sexta-feira, 26 de outubro de 2018

ARNALDO MEIRELLES - 105 ANOS

ARNALDO MEIRELLES
Revista Carioca, 1938.
http://memoria.bn.br


Há 105 anos nascia o compositor, instrumentista e acordeonista ARNALDO MEIRELLES.

Arnaldo Meirelles nasceu em São Paulo, em 26 de outubro de 1913.

Ao lado de Cobrinha, Mariano e Laureano formou o Quarteto da Saudade.

Gravou seu primeiro disco em 1931, na Parlophon, com as músicas de sua autoria, Aguente, Genésio, marcha, e Saudades de Pindurassaia, valsa.

Durante a década de 1930 e início da de 1940, gravou várias músicas em estilos que iam de valsas a rancheiras, passando por xotes e mazurcas.

Em 1938 a revista Carioca publicou uma reportagem sobre Arnaldo Meirelles, intitulando-o como o mais querido e popular tocador de harmônica de São Paulo, descrevendo-o como “um rapaz alegre e folgazão para quem tudo está bom e não podia estar melhor”, sendo otimista “até debaixo dagua (sic)”.

Na ocasião, Meirelles estava muito satisfeito com a nova harmônica vinda da Alemanha, que ele mandou construir: “Minha nova harmonica é uma coisa louca... É o mais recente instrumento no genero e tem uma infinidade de recursos, registos e som quasi (sic) semelhante ao do orgão. Além disso, é de rara beleza e ostenta o meu nome gravado no frontispicio. Com uma sanfona destas qualquer um ficava satisfeito da vida...”.

Arnaldo Meirelles afirmava que nunca tivera professor de harmônica, tendo aprendido sozinho a tocar o instrumento, que passou a dominar aos 14 anos de idade. Também tocava violão, cavaquinho e bandolim.

Começou a tocar no broadcasting em 1929, na Rádio Educadora, quando o compositor e cantor Jayme Redondo era o diretor artístico. Depois, apresentou-se na Rádio Record, Rádio Cruzeiro do Sul e Rádio São Paulo, todas na cidade de São Paulo.

Na época da reportagem, Arnaldo Meirelles estava no auge de sua carreira e tinha ido ao Rio de Janeiro gravar alguns discos.

Não soubemos se ele é falecido ou a data de sua morte.

Trago quinze gravações de Arnaldo Meirelles realizadas entre , para conhecermos o talento desse artista paulistano que tanto sucesso fez.



AGUENTE GENÉSIO
Marcha de Arnaldo Meirelles
Gravada por Arnaldo Meirelles ao acordeon
Disco Parlophon 13.283-A, matriz 3759
Lançado em março de 1931



SAUDADES DE PINDURASSAIA
Valsa de Arnaldo Meirelles
Gravada por Arnaldo Meirelles ao acordeon
Disco Parlophon 13.283-B, matriz 3760
Lançado em março de 1931



SERENATA AO LUAR
Valsa de José Maria de Abreu
Gravada por Arnaldo Meirelles ao acordeon
Disco Victor 33.674-B, matriz 65672-1
Gravado em 22 de fevereiro de 1933 e lançado em julho



ZULEICA
Valsa de Arnaldo Meirelles
Gravada por Arnaldo Meirelles ao acordeon
Disco Victor 34.209-A, matriz 80475-1
Gravado em 21 de junho de 1937 e lançado em setembro



AMELINA
Valsa de W. Bleferi
Gravada por Arnaldo Meirelles ao acordeon
Disco Victor 34.236-A, matriz 80474
Gravado em 21 de junho de 1937 e lançado em novembro



SONHO DO PASSADO
Valsa de Moacir Braga
Gravada por Arnaldo Meirelles ao acordeon
Disco Victor 34.315-A, matriz 80479-1
Gravado em 21 de junho de 1937 e lançado em maio de 1938



CASCATA DE LÁGRIMAS
Valsa de Moacir Braga
Gravada por Arnaldo Meirelles ao acordeon
Disco Victor 34.374-A, matriz 80816-1
Gravado em 04 de junho de 1938 e lançado em outubro



ÚLTIMA ESPERANÇA
Valsa de J. G. Tedesco
Gravada por Arnaldo Meirelles ao acordeon
Disco Victor 34.396-B, matriz 80818-1
Gravado em 04 de junho de 1938 e lançado em dezembro



SAUDADES DE ARARAQUARA
Valsa de Valdemar Reis
Gravada por Arnaldo Meirelles ao acordeon
Acompanhamento de Seu Conjunto
Disco Victor 34.424-A, matriz 80819-1
Gravado em 04 de junho de 1938 e lançado em abril de 1939



SOLUÇOS DE VIRGEM
Valsa de João Sepe
Gravada por Arnaldo Meirelles ao acordeon
Acompanhamento de Seu Conjunto
Disco Victor 34.588-A, matriz 33208-1
Gravado em 04 de outubro de 1939 e lançado em abril de 1940



