Páginas

Translate

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

ELES INTERPRETAM CHIQUINHA GONZAGA


Chiquinha Gonzaga em 1932http://revistapiaui.estadao.com.br/


Há 85 anos, em 28 de fevereiro de 1935, falecia no Rio de Janeiro, CHIQUINHA GONZAGA, aos 87anos.


Francisca Edwiges Neves Gonzaga nasceu em 17 de outubro de 1847 no Rio de Janeiro, falecendo nessa mesma cidade, em 28 de fevereiro de 1935, aos 87 anos de idade.

Chiquinha Gonzaga foi uma de nossas mais competentes e talentosas compositoras, sendo uma mulher que enfrentou vários preconceitos e obstáculos ao longo de sua vida para poder exercer sua liberdade e talento musical.

Atuou bastante no teatro musicado, compondo para peças de sucesso, como Manobras do Amor e Forrobodó.

A partir de 1902, teve suas composições gravadas em discos. Várias cantoras de seu tempo, como Pepa Delgado, Senhorita Odete, Júlia Martins, entre outras famosas, gravaram suas músicas, deixando clássicos como Côrte na Roça, Corta Jaca, A Mulatinha, Roda Yoyô, Baiana dos Pastéis, registrados em cera. Já trouxemos essas intérpretes em:

Elas Interpretam Chiquinha Gonzaga: http://bit.ly/2qofzIV


Já homenageamos Chiquinha Gonzaga em outras ocasiões:

Chiquinha Gonzaga – 79 Anos de Saudade - http://bit.ly/chiquinha79saudades

Chiquinha Gonzaga Interpretada por Senhorita Odette - http://bit.ly/chiquinha170

Chiquinha Gonzaga – 84 Anos de Saudade - http://bit.ly/2VmVJYw

Chiquinha Gonzaga – Sua Voz e Seu Piano - http://bit.ly/2MJPf3i

A Côrte na Roça - Opereta de 1885 - http://bit.ly/2OYsM5R

O Tango da Quitandeira - http://bit.ly/ninaquitandeira




Selo de Casa de Caboclo
Arquivo Marcelo Bonavides




Alguns jornais do dia 01 de março de 1935.



























Hoje, trago uma seleção de cantores interpretando composições de Chiquinha Gonzaga. De João Barros, em 1904, a Paulo Tapajós, em 1951, apresento algumas das mais belas e interessantes músicas que Chiquinha Gonzaga compôs sozinha ou em parcerias.



JOÃO BARROS


JOÃO BARROS
Arquivo Nirez

O NAMORO
Cançoneta de Chiquinha Gonzaga e Frederico de Jesus
Gravado por Barros
Disco Odeon Record 10.008, matriz R-87
Lançado em 1904




GERALDO MAGALHÃES


GERALDO MAGALHÃES
O Malho, 1909
http://memoria.bn.br/


CÖRA
Romanza de Chiquinha Gonzaga e Furtado Coelho
Gravada por Geraldo Magalhães
Disco Odeon record 40.495
Lançado em 1905



MENINA FACEIRA
Modinha de Chiquinha Gonzaga
Gravada por Geraldo Magalhães
Disco Odeon Record 40.519
Lançado em 1905



TRIGUEIRA
Canção de Chiquinha Gonzaga

Gravada por Geraldo Magalhães
Disco Victor Record 99.433
Lançado em 1910





MÁRIO PINHEIRO


MÁRIO PINHEIRO
Arquivo Nirez

DONA ADELAIDE (D´ADELAIDE)
Cançoneta Alegre de Chiquinha Gonzaga e José Patrocínio
Gravada por Mário Pinheiro
Disco Odeon Record 108.185, matriz XR-722
Lançado em 1909



NAMORADOS DA LUA
Serenata de Chiquinha Gonzaga
Gravada por Mário Pinheiro
Disco Victor Record 98.950
Lançado em 1910



MENINA FACEIRA
Tango de Chiquinha Gonzaga
Gravado por Mário Pinheiro
Acompanhamento de Violão
Disco Victor Record 98.952
Lançado em 1910
Obs. Música da opereta A Côrte na Roça, de 1885.
Na verdade, o acompanhamento é feito por orquestra.



