Páginas

Translate

quinta-feira, 12 de março de 2020

EFEMÉRIDES DE 12 DE MARÇO: BIDU SAYÃO, GILKA MACHADO, BASTOS TIGRE E MÁRIO TRAVASSOS DE ARAÚJO


A data de hoje, 12 de março, marca o nascimento e falecimento dos seguintes artistas: BIDU SAYÃO, GILKA MACHADO, BASTOS TIGRE e MÁRIO TRAVASSOS DE ARAÚJO.




BIDU SAYÃO
(1902 – 1999)


BIDU SAYÃO
O Cruzeiro, 1933
http://memoria.bn.br/


Balduína de Oliveira Sayão nasceu em Itaguaí (RJ) em 11 de maio de 1902.

Bidu Sayão é considerada a maior soprano brasileira, em todos os tempos, com fama internacional. E foi justamente pelo mundo que ela foi mais valorizada como cantora lírica.

Brilhou nos palcos de Nova York, onde é homenageada com um quadro no Metropolitan Opea House, caracterizada de Manon, na ópera homônima de Jules Massenet.


Revista Musical, 1925
http://memoria.bn.br/

No Carnaval 1995, com quase 93 anos de idade, Bidu Sayão foi homenageada pela Escola de Samba Beija Flor, com o enredo “Bidu Sayão e o Canto de Cristal”. Bidu, emocionada, desfilou na Marquês de Sapucai vestida de baiana, em uma homenagem à sua amiga Carmen Miranda.


Bidu Sayão em 1995
Desfile da Beija Flor
http://almanaque.folha.uol.com.br/


Bidu Sayão faleceu nos EUA, onde morava, em 12 de março de 1999, dois meses antes de completar 97 anos de idade.


BIDU SAYÃO
https://www.gettyimages.pt/


CANTO DA SAUDADE
Canção de Alberto Costa
Gravada por Bidu Sayão
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira, sob a Direção de Bernadino Vivas
Disco Victrola 11.595-A, matriz 65866-2
Gravado em 20 de outubro de 1933 e lançado em 1933



O GUARANY - GENTILE DI CUORE
De Antônio Carlos Gomes
Gravada por Bidu Sayão
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira, sob a Direção de G Giannetti
Disco Victrola 11.561-A, matriz 65863-2
Gravado em 16 de outubro de 1933 e lançado em 1933



O GUARANY – BALLATA
De Antônio Carlos Gomes
Gravada por Bidu Sayão
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira, sob a Direção de G Giannetti
Disco Victrola 11.561-B, matriz 65862-2
Gravado em 16 de outubro de 1933 e lançado em 1933



A CASINHA PEQUENINA
Canção Popular
Gravada por Bidu Sayão
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira, sob a Direção de Bernadino Vivas
Disco Victrola 4.230-B, matriz 65868-2
Gravado em 20 de outubro de 1933 e lançado em 1933



CAPIM DI PRANTA
Popular de Alagoas, arranjo de Ernâni Braga
Gravada por Bidu Sayão
Acompanhamento de Milne Charnley ao Piano
Disco Columbia 17.567-D, matriz CO 37821
Gravado e lançado em 1949




GILKA MACHADO
(1893 – 1980)


GILKA MACHADO
http://obviousmag.org/


Gilka da Costa de Melo Machado nasceu no Rio de Janeiro em 12 de março de 1893.

Foi uma poetisa brasileira, sendo uma das primeiras mulheres a escrever poesia erótica no Brasil.

Em 1910, foi uma das fundadoras e também tesoureira do Partido Republicano Feminino, que defendia o direito de voto às mulheres.

Publicou seu primeiro livro de poemas em 1915, Cristais Partidos.

Ganhou, em 1933, um concurso da revista O Malho, como a maior poetisa brasileira do século XX.

Era casada com o poeta Rodolfo Machado e mãe da dançarina Eros Volúsia. Também era mãe de Hélios.

Gilka Machado compôs o poema Encantamento que seria musicado pelo cantor Francisco Alves, que também o gravou em 1938, na Odeon.

Gilka Machado faleceu no Rio de Janeiro em 11 de dezembro de 1980, aos 87 anos de idade.


ENCANTAMENTO
Canção de Gilka Machado e Francisco Alves
Gravada por Francisco Alves
Acompanhamento da Orquestra Copacabana
Disco Odeon 11.623-B, matriz 5861
Gravado em 10 de junho de 1938 e lançado em agosto de 1938




BASTOS TIGRE
(1882 – 1957)


Careta, 1913
http://memoria.bn.br/


Manuel Bastos Tigre nasceu em Recife (PE), em 12 de março de 1882. Também era letrista, jornalista, humorista e publicitário.

Quando ainda era estudante passou a morar no Rio de Janeiro, atuando como jornalista, onde escrevia sob o pseudônimo de D. Xiquote. Fundou uma revista com esse mesmo nome, D. Xiquote, tendo como sócio Luiz Pastorini e, por algum tempo, empregando como vendedor de anúncios o ainda jovem e futuro cantor, compositor e radialista, Almirante.

Sua estreia no Teatro de Revista como autor de peças aconteceu em 1906 em O Maxixe, de sua autoria e Batista Coelho. Nessa peça fazia parte o tango chula de sua autoria e Arquimedes de Oliveira, Vem cá, Mulata, lançado pela atriz Maria Lino. Também fazia parte da peça o maxixe O Vatapá, de Paulino Sacramento, gravado por vários artistas, como Pepa Delgado e Mário Pinheiro.

