terça-feira, 5 de janeiro de 2021

EFEMÉRIDES DE 05 DE JANEIRO

 




A data de hoje, 05 de janeiro, marca o nascimento e falecimento dos seguintes artistas: PARAGUASSÚ, CARMEN COSTA, HUMBERTO TEIXEIRA, LAURO MAIA e ZÉ GONZAGA.
 
 
 
PARAGUASSÚ


PARAGUASSÚ
Arquivo Nirez


 
Roque Ricciardi nasceu em São Paulo (SP), em 25 de maio de 1894. Era filho de imigrantes italianos.
 
Paraguassú aprendeu violão com seu vizinho, Antônio Russo, e aos 12 anos de idade já se apresentava em bares, tocando violão e cantando, em troca de gorjetas.
 
Em 1908, estreou em um café cantante, o Parisien, onde conheceu o palhaço e cantor Eduardo das Neves, que o convidou para participar de um festival que ele (Eduardo) promovia no Circo Spinelli, em 1909.
 
Em 1925 começou a gravar seu primeiros discos pela Odeon Record. Lançou em 1926 a modinha Cruz do Rosário. Esse disco o envolveria em uma ação judicial, pois foi comprovado o plágio feito por Paraguassú em cima da modinha A Pequenina Cruz do Teu Rosário, da autoria de Fernando Wayne e Roberto Xavier de Castro.
 
Em 1927 lançou seu primeiro disco feito em gravação elétrica pela Odeon, Berço e Túmulo, modinha de sua autoria.
 
Gravou vários discos pela Columbia, regravando sucessos como Casinha Pequenina, tema popular, e Casa Branca da Serra, de Guimarães Passos e Miguel Emídio Pestana.
 
Sua popularidade o levou a ser uma das estrelas de nosso primeiro filme musical, Coisas Nossas, de 1931.
 
Paraguassú gravou discos, entre 78 rpm e LPs até 1969.
 
Ele foi o primeiro cantor paulista a alcançar renome nacional sem precisar ir morar no Rio de Janeiro.
 

Paraguassú faleceu em São Paulo (SP), em 05 de janeiro de 1976, aos 81 anos.



Gravações Mecânicas


CRUZ DO ROSÁRIO
Modinha de Fernando Wayne e Roberto Xavier de Castro
Gravada por Paraguassu
Disco Odeon Record 122.936
Gravado em 1925 e lançado em 1926


FECHE A PORTA E LEVE A CHAVE
Sambinha de Américo Jacomino (Canhoto)
Gravado por Paraguassu
Disco Odeon Record 122.937
Gravado em 1925 e lançado em 1926



LUA DE FULGORES
Modinha de Chiquinha Gonzaga, arranjo de Paraguassú
Gravada por Paraguassu
Disco Odeon Record 122.938
Gravado em 1925 e lançado em 1926
Obs. Adaptação de Lua Branca.


Gravações Elétricas


A CHOÇA DO MONTE
Choro de Catullo da Paixão Cearense
Gravado por Paraguassu
Acompanhamento do Grupo do Canhoto
Disco Odeon 10.027-A, matriz 1204
Lançado em 1927



LAMENTOS
Modinha popular
Gravada por Paraguassu
Acompanhamento de José Sampaio ao Violão
Disco Columbia 5.026-B, matriz 380093-1
Gravado em 1929 e lançado em março de 1929



TRISTE CABOCLO
Samba de Paraguassu
Gravado por Paraguassu
Acompanhamento de José Sampaio ao Violão
Disco Columbia 5.026-B, matriz 380092-1
Lançado em março de 1929



CASINHA PEQUENINA
Modinha Popular
Gravada por Paraguassu
Acompanhamento de Violões
Disco Columbia 5.029-B, matriz 380100-1
Lançado em 1929



BRASILEIRINHA
Canção de Paraguassu
Gravada por Paraguassu
Acompanhamento de Violão
Disco Columbia 5.034-B, matriz 380118-1
Lançado em junho de 1929







CARMEN COSTA


CARMEN COSTA
Zé Gonzaga
http://memoria.bn.br/


 
Carmelita Madriaga nasceu na cidade de Trajano de Moraes (RJ), em 05 de janeiro de 1920.
 
Ainda pequena, trabalhou como empregada doméstica na casa de uma família de protestantes, onde aprendeu hinos religiosos, demonstrando seu talento como cantora. Em 1935, com 15 anos de idade, foi para o Rio de Janeiro e começou a trabalhar, também como empregada doméstica, na casa do cantor Francisco Alves. Nessa época, começou a frequentar programas de calouros do rádio.
 