CÖRA
Modinha de Chiquinha Gonzaga e Furtado Coelho
Gravada por Mário Pinheiro
Acompanhamento de Violão
Disco Victor Record 98.956
Lançado em 1910



DONA ADELAIDE
Cançoneta de Chiquinha Gonzaga e José Patrocínio
Gravada por Mário Pinheiro
Acompanhamento de Orquestra
Disco Victor Record 98.953
Lançado em 1910




BAHIANO


BAHIANO
Arquivo Nirez

A PARTIDA DO TROPEIRO
Toada Sertaneja de Chiquinha Gonzaga e Catullo da Paixão Cearense
Gravado por Bahiano
Acompanhamento de Coro
Disco Odeon Record 120.912
Lançado em fevereiro de 1914




ALMEIDA CRUZ


Jornal de Theatro & Sport, 1915
http://memoria.bn.br/


TRIGUEIRA
Fado Canção de Chiquinha Gonzaga
Gravada por Almeida Cruz
Disco Columbia Record B-88
Lançado em 1912




GASTÃO FORMENTI


GASTÃO FORMENTI
Arquivo Nirez


CASA DE CABOCLO
Canção de Chiquinha Gonzaga, Hekel Tavares e Luís Peixoto
Gravada por Gastão Formenti
Acompanhamento de Piano e Violão
Disco Parlophon 12.863-A, matriz 1994-I
Gravado em 21 de setembro de 1928 e lançado em novembro de 1928



LUA BRANCA
 Canção de Chiquinha Gonzaga
Gravada por Gastão Formenti
Acompanhamento de J. Otaviano ao Piano
Disco Odeon 10.420-A, matriz 2521-I
Gravado em 20 de abril de 1929 e lançado em julho de 1929




PINTO FILHO


PINTO FILHO
Arquivo Nirez


TAVA ASSIM DE PORTUGUÊS
Canção Cômica de Chiquinha Gonzaga e Marques Porto
Gravada por Pinto Filho
Disco Parlophon 13.192-B, matriz 3675
Gravado em 1930 e lançado em agosto de 1930




JAYME VOGELER


JAYME VOGELER
Arquivo Nirez


A SERTANEJA
Canção de Chiquinha Gonzaga e Viriato Correia
Gravada por Jayme Vogeler
Disco Odeon 10.912-A, matriz 4428
Gravado em 06 de abril de 1932 e lançado em 1932




JOSÉ GONÇALVES

JOSÉ GONÇALVES
Carioca, 1937
Arquivo Nirez

O CORTA JACA
Tango Brasileiro de Chiquinha Gonzaga
Gravada por José Gonçalves
Acompanhamento do Conjunto Regional de Donga
Disco Odeon 11.661-A, matriz 5906
Gravado em 30 de agosto de 1938 e lançado em novembro de 1938




PAULO TAPAJÓS


Fon Fon, 1940
http://memoria.bn.br/

LUA BRANCA

Canção de Chiquinha Gonzaga
Gravada por Paulo Tapajós
Acompanhamento da Turma do Sereno
Disco Continental 16.425-B, matriz 2643
Gravado em 1951 e lançado em julho/setembro de 1951














Agradecimento ao Arquivo Nirez












VIRGÍNIA LANE - 100 ANOS


VIRGÍNIA LANE
"Virgínia Lane, encantadora figura do mundo artístico carioca,
'estrela' de 'shows', de cinema e de radio".
A Noite Illustrada, 11 de novembro de 1941.
Arquivo Nirez


Há 100 anos nascia a cantora, vedete e compositora VIRGÍNIA LANE, A Vedete do Brasil.

Virgínia Giacone nasceu no Rio de Janeiro em 28 de fevereiro de 1920.

Dos seis aos quatorze anos de idade foi interna do Colégio Regina Coeli. Em seguida, estudou no famoso Instituto Lafayette, em Botafogo, cujo diretor era pai da futura atriz Beatriz Segall.

Por um período, estudou com a bailarina Maria Olenewa na Escola de Bailados do Teatro Municipal do Rio de Janeiro.

Iniciou sua carreira como cantora em 1935, aos quinze anos de idade, na Rádio Mayrink Veiga, sendo apresentada pelo locutor César Ladeira como Garota Bibelô. Depois, atuaria na Rádio Tupi.


A Noite Illustrada, 1941
http://memoria.bn.br


Revista da Semana, 1941
http://memoria.bn.br


Em 1941, Virgínia Lane atuaria no filme Laranja da China, dirigido por Ruy Costa, onde cantava o samba Cai, Cai, de Roberto Martins, que Carmen Miranda cantaria no filme Uma Noite no Rio, também em 1941.
Nesse mesmo ano, Virgínia Lane também apareceria no filme Entra na Farra, dirigido por Luiz de Barros.


Virgínia Lane
Arquivo Nirez


Virgínia Lane
Arquivo Nirez


Em 1943 passou a trabalhar como corista do Cassino da Urca, também atuando como crooner e dançarina, participando das orquestras de Carlos Machado, Vicente Paiva e Kolman. Também atuaria ao lado das orquestras de Rei Ventura, Tommy Dorsey e Benny Goodman.