Com Sinhô (José Barbosa da Silva), compôs em 1926 o maxixe Cassino Maxixe, lançado na pela Sorte Grande, que inaugurou o Theatro Cassino. Pouco depois, Sinhô deu novos versos ao samba, intitulando-o de Gosto que me Enrosco, lançado no teatro de revista com o nome de Florzinha, cantado por Luiza Fonseca e gravado em 1928 por Mário Reis.

Como publicitário, Bastos Tigre foi responsável pela letra do anúncio comercial da Brahma Chope em 1935. Ary Barroso faria uma música com sua letra: “O Brahma Chope em garrafa/Querido em todo o Brasil/Corre longe, a banca abafa/É igualzinho ao de barril”. Na época os chopes eram servidos retirados de barris e passavam a ser servidos em garrafas. Em 1989, a atriz e cantora Zezé Mota cantaria essa música na novela Kananga do Japão, exibida pela Rede Manchete.

Bastos Tigre também trabalhou como bibliotecário na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. Foi chefe do Departamento de Propaganda e também foi presidente da SBAT.

Bastos Tigre faleceu em 01 de agosto de 1957, no Rio de Janeiro, aos 75 anos de idade.



VEM CÁ, MULATA
Maxixe de Arquimedes de Oliveira e Bastos Tigre
Gravado por Pepa Delgado e Mário Pinheiro
Acompanhado de piano
Disco Odeon Record 40.407
Lançado em 1906
Da Revista “O Maxixe”



SAUDADE
Tango de Eduardo Souto e Bastos Tigre
Gravado por Vicente Celestino
Disco Odeon Record 122.042
Lançado em 1922



CASSINO MAXIXE
Maxixe de Sinhô (José Barbosa da Silva)
Gravado por Francisco Alves
Acompanhamento da Orquestra Pan American do Cassino Copacabana
Disco Odeon Record 123.272, matriz 1096
Lançado em janeiro de 1927



O BARBEIRO ANANIAS
Cena Cômica de Bastos Tigre
Gravada por Pinto Filho e Alfredo Albuquerque
Disco Parlophon 13.164-B, matriz 3513
Gravado em 1930 e lançado em junho de 1930



CHOPE EM GARRAFA (CHOPP DA BRAHMA)
Marcha Carnavalesca de Ary Barroso e Bastos Tigre
Gravada por Orlando Silva
Acompanhamento do Grupo do Canhoto
Disco Victor P-127-A, matriz 79829-1
Gravado em 29 de janeiro de 1935 e lançado em 1935
Obs. Disco publicitário, não comercializado.





MÁRIO TRAVASSOS DE ARAÚJO
(1910 – 1950)


MÁRIO TRAVASSOS DE ARAÚJO
Carioca, 1936
Arquivo Nirez


Nascido em Niterói (RJ), em 12 de março de 1910, Mário Travassos de Araújo também era instrumentista e pianista.


Estreou como pianista muito jovem, na segunda metade da década de 1920. Em 1930, atuava na Rádio Mayrink Veiga, acompanhando intérpretes como Carmen Miranda. Nesse mesmo ano, apresentou-se na Rádio Educadora no programa Horas Lamartinescas, comandado por Lamartine Babo, onde acompanhava Noel Rosa, Marília Batista, entre outros.

Sua primeira obra gravada também foi seu primeiro sucesso. O samba Sinto Saudade foi gravado por Francisco Alves e Mário Reis na Odeon no final de 1931. Logo em seguida, o Trio T. B. T. gravaria na Victor o samba de sua autoria Para Amar e não Sofrer, lançado em fevereiro de 1932. Acompanharia ao piano Lamartine Babo na famosa Canção para Inglês ver, entre outras gravações.

Teve suas músicas gravadas por Murilo Caldas, Luiz Barbosa, Helena Fernandes, Carmen Miranda, Aurora Miranda, Ataulfo Alves e Suas Pastoras, entre outros.

Carmen Miranda gravou seu samba junino Fogueira do Meu Coração, em parceria com A. L. Pimentel, que é um clássico do repertório das festas juninas.

Ele foi considerado um dos principais pianistas do samba carioca nas décadas de 1930 e 1940, com cerca de 14 composições gravadas.

Mário Travassos de Araújo faleceu em Niterói (RJ), em 22 de junho de 1950, aos 40 anos, cometendo suicídio. 




SINTO SAUDADE

Samba de Mário Travassos de Araújo
Gravado por Francisco Alves e Mário Reis
Acompanhamento da Orquestra Copacabana
Disco Odeon 10.850-A, matriz 4291
Lançado em dezembro de 1931



PARA AMAR E NÃO SOFRER

Samba de Mário Travassos de Araújo
Gravado pelo Trio T. B. T.
Acompanhamento do Grupo da Guarda Velha
Disco Victor 33.519-B, matriz 65345-1
Gravado em 23 de dezembro de 1931 e lançado em fevereiro de 1932



LA NA MONTANHA
Samba Canção de Mário Travassos de Araújo e Lamartine Babo
Gravado por Helena Fernandes
Acompanhamento de Piano e Violão
Disco Columbia 22.117-B, matriz 381222
Lançado em 1932




ADEUS VIDA DE SOLTEIRO...
Samba de Mário Travassos de Araújo
Gravado por Luís Barbosa e Seu Chapéu de Palha
Acompanhamento de Mário Travassos de Araújo ao Piano
Disco Victor 33.660-A, matriz 65721-1
Gravado em 28 de abril de 1933 e lançado em junho de 1933



JAMAIS... EM TUA VIDA

Samba Canção de Mário Travassos de Araújo
Gravado por Luís Barbosa
Acompanhamento de Mário Travassos de Araújo ao Piano
Disco Victor 33.660-B, matriz 65683-1
Gravado em 27 de março de 1933 e lançado em junho de 1933














Agradecimento ao Arquivo Nirez











Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...