Pouco depois, já participava do coro de gravações de nomes famosos da música popular. Em 1937, adotou o nome artístico Carmen Costa, que foi sugerido pelo compositor Henricão (Henrique Felipe da Costa), com que ela passou a viver, formando uma dupla em 1938. Em 1939, a dupla se apresentava em uma feira de amostras na Praça XV, no Rio de Janeiro, ao lado de nomes como Carmen e Aurora Miranda, Alvarenga e Ranchinho e Irmãs Pagãs. A dupla com Henricão durou até 1942, com quem gravou alguns discos desde 1939.
 
Seu primeiro disco solo foi gravado em 1942, onde gravou o samba Está Chegando a Hora, também seu primeiro sucesso. A música foi inspirada na canção mexicana Cielito Lindo. Entre os sucessos desse período, estão: Só vendo que beleza, Chamego e Casinha da Marambaia.
 
Carmen Costa se casou, em 1945, com o norte-americano Hans Van Koehler, viajando e morando no exterior por dois anos.
 
Foi uma cantora de muito sucesso nos anos 50 e 60. Como compositora, assinava como Dom Madrid.
 

Atuou como cantora até o fim da vida, vindo a falecer no Rio de Janeiro, vítima de insuficiência renal, em 25 de abril de 2007, aos 87 anos.


ESTÁ CHEGANDO A HORA
Samba, adaptação de Henricão e Rubens Campos
Gravado por Carmen Costa
Acompanhamento da Escola de Samba Praça 11
Disco Victor 34.892-A, matriz R-236
Gravado em 30 de dezembro de 1941 e lançado em abril de 1942



SÓ VENDO QUE BELEZA
Samba Choro de Rubens Campos e Henricão
Gravado por Carmen Costa
Acompanhamento de Luís Americano e Seu Regional
Disco Victor 34.892-B, matriz S-052483
Gravado em 19 de fevereiro de 1942 e lançado em abril



FORMOSA MORENA
Samba de Henricão e Rubens Campos
Gravado por Carmen Costa
Acompanhamento de Luís Americano e Seu Regional
Disco Victor 34.944-B, matriz S-052524
Gravado em 18 de maio de 1942 e lançado em julho



CARMILITO
Samba de Juan de Dios Filiberto e Henricão
Gravado por Carmen Costa
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 80-0004-A, matriz S-052590-2
Gravado em 05 de agosto de 1942 e lançado em outubro de 1942



FESTA NA ROÇA
Samba de Buci Moreira, Carlos de Sousa e Antônio Morais
Gravado por Carmen Costa
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 80-0004-B, matriz S-052591
Gravado em 05 de agosto de 1942 e lançado em outubro de 1942


VELHO REALEJO
Samba de Custódio Mesquita e Sadi Cabral
Gravado por Carmen Costa
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 80-0110-B, matriz S-052785-1
Gravado em 04 de junho de 1943 e lançado em setembro



CHAMEGO
Samba de Luís Gonzaga e Miguel Lima
Gravado por Carmen Costa
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 80-0172-A, matriz S-052926-1
Gravado em 15 de fevereiro de 1944 e lançado em abril



CASINHA DA MARAMBAIA
Samba de Henricão e Rubens Campos
Gravado por Carmen Costa
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 80-0172-B, matriz S-052927-1
Gravado em 15 de fevereiro de 1944 e lançado em abril





HUMBERTO TEIXEIRA


HUMBERTO TEIXEIRA
Memorial Luiz Gonzaga.
www.recife.pe.gov.br


 
Nascido em Iguatu (Ceará), em 05 de janeiro de 1915, Humberto Cavalcanti Teixeira tornou-se um dos mais talentosos compositores brasileiros.
 
Sua parceria com Luiz Gonzaga é antológica e rendeu clássicos musicais, como Qui Nem JilóAssum Preto Juazeiro.
 
Ainda compôs Kalu, sucesso na voz de Dalva de Oliveira e Poema Imortal, em parceria com o também cearense Lauro Maia, em gravação de Orlando Silva.
 
Porém, sua composição mais conhecida é também uma das mais lembradas e tocadas pelo mundo, Asa Branca, que retrata a seca nordestina e a necessidade que o sertanejo tem de deixar seu lar. Gravação original de Luís Gonzaga em 1947 na RCA Victor.
 
