sábado, 25 de janeiro de 2020

EFEMÉRIDES DE 25 DE JANEIRO: PEDRO DE SÁ PEREIRA, MANDY, GEYSA BÔSCOLI, MILTON DE OLIVEIRA E TOM JOBIM


A data de hoje, 25 de janeiro, marca o nascimento ou falecimento dos seguintes artistas: PEDRO DE SÁ PEREIRA, MANDY, GEYSA BÔSCOLI, MILTON DE OLIVEIRA e TOM JOBIM.




PEDRO DE SÁ PEREIRA


Pedro de Sá Pereira nasceu em Porto Alegre (RS) em 25 de janeiro de 1892.

Em 1915, teve suas primeiras composições gravadas. Pela Odeon Record, o Grupo O Passos no Choro registrou as valsas de sua autoria, Nas Asas do Amor e Sorrir Dormindo.

Como maestro e compositor, dedicou-se bastante ao teatro de revista, fazendo as músicas da revista Nós, Pelas Costas, estreada em 31 de dezembro de 1921 e que marcou a estreia profissional da cantora e atriz Aracy Côrtes.

Vicente Celestino gravaria, em 1924, a canção Caiuby. Nesse mesmo ano estrearia a revista À La Garçonne, estrelada por Margarida Max, que lançou a moda do cabelo à la Garçonne. Para a peça, Pedro de Sá Pereira fez os arranjos do fox trot Cabeleira à Lá Garçonne, que teve letra de Américo F. Guimarães, sendo gravado por Zaíra de Oliveira e o disco lançado em 1925.


Partitura de Cabeleira à La Garçone, com Margarida Max
Arquivo Nirez


Ainda em 1925 Aracy Côrtes faria suas primeiras gravações. Entre elas estaria a canção de Luís Peixoto e Pedro de Sá Pereira, A Casinha, também conhecida como A Casinha da Colina. Aracy é anunciada como a “Graciosa Estrela Brasileira Aracy Côrtes”, pelo cantor Fernando, e é acompanhada pelo Jazz Band Sul Americano Romeu Silva.


Partitura de Casinha da Colina, com Aracy Côrtes
Arquivo Nirez



Partitura de Casinha da Colina, com Margarida Max
Arquivo Nirez


Pedro de Sá Pereira lançou vários sucessos ao longo de sua carreira. Entre eles está a canção Chuá Chuá, com letra de Ary Pavão, lembrada até hoje e gravada várias vezes.

Fora Aracy Côrte, outras atrizes-cantoras do teatro de revista também gravaram suas músicas, como Luísa Fonseca e Margarida Max. Aracy Côrtes faria outras gravações de sua obra.

Não conseguimos muitas informações sobre sua vida, sem saber quando e onde faleceu ou ao menos sua fotografia.



Gravações Mecânicas


CABELEIRA À LA GARÇONNE
Fox Trot de Américo F. Guimarães e Pedro de Sá Pereira
Gravado por Zaíra de Oliveira
Disco Odeon Record 122.768
Lançado em 1925



A CASINHA
Canção de Luís Peixoto e Pedro de Sá Pereira
Gravada por Aracy Côrtes
Acompanhamento do Jazz Band Sul Americano Romeu Silva
Disco Odeon Record 122.884
Lançado em 1925



CHUÁ CHUÁ
Modinha de Pedro de Sá Pereira
Gravada por Fernando
Acompanhamento do Jazz Band Sul Americano Romeu Silva e Coro
Disco Odeon Record 122.944
Gravado em 1925 e lançado em 1926



PAULISTA DE MACAÉ

Toada de Pedro de Sá Pereira
Gravada por Frederico Rocha
Disco Odeon Record 123.252, matriz 1034
Lançado em 1926



Gravações Elétricas


CUSCUS
Maxixe de Pedro de Sá Pereira, Marques Porto e Luís Peixoto
Gravado por Francisco Alves
Acompanhamento da Orquestra Pan American do Cassino Copacabana
Disco Odeon 10.096-B, matriz 1440
Lançado em janeiro de 1928



