memoria.bn.br/


Armando Louzada foi um ator e compositor brasileiro.
Foi casado com a atriz e rádio atriz Simone Moraes e era irmão do ator Oswaldo Louzada. Armando e Oswaldo eram primos do militar Almerindo Álvaro de Moraes, casado com a atriz cantora Pepa Delgado.

Armando Louzada ficou famoso na história da MPB ao colocar célebres versos na valsa Fascinação, lançada em 1905 por Marchetti. Em 1943, a versão composta por Armando Louzada foi gravada e eternizada por Carlos Galhardo.

Armando Louzada faleceu em 18 de julho de 1988.


FASCINAÇÃO
Valsa de F. D. Marchetti e Armando Louzada
Gravada por Carlos Galhardo
Acompanhamento de Orquestra
Disco Victor 80-0069-A, matriz S-052712-1
Gravado em 04 de fevereiro de 1943 e lançado em abril de 1943



AMOREUSE
Valsa de Rodolfo Berger e Armando Louzada
Gravada por Gilberto Alves
Acompanhamento de Orquestra, sob a Direção de Celso Macedo
Disco Victor 80-0390-B, matriz S-078422-1
Gravado em 13 de fevereiro de 1946 e lançado em abril de 1946



FABLE D'AMOUR (FÁBULA DE AMOR)
Valsa Canção de Armando Louzada
Gravada por Carlos Galhardo
Acompanhamento de Lírio Panicali ao Piano e Eduardo Patané ao Violino
Disco RCA Victor 80-0530-A, matriz S-078748-1
Gravado em 18 de abril de 1947 e lançado em agosto de 1948



A MENINA DA VALSA
Valsa de Heriberto Muraro e Armando Louzada
Gravada por Odete Amaral e Fernando Barreto
Acompanhamento de Orquestra, sob a Direção de Muraro
Disco Odeon 13.155-B, matriz 8983
Gravado em 04 de maio de 1951 e lançado em agosto de 1951



ESFINGE
Valsa de Francis Popy e Armando Louzada
Gravada por Carlos Galhardo
Acompanhamento de Orquestra
Disco RCA Victor 80-0889-A, matriz S-093208
Gravado em 14 de março de 1952 e lançado em maio de 1952





STELINHA EGG


STELINHA EGG
A Scena Muda, 1944.
http://memoria.bn.br


Stella Maria Egg nasceu em Curitiba (PR), em 18 de julho de 1914. Desde cedo, recebeu influência do ambiente musical de sua família. Aos cinco anos, começou a cantar em festas da Igreja Evangélica.

Iniciou sua carreira profissional na Rádio Clube Paranaense, em Curitiba (PR). Ao vencer um concurso de melhor intérprete do folclore brasileiro, foi contratada pela Rádio Tupi de São Paulo, para onde se transferiu. Em São Paulo trabalhou na Rádio São Paulo e Rádio Cultura.

No começo da década de 1940, passou a morar no Rio de Janeiro, atuando na Rádio Tupi desta cidade, apresentando-se ao lado de Dorival Caymmi e Sílvio Caldas.

Gravou seu primeiro disco pela Continental, em 1944, registrando a toada Uma Lua no Céu… Outra Lua no Mar, de Jorge Tavares e Alaíde Tavares, e o coco Tapioquinha de Coco, de Jorge Tavares e Amirton Valim.

Em 1945, casou-se com o maestro Lindolfo Gaya, que passaria a trabalhar nos arranjos de suas músicas.

Stelinha Egg (a grafia de seu nome às vezes aparece com dois L) foi uma de nossas cantoras e pesquisadoras de folclore da segunda fase, dando continuidade ao trabalho de Elsie Houston, Helena de Magalhçaes Castro, Stefana de Macedo e Olga Praguer Coelho, as pioneiras. Era contemporânea das também pesquisadoras folclóricas e cantoras Dilú Melo e Inezita Barroso. Em 1959, Stelinha Egg foi escolhida pela revista Radiolândia como a melhor intérprete de folclore.

Stelinha Egg faleceu em Curitiba (PR), em 17 de junho de 1991, pouco antes de completar 77 anos de idade.