Chegou a filmar uma cena para o filme Samba em Berlim, dirigido por Luiz de Barros em 1943, onde cantava a marcha O Danúbio Azulou, de Nássara e Frazão. Porém, a cena foi cortada pela censura do Estado Novo, pois, no cenário, à frente onde Virgínia cantava, aparecia a figura de Stalin, que naquele momento era um dos líderes dos aliados antinazistas.

Morou alguns anos na Argentina. Mas apresentava-se em cassinos do Brasil, como o Icaraí e Quitandinha.


O Malho, 1944
http://memoria.bn.br


Em 1946 gravou seu primeiro disco pela Continental, trazendo a marcha Maria Rosa, de Oscar Belandi e Dias da Cruz, e o samba Amei Demais, de José M. da Silva e Ciro de Souza.

Em 1946, com o fechamento dos cassinos no Brasil, Virgínia Lane saiu em excursão pela Argentina, México, Estados Unidos, Espanha, Portugal e Japão. Ao voltar, em 1948, atuou na revista Um Milhão de Mulheres, de Chianca de Garcia, encenada no Teatro Carlos Gomes, do Rio de Janeiro. Foi um grande sucesso em sua carreira, rendendo-lhe um contrato com a companhia de Walter Pinto, onde trabalhou por quatro anos em peças no Teatro Recreio.


Comoedia, 1946
http://memoria.bn.br



Comoedia, 1947
http://memoria.bn.br


Na década de 1950, Virgínia Lane se consagrou como uma das maiores vedetes de nosso país, sendo considerada pelo presidente Getúlio Vargas como a Vedete do Brasil. Segundo boatos e a própria Virgínia, ela e Getúlio tiveram um romance.

Em 1951 ela lançaria um grande sucesso que marcaria sua carreira, a marcha Sassaricando, de Jota Jr., Oldemar Magalhães e Luís Antônio, lançada na revista Eu Quero Sassaricá, de Luíz Iglezias e Freire Jr. Ela também gravaria a marcha em disco Todamérica, também em 1951, e cantaria no filme Tudo Azul, dirigido em 1951 por Moacyr Fenelon. Sassaricar virou uma expressão maliciosa, usada até hoje.




Nos primórdios da televisão no Brasil, Virgínia Lane apresentou os programas, Espetáculos Tonelux e Coelhinho Teco-Teco, este último o primeiro programa infantil de nossa TV, onde ela contava histórias infantis vestida de coelhinho.

Virgínia Lane seguiu sua carreira pelas décadas seguintes, sempre com muito sucesso. Uma de suas últimas aparições foi na novela Belíssima, da Rede Globo, onde, aos 85 anos de idade, ainda exibia uma bela forma física e as belas pernas que encantaram gerações.

Morando em Volta Redonda (RJ) desde os anos 70, Virgínia Lane chegou a ser Secretária de Turismo. Ela morava sozinha, sendo acompanhada por sua filha adotiva. Era muito amiga da cantora Elisinha Coelho, que também morava em Volta Redonda. Elisinha me contava que, quando Virgínia ia visita-la em sua casa, situada em cima de uma agência do Banco do Brasil, todas as pessoas que estava na fila da agência faziam questão de cumprimentar Virgínia.

Uma de suas últimas aparições públicas foi em janeiro de 2014, quando foi coroada Embaixatriz do Carnaval, na cidade de Belém do Pará.


Ensaio para a Revista O Cruzeiro, 1942


























Virgínia Lane faleceu em Volta Redonda (RJ), em 10 de fevereiro de 2014, poucas semanas antes de completar 94 anos de idade.


Trago várias gravações de Virgínia Lane realizadas entre 1946 e 1955, entre elas, a clássica Sassaricando em uma inconfundível interpretação.



MARIA ROSA
Marcha de Oscar Belandi e Dias da Cruz
Gravada por Virgínia Lane
Acompanhamento de Benedito Lacerda e Seu Conjunto
Disco Continental 15.587-A, matriz 1391-1
Lançado em janeiro de 1946



AMEI DEMAIS
Samba de José M. da Silva e Ciro de Souza
Gravado por Virgínia Lane
Acompanhamento de Benedito Lacerda e Seu Conjunto
Disco Continental 15.587-B, matriz 1392-1
Lançado em janeiro de 1946



BANANA
Marcha de Luís Antônio, Jota Jr. e Paulo Gesta
Gravada por Virgínia Lane
Acompanhamento de Astor e Seu Conjunto
Disco Todamérica TA-5.121-A, matriz TA-199
Gravado em 03 de outubro de 1951 e lançado em novembro