LEÃO DA NOITE (FLOR DE SANGUE)
Modinha Brasileira de Pedro de Sá Pereira
Gravada por Francisco Alves
Acompanhamento de Rogério Guimarães e Francisco Alves aos Violões
Disco Odeon 10.196-B, matriz 1653-I
Gravado em 1928 e lançado nesse mesmo ano



QUINDINS DE YAYÁ
Samba de Pedro de Sá Pereira e Cardoso Menezes Bittencourt
Gravado por Aracy Côrtes
Acompanhamento da Orquestra Pan American
Disco Odeon 10.457-A, matriz 2815
Lançado em agosto de 1929



POR QUE FOI?
Samba Canção Pedro de Sá Pereira e Luís Iglezias
Gravado por Margarida Max
Disco Odeon 10.480-A, matriz 2902
Gravado em 29 de agosto de 1929 e lançado em outubro



CANGOTE CHEIROSO
Samba de Pedro de Sá Pereira, Marques Porto e Luís Peixoto
Gravado por Luísa Fonseca
Acompanhamento da Orquestra Brunswick
Disco Brunswick 10.016-B, matriz 132
Lançado em janeiro de 1930



VOU PRA BAHIA
Samba Canção de Pedro de Sá Pereira e Correia Da Silva
Gravado por Elsie Houston
Acompanhamento de Gaó, Jonas, Petit e Chaves
Disco Columbia 5.242-B, matriz 380766
Lançado em julho de 1930




MANDY
(Da Dupla Mandy e Sorocabinha)


Mandy à esquerda, e Sorocabinha
https://www.youtube.com/watch?v=sdnOhy_LDtI


Manuel Rodrigues Lourenço, mais conhecido como Mandy, nasceu em Anhembi (SP), em 25 de janeiro de 1901, falecendo em São Paulo, em 12 de março de 1987, aos 86 anos de idade.

Mandy era professor primário, formando em 1917 o Quarteto Caboclo, com Luís Antônio de Oliveira Júnior, Astrogildo de Lima Peazza e Antônio Ferraz. A dupla Mandy e Sorocabinha se formou quando Manuel Lourenço, então diretor do Grupo Escolar Rural de Dois Córregos, viu Sorocabinha tocando viola em um armazém. Iriam atuar juntos em fins dos anos 20 para formarem a Turma Caipira Victor.

Gravaram cerca de 64 discos pelas gravadoras Columbia, Victor, Odeon e Parlophon.

Participaram, em 1932, do filme Vamos Passear, Cornélio, onde cantaram Caboclo Feliz, Caipira Mulato e Imposto do Selo.

Suas gravações são documentos históricos, pois falam dos eventos em que presenciaram, como a crise de 1929 e a Revolução Constitucionalista de 1932.


A CRISE
Moda de Viola de Sorocabinha
Gravada por Mandy e Sorocabinha
Acompanhamento de Violas
Disco Parlophon 13.147-A, matriz 3401
Gravado em 1930 e lançado em maio de 1930



IMPOSTO DO SELO
Moda de Viola de Mandy
Gravada por Mandy e Sorocabinha
Acompanhamento de Violas
Disco Parlophon 13.233-B, matriz 3746
Gravado em 1930 e lançado em novembro de 1930



INVASÃO DE SÃO PAULO
Moda de Viola de Mandy
Gravada por Mandy e Sorocabinha
Acompanhamento de Violas
Disco Parlophon 13.399-B, matriz 131342
Lançado em 1932



VIDA DE ROCERO
Moda de Viola de Sorocabinha
Gravada por Mandy e Sorocabinha
Disco Odeon 11.259-B, matriz 5079
Gravado em 26 de abril de 1935 e lançado em setembro de 1935



AMANHECER NA ROÇA
Moda de Viola de Mandy
Gravada por Mandy e Sorocabinha
Disco Columbia 8.316-B, matriz 3545
Lançado em 1937



O CANARINHO
Moda de Viola de Sorocabinha
Gravada por Mandy e Sorocabinha
Disco Columbia 8.317-B, matriz 3547
Lançado em 1937




GEYSA BOSCOLI


Geysa Bôscoli
https://www.levyleiloeiro.com.br/


Geysa Gonzaga de Boscoli nasceu no Rio de Janeiro, em 25 de janeiro de 1907, falecendo em Caxambu (MG), em 07 de novembro de 1978, aos 71 anos de idade.