UMA LUA NO CÉU… OUTRA LUA NO MAR
Toada de Jorge Tavares e Alaíde Tavares
Gravada por Stellinha Egg
Acompanhamento de Rogério Guimarães e Seu Regional
Disco Continental 15.170-A, matriz 790-1
Gravado em 1944 e lançado em junho de 1944



TAPIOQUINHA DE COCO
Coco de Jorge Tavares e Amirton Valin
Gravado por Stellinha Egg
Acompanhamento de Rogério Guimarães e Seu Regional
Disco Continental 15.170-B, matriz 791-1
Gravado em 1944 e lançado em junho de 1944



LAMENTO NEGRO
Batuque de Humberto Porto e Constantino Silva (Secundino)
Gravado por Stellinha Egg
Acompanhamento da Orquestra de Gaya
Disco Sinter 141-A, matriz 141-1
Lançado em junho de 1949



TERRA SECA
Samba Canção de Ary Barroso
Gravado por Stellinha Egg
Acompanhamento da Orquestra de Gaya
Disco Sinter 141-B, matriz 141-2
Lançado em junho de 1949



PREGÃO
Baião popular, adaptação de Lindolfo Gaia
Gravado por Stellinha Egg
Acompanhamento de Orquestra
Disco RCA Victor 80-0771-A, matriz 092917
Gravado em 29 de março de 1951 e lançado em junho de 1951





CAREQUINHA


CAREQUINHA
Radiolândia, 1954
http://memoria.bn.br/


George Savalla Gomes nasceu em Carangola (MG), em 18 de julho de 1915. Era filho e neto de artistas circenses.

Começou sua carreira no circo aos cinco anos de idade e em 1938 estreou como cantor na Rádio Mayrink Veiga do Rio de Janeiro.

Em 1950, começou a trabalhar na recém-inaugurada TV Tupi. Formou uma dupla de palhaços com Fred (Fred Villar) no programa Circo do Carequinha, que foi pioneiro no circo na televisão brasileira e de programas infantis ao vivo. O programa ficou no ar por 16 anos.

Carequinha foi artista de circo, cantor e compositor, sendo um de nossos mais conhecidos e queridos Palhaços.

Carequinha faleceu no Rio de Janeiro, em 05 de abril de 2006, aos 90 anos de idade.


FANZOCA DE RÁDIO
Marcha de Miguel Gustavo
Gravada por Carequinha
Acompanhamento de Altamiro Carrilho e Seus Carnavalescos
Disco Copacabana 5.845-A, matriz M-2060
Gravado em 1957 e lançado em novembro de 1957



O PREÇO DA GRIPE
Marcha de Altamiro Carrilho e Miguel Gustavo
Gravada por Carequinha
Acompanhamento de Altamiro Carrilho e Seus Carnavalescos
Disco Copacabana 5.845-B, matriz M-2059
Gravado em 1957 e lançado em novembro de 1957



BRABULETAS DE BRASÍLIA
Marcha de Altamiro Carrilho, Miguel Gustavo e Carrapicho
Gravada por Carequinha
Acompanhamento de Altamiro Carrilho e Seus Carnavalescos
Disco Copacabana 5.969-A, matriz M-2340
Lançado em dezembro de 1958



O BOM MENINO
Fox de Irani de Oliveira e Altamiro Carrilho
Gravado por Carequinha & Coro Infantil do Lar da Glória
Acompanhamento de Altamiro Carrilho e Sua Bandinha
Disco Copacabana 6.106, matriz M-2637
Lançado em julho/agosto de 1960



SALVE PAPAI NOEL
Marcha de Mirabeau e Carequinha
Gravada por Carequinha
Acompanhamento da Bandinha de Altamiro Carrilho e Coro Infantil
Disco Copacabana 6.317, matriz M-3127
Lançado em novembro de 1961




JAIR AMORIM


JAIR AMORIM
A Scena Muda, 1942.
http://memoria.bn.br


Jair Pedrinha de Carvalho Amorim nasceu em Santa Leopoldina (ES), em 18 de julho de 1915. Também foi jornalista, locutor e disc-jóquei.