Outra composição antológica é Baião, que foi cantada por Carmen Miranda em inglês em seu penúltimo filme, Romance Carioca (Nancy Goes to Rio, 1950). Carmen também gravaria Baião, em inglês, ao lado das Andrews Sisters.
 
Sua filha Denise Dumont tornou-se atriz.
 
Humberto Teixeira faleceu em 03 de outubro de 1979, aos 64 anos, no Rio de Janeiro.



SAMBA DE ROÇA
Samba de Lauro Maia e Humberto Teixeira
Gravado por Orlando Silva
Acompanhamento de Abel e Raul com Regional
Disco Odeon 12.635-B, matriz 7898
Gravado em 03 de setembro de 1945 e lançado em outubro de 1945



DEUS ME PERDOE
Samba de Lauro Maia e Humberto Teixeira
Gravado por Cyro Monteiro
Acompanhamento de Benedito Lacerda e Seu Regional
Disco Victor 80-0370-A, matriz S-078328-1
Gravado em 07 de novembro de 1945 e lançado em janeiro de 1946



BAIÃO
Baião de Luís Gonzaga e Humberto Teixeira
Gravado pelos Quatro Ases e Um Coringa
Disco Odeon, matriz 8046
Gravado em 22 de maio de 1946 e lançado em outubro de 1946



ASA BRANCA
Toada de Luís Gonzaga e Humberto Teixeira
Gravada por Luís Gonzaga
Acompanhamento de Conjunto
Disco RCA Victor 80-0510-B, matriz S-078725-1
Gravado em 03 de março de 1947 e lançado em maio de 1947



KALU
Baião de Humberto Teixeira
Gravado por Dalva de Oliveira
Acompanhamento de Roberto Inglez e Sua Orquestra
Disco Odeon X-3.361-A, matriz CE.14096-2
Gravado e lançado em 1953






LAURO MAIA
 


LAURO MAIA
Carioca, 1940

http://memoria.bn.br



Lauro Maia Teles nasceu em Fortaleza, Ceará, em 06 de novembro de 1913. Também era arranjador, instrumentista e pianista.
 
Casou-se com Djanira Teixeira, que era irmã do compositor Humberto Teixeira, parceiro musical de Lauro Maia em várias composições.
 
Ainda adolescente, estudante do antigo ginásio, tocava piano no célebre Cine-Teatro Majestic, em Fortaleza. Em 1935, passou a trabalhar na Ceará Rádio Clube, dirigindo o programa Lauro Maia e Seu Ritmo.
 
Em 1937, obteve o primeiro lugar em um concurso musical promovido pelo jornal O Povo, do Rio de Janeiro, com a marcha Eu sei o que é, e o samba Eis o meu samba. Nesse mesmo ano, Lauro Maia lançaria para o carnaval os sambas Cadê a Melodia? e Foi uma Mulher, ambas para o bloco O que foi Galinha?.
 
Em 1942 compôs o samba Cara de Judeu, sendo o grito de guerra da Escola de Samba Lauro Maia, que desfilava pela primeira vez e se tronou um grande sucesso em Fortaleza.
 
Teve sua primeira composição gravada em 1942, pela Odeon, no Rio de Janeiro. Os intérpretes foram os Quatro Ases e Um Coringa, conjunto cearense que registrou a marcha Eu Vi um Leão.
 
A partir de então teve suas composições gravadas por grandes nomes de nosso cenário musical, a exemplo dos cearenses Gilberto Milfont e do conjunto Quatro Ases e Um Coringa, como também Orlando Silva, Cyro Monteiro, J. B. de Carvalho, Carmélia Alves, Violeta Cavalcanti, Déo, entre outros.
 

Lauro Maia foi um dos grandes compositores brasileiros dos anos 30 e 40, deixando uma bela e inspirada obra. Ele faleceria precocemente, vitimado pela tuberculose, em 05 de janeiro de 1950, no Rio de Janeiro, aos 36 anos.