Foi teatrólogo, escritor, jornalista e compositor.

Fazia parte de uma família de artistas, sendo sobrinho da compositora e maestrina Chiquinha Gonzaga (ele escreveria o livro A Pioneira Chiquinha Gonzaga), irmão de Jardel Jércolis e Héber de Boscoli, e tio de Ronaldo Bôscoli.

Geysa Boscoli se destacou no teatro musical como autor, produtor de revistas e compositor, estreando em abril de 1927, com a revista Pó de Arroz, que a Companhia Tro-ló-ló (que ele e o irmão Jardel fundaram) levou à cena no Theatro Lyrico do Rio de Janeiro.

Entre suas grandes peças, está Maravilhosa (de 1937), onde foi lançado o célebre batuque No Tabuleiro da Baiana, de Ary Barroso, interpretado por Déo Maia e Grande Otelo, que fora gravado em 1936 por Carmen Miranda e Luiz Barbosa

Com Custódio Mesquita compôs os foxes Naná (também em parceria com Jardel Jércolis), gravado por Orlando Silva, e Céu e Mar, gravado por Francisco Alves.

Em 1945, ele inaugurou o Teatro Regina (atual Dulcina) com a comédia O Grande Barqueiro. Novamente ao lado de Jardel, fundou em 1948 (em Copacabana) o primeiro teatro de bolso, sendo pioneiro em levar os teatros (que se concentravam no centro do Rio de Janeiro) para outros bairros.

Recebeu, em 1950 e 1952, duas medalhas de ouro como Melhor Produtor de Teatro Musicado, por seu trabalho no Teatro Jardel.

Geysa Bôscoli foi ainda pioneiro ao escrever as duas primeiras revistas radiofônicas do Brasil, que foram transmitidas pela Rádio Nacional: Adão e Eva e Carioca da Gema (em parceria com Jorge Murad).


NANÁ
Fox Blue de Jardel Boscoli, Geysa Bôscoli e Custódio Mesquita
Gravado por Orlando Silva
Acompanhamento de Orquestra
Disco Victor 34.667-B, matriz 33489-1
Gravado em 14 de agosto de 1940 e lançado em outubro de 1940



CÉU E MAR
Fox Canção de Geysa Bôscoli e Custódio Mesquita
Gravado por Francisco Alves
Acompanhamento de Fon Fon e Sua Orquestra
Disco Columbia 55.209-B, matriz 264-1
Gravado em 20 de março de 1940 e lançado em março de 1940





MILTON DE OLIVEIRA


Arquivo Nirez


Milton de Oliveira nasceu no Rio de Janeiro em 24 de janeiro de 1916, sendo criado no bairro de São Cristóvão. Começou a trabalhar aos 12 anos de idade em uma tipografia. Depois, aos 16 anos, já trabalhava como auxiliar de revisão no jornal A Nação, época em que começou a frequentar o meio dos compositores e a assinar algumas músicas.

Em 1932, Milton de Oliveira compôs seu primeiro samba, Já mandei, meu bem. Em 1934, através de Murilo Caldas, irmão de Sílvio Caldas, conseguiu ingressar no meio artístico, tendo nesse mesmo ano sua primeira composição gravada, o samba És Louca, em parceria com Djalma Esteves, registrado na Odeon por Jayme Vogeler.

Em 1937, ao lado de Max Bulhões compôs os sambas Sabiá Laranjeira e Não Tenho Lágrimas, ambos gravados por Patrício Teixeira. O segundo samba seria um grande sucesso, tendo a autoria de Milton de Oliveira discutida, pois alguns apontavam Wilson Batista como o parceiro de Max Bulhões.

Foi parceiro musical de Haroldo Lobo, tendo a dupla composto dezenas de músicas.

Um de seus cantores mais constantes foi Patrício Teixeira.

Suas composições foram gravadas nos anos 30, 40 e 50, sempre por nomes de destaque de nossa música popular.