Ainda em Vitória (ES), Jair Amorim já fazia letras para marchinhas de blocos carnavalescos locais.

Quando passou a morar no Rio de Janeiro, atuando na Rádio Clube do Brasil, conheceu o compositor José Maria de Abreu, de quem tornou-se amigo.

Fez uma das versões brasileiras do fox Maria Elena, de Lorenzo Barcelata, gravada na Columbia por Lenita Bruno em 1942.

Ao longo dos anos 40 e 50 esteve em parcerias antológicas com José Maria de Abreu, Evaldo Rui, Valdemar de Abreu (Dunga), entre outros, lançado sucessos como ConceiçãoAlguém como TuAlguém me Disse …

Jair Amorim faleceu em São José dos Campos (SP), em 15 de outubro de 1993, aos 78 anos de idade.


MARIA ELENA
Fox de Russel, Barcelata e Jair Amorim
Gravado por Lenita Bruno
Acompanhamento de Chiquinho e Seu Ritmo
Disco Columbia 55.377-B, matriz 552
Lançado em outubro de 1942



ADEUS AMOR
Valsa de José Maria de Abreu e Jair Amorim
Gravada por Moraes Neto
Acompanhamento da Orquestra Odeon, sob a direção de Lírio Panicali
Disco Odeon 12.469-A, matriz 7503
Gravado em 22 de março de 1944 e lançado em julho de 1944



BISAREI ESTA CANÇÃO
Fox Canção de José Maria de Abreu e Jair Amorim
Gravado por Moraes Neto
Acompanhamento da Orquestra Odeon, sob a direção de Fon Fon
Disco Odeon 12.469-B, matriz 7253
Gravado em 15 de abril de 1943 e lançado em julho de 1944



BRIGAMOS OUTRA VEZ
Fox Canção de José Maria de Abreu e Jair Amorim
Gravado por Orlando Silva
Acompanhamento de Fon Fon e Sua Orquestra
Disco Odeon 12.621-B, matriz 7882
Gravado em 24 de julho de 1945 e lançado em setembro de 1945



NANÁ
Fox Trot de José Maria de Abreu e Jair Amorim
Gravado por Déo
Acompanhamento de Conjunto
Disco Continental 15.571-A, matriz 1343-1
Lançado em dezembro de 1945






MARINO PINTO


MARINO PINTO
http://memoria.bn.br/


Filho do violonista e cantor amador Diogo Feliciano Pinto e de Maria Madureira Pinto, Marino do Espírito Santo Pinto nasceu em Bom Jardim, RJ, a 18 de julho de 1916.

Escreveu sua primeira composição, Ilka, aos onze anos de idade, dedicada a uma namorada. Com treze anos passou a frequentar aos domingos a Rádio Philips, tornando-se admirador do cantor Sílvio Caldas.  Mesmo aprovado, em 1934, no curso de Direito, não o concluiu, dedicando-se ao Jornalismo. Inicialmente, trabalhou no jornal Avante, tendo como secretário o letrista Jorge Faraj.

Depois, trabalhou em jornais como A pátriaA Nação, fundou O mundoA nota, e trabalhou nas sucursais das Folhas da Manhã e da Noite de São Paulo.

Iniciou sua carreira de compositor em 1938, a princípio apenas como letrista.

Abandonaria o jornalismo em 1943, empregando-se no comércio, sendo gerente da Casa Waldeck. Nesse emprego, teve como companheiros os então vendedores Haroldo Lobo e Milton de Oliveira.

Em 1945, deixa o emprego e passa a se dedicar à carreira artística. Em 1946, ao lado de um grupo de compositores, fundou a Sbacem (Sociedade Brasileira de Autores, Compositores e Escritores de Música).

Em 1951, Getúlio Vargas o nomeou censor no departamento Federal de Segurança Pública, cargo que manteve pelo resto da vida. Em 1957, foi presidente do conselho deliberativo da Sbacem, sendo eleito em 1959, conselheiro vitalício e um ano mais tarde, presidente da entidade, tendo sido reeleito em 1962 e 1964. Em 1959, casou-se com Zaíra Ferreira.

Marino Pinto faleceu no Rio de Janeiro, RJ, em 28 de janeiro de 1965.