EU VI UM LEÃO
Batuque de Lauro Maia
Gravado pelos Quatro Ases e Um Coringa
Disco Odeon 12.160-A, matriz 6943
Gravado em 16 de abril de 1942 e lançado em junho



PROVA DE FOGO
Samba de Lauro Maia
Gravado pelos Quatro Ases e Um Coringa
Disco Odeon 12.246-A, matriz 7151
Gravado em 21 de novembro de 1942 e lançado em janeiro de 1943



FEBRE DE AMOR
Samba de Lauro Maia
Gravado por Orlando Silva
Acompanhamento do Quarteto de Saxes
Disco Odeon 12.345-B, matriz 7248
Gravado em 02 de abril de 1943 e lançado em agosto



TREM DE FERRO
Marcha de Lauro Maia
Gravada pelos Quatro Ases e Um Coringa
Disco Odeon 12.355-A, matriz 7350
Gravado em 03 de agosto de 1943 e lançado em setembro



PALMINHA DE GUINÉ
Marcha Infantil de Lauro Maia
Gravada pelos Quatro Ases e Um Coringa
Disco Odeon 12.470-A, matriz 7588
Gravado em 02 de junho de 1944 e lançado em agosto



BATE COM O PÉ NO CHÃO
Samba de Lauro Maia
Gravado pelos Quatro Ases e Um Coringa
Disco Odeon 12.494-B, matriz 7637
Gravado em 18 de agosto de 1944 e lançado em outubro





ZÉ GONZAGA


Zé Gonzaga
http://memoria.bn.br/


José Januário Gonzaga do Nascimento nasceu em Exu (PE) em 15 de janeiro de 1921.
Era cantor, compositor, instrumentista e acordeonista, sendo irmão de Luís Gonzaga.

Iniciou sua carreira artística cantando em programas de calouros. Em 1948 já estava no Rio de Janeiro e, a convite de seu irmão, foi contratado pela Rádio Guanabara.

Gravou seu primeiro disco na Star em 1949.
Em 1950 já estava gravando pela Odeon.


Zé Gonzaga
http://memoria.bn.br/

Em 1951, excursionou pelo Norte do país, indo também à Argentina e Uruguai. Em 1952, excursionou pela França, substituindo seu irmão, em um evento promovido por Assis Chateaubrinad, apresentando-se no Cassino Deauville.

Gravaria até meados da década de 1960.

Zé Gonzaga faleceu no Rio de Janeiro em 12 de abril de 2002, aos 81 anos de idade.



AI SANFONA
Calango de Jeová Rodrigues Portela e José Januário
Gravado por Zé Gonzaga (Canto e Acordeon)
Acompanhamento de Regional
Disco Odeon 12.995-A, matriz 8627
Gravado em 23 de janeiro de 1950 e lançado em abril de 1950




BATENDO SOLA
Rancheira de J. Portela e José Januário
Gravada por Zé Gonzaga
Acompanhamento de Regional
Disco Odeon 12.995-B, matriz 8628-1
Gravado em 23 de janeiro de 1950 e lançado em abril de 1950




DISCO VOADOR
Choro de Abelardo Barbosa (Chacrinha) e José Gonçalves
Gravado por Zé Gonzaga
Acompanhamento de Regional
Disco Odeon 13.041-A, matriz 8709
Gravado em 15 de junho de 1950 e lançado em setembro de 1950




ALENCARINA BONITA
Balanceio de José Amâncio e José Januário
Gravado por Zé Gonzaga
Acompanhamento de Regional
Disco Odeon 13.041-B, matriz 8710
Gravado em 15 de junho de 1950 e lançado em setembro de 1950




AI ROSINHA
Polca de Zé Gonzaga e Silveira Lima
Gravada por Zé Gonzaga
Acompanhamento de Regional
Disco Odeon 13.057-A, matriz 8781
Gravado em 29 de agosto de 1950 e lançado em novembro de 1950




NO CASÓRIO DE IRINEU
Xote de José Amâncio e José Januário
Gravado por Zé Gonzaga
Acompanhamento de Regional
Disco Odeon 13.057-B, matriz 8782
Gravado em 29 de agosto de 1950 e lançado em novembro de 1950




JANUÁRIO CRIOU FAMA
Baião de J. Amâncio e José Januário
Gravado por Zé Gonzaga
Acompanhamento de Regional
Disco Odeon 13.107-A, matriz 8874
Gravado em 30 de novembro de 1950 e lançado em maio de 1951




MORENINHA DO SERTÃO
Marchinha de J. Praxedes, Ceci Viana e Peter Bill
Gravada por Zé Gonzaga
Acompanhamento de Regional
Disco Odeon 13.107-B, matriz 8875
Gravado em 30 de novembro de 1950 e lançado em maio de 1951















Agradecimento ao Arquivo Nirez










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...