Foi um dos fundadores da Sbacem (Sociedade Brasileira de Autores, Compositores e Escritores de Música), exercendo o cargo de fiscal até 1957.

Milton de Oliveira faleceu 12 de dezembro de 1986, no Rio de janeiro, aos 70 anos de idade.



ÉS LOUCA
Samba de Milton de Oliveira e Djalma Esteves
Gravado por Jayme Vogeler
Acompanhamento da Orquestra Odeon Sob a direção de Simon Bountman
Disco Odeon 11.151-A, matriz 4847
Gravado em 10 de maio de 1934 e lançado em setembro de 1934



NÃO TENHO LÁGRIMAS
Samba de Max Bulhões e Milton de Oliveira
Gravado por Patrício Teixeira
Acompanhamento do Conjunto Regional RCA Victor
Disco Victor 34.193-A, matriz 80403-1
Gravado em 13 de maio de 1937 e lançado em agosto



SABIÁ LARANJEIRA
Samba de Milton de Oliveira e Max Bulhões
Gravado por Patrício Teixeira
Acompanhamento do Conjunto Regional RCA Victor
Disco Victor 34.193-B, matriz 80404-1
Gravado em 13 de maio de 1937 e lançado em agosto



JURO
Samba de Milton de Oliveira e Haroldo Lobo
Gravado por J. B. de Carvalho
Acompanhamento do Conjunto Tupy
Disco Victor 34.243-B, matriz 80569-1
Gravado em 05 de agosto de 1937 e lançado em dezembro de 1937



QUEBREI A JURA
Samba de Milton de Oliveira e Haroldo Lobo
Gravado por Aracy de Almeida
Acompanhamento do Conjunto Regional RCA Victor
Disco Victor 34.266-B, matriz 80632-1
Gravado em 15 de dezembro de 1937 e lançado em janeiro de 1938



NO TRONCO DA AMENDOEIRA
Batuque de Djalma Esteves e Milton de Oliveira
Gravado por Patrício Teixeira
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 34.459-B, matriz 33021-1
Gravado em 15 de março de 1939 e lançado em julho





TOM JOBIM


Tom Jobim
https://oglobo.globo.com/


Antônio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim nasceu no Rio de Janeiro, em 25 de janeiro de 1927, falecendo em Nova York (EUA), em 08 de dezembro de 1994, aos 67 anos de idade.
Como Tom Jobim, foi compositor, arranjador e instrumentista, sendo um dos principais nomes da Bossa Nova, cujo início se deu em 1958 com o lançamento de seu samba canção (ao lado de Vinícius de Moraes) Chega de Saudade, gravado por Elizeth Cardoso para o LP Canção do Amor Demais.



PENSANDO EM VOCÊ
Samba Canção de Antônio Carlos Jobim
Gravado por Ernâni Filho
Disco Sinter 00-00.236-A, matriz S-516
Lançado em junho de 1953



ESTRADA DO SOL
De Antônio Carlos Jobim e Dolores Duran
Gravado por Maria Helena Raposo
Acompanhamento de Conjunto
Disco Mocambo 15.211-A R-939
Lançado em 1958



ESTE SEU OLHAR
Samba de Antônio Carlos Jobim
Gravado por Vera Lúcia
Acompanhamento de Monteiro de Sousa e Sua Orquestra
Disco Sinter 637-A, matriz S-1371
Lançado em novembro de 1959



MEDITAÇÃO
Samba de Antônio Carlos Jobim e Newton Mendonça
Gravado por Isaura Garcia
Disco Odeon 14.575, matriz RIO-50336
Gravado em 19 de outubro de 1959 e lançado em dezembro de 1959



ÁGUA DE BEBER
Samba de Antônio Carlos Jobim e Vinícius de Moraes
Gravado por Ana Lúcia
Acompanhamento de Conjunto
Disco Philips P-61.076-H-A, matriz AA-61.076-1H
Lançado em março de 1961



SAMBA DO AVIÃO
Samba de Antônio Carlos Jobim
Gravado por Elza Laranjeira
Acompanhamento do Conjunto RGE
Disco RGE RGE 10.469-B, matriz RGO-3028
Lançado em outubro de 1962














Agradecimento ao Arquivo Nirez










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...