FALE MAL... MAS FALE DE MIM
Samba em parceria com Ataulfo Alves
Gravado por Aracy de Almeida
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 34.503-B, matriz 33141-1
Gravado em 18 de agosto de 1939 e lançado em novembro

  

DEUS NO CÉU E ELA NA TERRA
Samba em parceria com Wilson Batista
Gravado por Carlos Galhardo
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 34.643-B, matriz 33443-1
Gravado em 14 de junho de 1940 e lançado em agosto



PRECONCEITO
Samba em parceria com Wilson Batista
Gravado por Orlando Silva
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 34.817-A, matriz S-052282
Gravado em 28 de julho de 1941 e lançado em outubro



AOS PÉS DA CRUZ
Samba em parceria com José Gonçalves
Gravado por Orlando Silva
Acompanhamento de Passos e Sua orquestra
Disco Victor 34.880-A, matriz S-052454
Gravado em 15 de janeiro de 1942 e lançado em março



SEGREDO
Samba em parceria com Herivelto Martins
Gravado por Dalva de Oliveira
Acompanhamento da Orquestra odeon
Disco Odeon 12.792-A, matriz 8218
Gravado em 06 de maio de 1947 e lançado em julho




TITO MADI


TITO MADI
Radiolândia, 1956
http://memoria.bn.br/


Chauki Maddi nasceu em Pirajuí (SP), em 18 de julho de 1929.

Como Tito Madi, foi um cantor e compositor brasileiro.

Iniciou sua carreira em 1952, como cantor da Rádio Tupi de São Paulo.

Sua primeira composição gravada aconteceu em 1953, a valsa Eu e Você, sendo registrada em disco pelo grupo vocal Os Quatro Amigos, pela Odeon, e que ele gravaria no ano seguinte com Célia Simone.

Em 1954, Tito Madi gravou com o Trio Tupi seu primeiro disco, na Continental, trazendo o samba canção Pirajuí e o samba Não Diga Não, este, um clássico. Ambas as músicas em parceria com George Henry.

Entre seus grandes sucessos está Chove lá Fora, de 1957, que ele mesmo gravou na Continental, sendo acompanhado pela orquestra de Radamés Gnattali. Pelo disco, que trazia também o samba canção Gauchinha Bem Querer, Tito Madi recebeu a medalha dos Diários Associados, a medalha da Revista do rádio, que foi entregue pelo presidente Juscelino Kubitscheck e o Disco de Ouro do jornal O Globo, entre outros prêmios.

Tito Madi faleceu no Rio de Janeiro em 26 de setembro de 2018.



PIRAJUÍ
Samba Canção de Tito Madi e Georges Henry
Gravado por Tito Madi e o Trio Tupi
Acompanhamento de Anthony Sergi e Sua Orquestra
Disco Continental 16.983-A, matriz 11652
Gravado em 04 de junho de 1954 e lançado em junho/julho de 1954



NÃO DIGA NÃO
Samba de Tito Madi e Georges Henri
Gravado por Tito Madi e Trio Tupi
Disco Continental 16.983-B, matriz 11652
Gravado em 04 de junho de 1954 e lançado em junho/julho de 1954




EU E VOCÊ
Valsa de Tito Madi
Gravada por Tito Madi e Célia Simone
Acompanhamento de Anthony Sergi e Sua Orquestra
Disco Continental 17.043-A, matriz 11702
Gravado em 15 de outubro de 1954 e lançado em janeiro de 1955



FAZ TANTO TEMPO
Samba de Tito Madi
Gravado por Tito Madi e Juanita Cavalcanti
Acompanhamento de Poly e Seu Conjunto
Disco Continental 17.139-A, matriz 11730
Gravado em 27 de abril de 1955 e lançado em agosto/setembro de 1955



CHOVE LÁ FORA
Valsa de Tito Madi
Gravada por Tito Madi
Acompanhamento de Radamés Gnattali e Sua Orquestra
Disco Continental 17.416-A, matriz C-3917
Gravado em 10 de setembro de 1956 e lançado em março/abril de 1957














Agradecimento ao Arquivo Nirez










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...