CRUELDADE DO DESTINO
Valsa de Valdemar Reis
Gravada por Arnaldo Meirelles ao acordeon
Acompanhamento de Seu Conjunto
Disco Victor 34.617-A, matriz 33212-1
Gravado em 04 de outubro de 1939 e lançado em junho de 1940



RAPAZIADA DO RIO PRETO
Valsa de Miguel Atab Neto
Gravada por Arnaldo Meirelles ao acordeon
Acompanhamento de Seu Conjunto
Disco Victor 34.650-A, matriz 33218-1
Gravado em 04 de outubro de 1939 e lançado em setembro de 1940



ENFIM ENCONTREI O AMOR QUE QUERIA
Valsa de Arnaldo Meirelles
Gravada por Arnaldo Meirelles ao acordeon
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 34.662-A, matriz 33220-1
Gravado em 04 de outubro de 1939 e lançado em outubro de 1940



PORQUE TE QUERO TANTO
Valsa de Arnaldo Meirelles
Gravada por Arnaldo Meirelles ao acordeon
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 34.662-B, matriz 33221-1
Gravado em 04 de outubro de 1939 e lançado em outubro de 1940



QUANDO O SOL MORRE TRISTONHO
Valsa de Arnaldo Meirelles
Gravada por Arnaldo Meirelles ao acordeon
Acompanhamento de Conjunto
Disco Victor 34.932-A, matriz S-052320
Gravado em 16 de junho de 1941 e lançado em junho de 1942










Agradecimento ao Arquivo Nirez
Fontes - http://memoria.bn.br e dicionariompb.com.br










quarta-feira, 24 de outubro de 2018

DOLORES DURAN - 59 ANOS DE SAUDADE

DOLORES DURAN
http://radiobatuta.com.br


Há 59 anos falecia a cantora e compositora DOLORES DURAN.

Adiléa da Silva Rocha nasceu no Rio de Janeiro em 07 de junho de 1930.

Era filha de Josefa Silva da Rocha e Armindo José da Rocha, sendo a terceira de quatro filhos do casal. Seu pai era sargento da Marinha.

A pequena Adiléa já cantava desde os três anos de idade e, aos cinco anos, participava das festas de reisado e do grupo de pastorinhas, onde saía vestida de anjo.

Devido a morte de seu pai, sua mãe apressou sua profissionalização como cantora. Ao doze anos de idade, a garota atuava no Teatro da Tia Chiquinha, programa infantil da Rádio Tupi do Rio de Janeiro.

Aos dezesseis anos passou a adotar o nome Dolores Duran. A partir de então, apresentando-se na boate Vogue e também participando do programa de César de Alencar na Rádio Nacional, gravou seu primeiro disco em 1951, no selo Star, com os sambas Que bom será, da compositora Ailce Chaves, Salvador Miceli e Paulo Marques, e Já não interessa, de Domício da Costa e Roberto Faissal.

Ao longo da década de 1950, Dolores Duran se tornou uma das principais cantoras do país, lançando músicas de sucesso que são lembradas até hoje, como Canção da Volta, Manias, Por causa de você, A noite do meu bem e Fim de caso.

Em 1955, ela se casou com o radio ator e compositor Macedo Neto, adotando Maria Fernanda. Após três anos, o casal se separou.

Dolores Duran faleceu no Rio de Janeiro em 24 de outubro de 1959.

Para homenageá-la, trago alguns de seus sucessos, embalados por sua bonita e agradável voz.



QUE BOM SERÁ
Samba de Paulo Marques, Ailce Chaves e Salvador Miceli
Gravado por Dolores Duran
Acompanhamento do Conjunto Star
Disco Star 305-A, matriz S 305 A
Gravado em 1951 e lançado em dezembro



JÁ NÃO INTERESSA
Samba de Domício Costa e Roberto Faissal
Gravado por Dolores Duran
Acompanhamento do Conjunto Star
Disco Star 305-B, matriz S 305 B
Gravado em 1951 e lançado em dezembro



OUTONO
Samba de Billy Blanco
Gravado por Dolores Duran
Acompanhamento de Orquestra
Disco Star 349-A, matriz S 349 A
Lançado em maio/junho de 1952



UM AMOR ASSIM
Samba Canção de Dora Lopes
Gravado por Dolores Duran
Acompanhamento de Conjunto Boate
Disco Star 349-B, matriz S 349 B
Lançado em maio/junho de 1952



CANÇÃO DA VOLTA
Samba Canção de Antônio Maria e Ismael Neto
Gravado por Dolores Duran
Acompanhamento de Orquestra
Disco Copacabana 5.256-B, matriz M-821
Lançado em 1954



MANIAS
Samba Canção de Flavio Cavalcânti e Celso Cavalcânti
Gravado por Dolores Duran
Acompanhamento de Orquestra
Disco Copacabana 5.432-A, matriz M-1186
Lançado em agosto/setembro de 1955