SASSARICANDO
Marcha de Jota Jr., Oldemar Magalhães e Luís Antônio
Gravada por Virgínia Lane
Acompanhamento de Astor e Seu Conjunto
Disco Todamérica TA-5.121-B, matriz TA-200
Gravado em 03 de outubro de 1951 e lançado em novembro



SANTO ANTÔNIO CASAMENTEIRO
Marcha de Antônio Almeida e Alberto Ribeiro
Gravada por Virgínia Lane
Acompanhamento de Conjunto
Disco Todamérica TA-5.163-A, matriz TA-265
Gravado em 10 de abril de 1952 e lançado em maio



BALÃO
Marcha de Luís Antônio
Gravada por Virgínia Lane
Acompanhamento de Conjunto
Disco Todamérica TA-5.163-B, matriz TA-266
Gravado em 10 de abril de 1952 e lançado em maio



CADÊ RITINHA?
Rancheira de José Roberto
Gravada por Virgínia Lane
Acompanhamento de Conjunto
Disco Todamérica TA-5.194-A, matriz TA-315-1
Gravado em 01 de janeiro de 1952 e lançado em agosto



FIAU FIAU
Baião de José Roberto
Gravado por Virgínia Lane
Acompanhamento de Conjunto
Disco Todamérica TA-5.194-B, matriz TA-316-1
Gravado em 01 de janeiro de 1952 e lançado em agosto



BARNABÉ
Samba de Ubirajara Mendes
Gravado por Virgínia Lane
Acompanhamento de Conjunto
Disco Todamérica TA-5.229-A, matriz TA-359-1
Gravado em 25 de agosto de 1952 e lançado em outubro



SACA O PÃO
Marcha de Ubirajara Mendes
Gravada por Virgínia Lane
Acompanhamento de Conjunto
Disco Todamérica TA-5.229-B, matriz TA-360-1
Gravado em 25 de agosto de 1952 e lançado em outubro



LÁ VEM A COBRA GRANDE
Marcha de Antônio Almeida e João de Barro
Gravada por Virgínia Lane
Acompanhamento de Abel e Seu Conjunto
Disco Todamérica TA-5.248-A, matriz TA-386-1
Gravado em 07 de outubro de 1952 e lançado em novembro



VAI LEVANDO (A CONFUSÃO É GERAL)
Marcha de Antônio Almeida
Gravada por Virgínia Lane
Acompanhamento de Abel e Seu Conjunto
Disco Todamérica TA-5.248-B, matriz TA-385-1
Gravado em 30 de setembro de 1952 e lançado em novembro



MORRO
Samba de Luís Antônio
Gravado por Virgínia Lane
Acompanhamento de Orquestra
Disco Todamérica TA-5.326-A, matriz TA-513
Gravado em 21 de julho de 1953 e lançado em agosto



PRIMAVERA
Marcha de Antônio Almeida
Gravada por Virgínia Lane
Acompanhamento de Orquestra
Disco Todamérica TA-5.326-B, matriz TA-514
Gravado em 21 de julho de 1953 e lançado em agosto



AMENDOIM TORRADINHO
Baião de Luísa Pereira e Freitas Carvalho
Gravado por Virgínia Lane
Acompanhamento de Guio De Morais e Seus Parentes
Disco Todamérica TA-5.443-A, matriz TA-677
Gravado em 22 de junho de 1954 e lançado em agosto



ME ARREPIO TODA
Baião de Zé Tinoco
Gravado por Virgínia Lane
Acompanhamento de Guio De Morais e Seus Parentes
Disco Todamérica TA-5.443-B, matriz TA-678
Gravado em 22 de junho de 1954 e lançado em agosto




MARCHA DO FIU-FIU
Marcha de Virgínia Lane e Nelson Castro
Gravada por Virgínia Lane
Acompanhamento de Orquestra
Disco Todamérica TA-5.492-B, matriz TA-740
Gravado em 05 de outubro de 1954 e lançado em novembro



MORENO DO SAMBA
Samba de Nelson Castro
Gravado por Virgínia Lane
Acompanhamento de Orquestra
Disco Todamérica TA-5.569-A, matriz TA-865
Gravado em 02 de agosto de 1955 e lançado em setembro



CHORINHO GOSTOSO
Choro de Virgínia Lane
Gravado por Virgínia Lane
Acompanhamento de Orquestra
Disco Todamérica TA-5.569-B, matriz TA-866
Gravado em 02 de agosto de 1955 e lançado em setembro











Agradecimento ao Arquivo Nirez (http://arquivonirez.com.br)
Fonte - http://dicionariompb.com.br/virginia-lane




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...