POR CAUSA DE VOCÊ
Samba Canção de Antônio Carlos Jobim (Tom) e Dolores Duran
Gravado por Dolores Duran
Acompanhamento do Conjunto de Severino Filho
Disco Copacabana 5.877-A, matriz M-2143
Lançado em março de 1958



ESTATUTOS DE BOATE
Samba de Billy Blanco
Gravado por Dolores Duran
Acompanhamento do Conjunto de Severino Filho
Disco Copacabana 5.877-B, matriz M-2144
Lançado em março de 1958



A NOITE DO MEU BEM
Samba Canção de Dolores Duran
Gravado por Dolores Duran
Acompanhamento do Conjunto Michel
Disco Copacabana 6.069, matriz M-2551
Lançado em dezembro de 1959



FIM DE CASO
Samba Canção de Dolores Duran
Gravado por Dolores Duran
Acompanhamento do Conjunto Michel
Disco Copacabana 6.069, matriz M-2552
Lançado em dezembro de 1959










Agradecimento ao Arquivo Nirez
Fonte - dicionariompb.com.br










segunda-feira, 22 de outubro de 2018

ARTHUR AZEVEDO E PATÁPIO SILVA

A data de hoje, 22 de outubro, marca o falecimento e nascimento de dois grandes nomes de nossa cultura: ARTHUR AZEVEDO e PATÁPIO SILVA.



ARTHUR AZEVEDO
110 anos de Saudade



ARTHUR AZEVEDO
http://ihgm1.blogspot.com

Arthur Nabantino Gonçalves de Azevedo nasceu em São Luís (MA), em 07 de julho de 1855.
Foi revistógrafos, poeta, jornalista e letrista.
Destacou-se como um dos principais nomes, senão o principal, do Teatro de Revista brasileiro, tendo sido o responsável, ao lado de Moreira Sampaio, de sua consolidação na década de 1880, no Rio de Janeiro.
Entre suas peças de sucesso estão A República, de 1890, onde a atriz Ana Manarezzi lançou o lundu de sucesso As Laranjas da Sabina; e a burleta A Capital Federal, de 1897, na qual se destacaram Pepa Ruiz e Brandão – o – Popularíssimo nos papéis principais de Lola e Euzébio.
Arthur Azevedo faleceu no Rio de Janeiro em 22 de outubro de 1908.



AS LARANJAS DA SABINA
Lundu de Arthur Azevedo
Gravado por Pepa Delgado
Disco Odeon Record 40.350, matriz RX-452
Lançado em 1906
Da Revista A República, de 1890, lançado por Ana Manarezzi






CAPITAL FEDERAL
Cançoneta de Arthur Azevedo
Gravada por Geraldo Magalhães
Acompanhamento de piano
Disco Odeon Record 40.602
Lançado em 1905
Da burleta A Capital Federal, lançada em 1897






A CAPITAL FEDERAL
Tango de Arthur Azevedo e Nicolino Milano
Gravado por Júlia Martins e João Barros
Acompanhamento de Orquestra
Disco Victor Record 98.908
Lançado em 1909
Da burleta A Capital Federal, lançada em 1897





O FAZENDEIRO
Lundu de Arthur Azevedo
Gravado por Mário Pinheiro
Disco Victor Record 99.738
Lançado em 1910

Da burleta A Capital Federal, lançada em 1897





PATÁPIO SILVA
138 Anos

PATÁPIO SILVA
"Ao sympathico amigo M. Tapajós Gomes. Affectuosa lembrança do Pattapio.
S. Paulo, 14 - VII - 096"
Arquivo Nirez

Patápio Silva nasceu em Itaocara (RJ), em 22 de outubro de 1880.
Foi flautista e compositor.
Destacou-se como um de nossos melhores flautistas, tendo gravado sua obra em 1904.
Patápio Silva faleceu em Florianópolis (SC), em 24 de abril de 1907.
Mesmo décadas depois de sua morte, ele ainda inspirava novas gerações de talentos, como Altamiro Carrilho.



VARIAÇÕES DE FLAUTA
Gravada por Patápio Silva na flauta
Disco Odeon Record 40.041, matriz RX-37
Lançado em 1904






SÓ PARA MOER
Polca de Viriato Figueira da Silva
Gravada por Patápio Silva na flauta
Disco Odeon Record 40.047, matriz RX-40
Lançado em 1904



ALVORADA DAS ROSAS
De Júlio Reis
Gravada por Patápio Silva na flauta
Disco 40.051, matriz RX-62
Lançado em 1904






PRIMEIRO AMOR
Valsa de Flauta de Patápio Silva
Gravada por Patápio Silva na flauta
Disco 40.053, matriz RX-63
Lançado em 1904







ZINHA

Polca de Patápio Silva
Gravada por Patápio Silva na flauta
Disco 10.011, matriz R-33
Lançado em 1904






















Agradecimento ao Arquivo Nirez

































Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...