sábado, 20 de fevereiro de 2021

ELSIE HOUSTON E AS CRÍTICAS MUSICAIS DE PHONO-ARTE

ELSIE HOUSTON




Elsie Houston foi uma das pioneiras e mais importantes cantoras pesquisadoras de nosso folclore, divulgando-o com sucesso em nosso país e no exterior.


Há 78 anos ela falecia, deixando uma grande lacuna em nossa música popular e nos estudos folclóricos.
 
Nascida no Rio de Janeiro em 22 de abril de 1902, Elsie Houston faleceria em Nova York, em 20 de fevereiro de 1943.
 
Com sua bela voz de soprano, interpretou peças folclóricas adaptadas por ela ou por Villa-Lobos, Luciano Galet, Jayme Ovalle, e ainda compositores como Ary Kerner e Amélia Brandão Nery.


Jpa homenageamos Elsie Houston, trazendo um relato sobre sua vida e carreira: RELEMBRANDO ELSIE HOUSTON: http://bit.ly/38MBue6 



ELSIE HOUSTON
Cedem - SP



Em sua homenagem, trago algumas críticas e anotações feitas sobre ela pela revista Phono-Arte em 1930, acompanhada de algumas gravações.
 
 

 
Phono-Arte nº39, de 15 de março de 1930


Esse número de Phono-Arte apresenta a letra de um sucesso do Carnaval de 1930, o samba Macumbagelê, música de Lilico Leal e letra de J. da Paulicéa. Foi gravado por Elsie Houston na Columbia, sendo ela acompanhada por Gaó, Petit e Zezinho, em uma divertida e animada gravação. Essa música foi feita em 1928, mas só gravada em 1930.
 

MACUMBAGELÊ
Samba de Lilico Leal e J. da Paulicéa
Gravado por Elsie Houston
Acompanhamento de Gaó, Petit e Zezinho
Disco Columbia 5.182-B, matriz 380606-1
Lançado em março de 1930


Phono-Arte nº39, 15 de março de 1930
Arquivo Nirez



A Gazeta (SP), 13 de fevereiro de 1928, p.03
http://memoria.bn.br/





Phono-Arte nº43, de 30 de maio de 1930


Para o mês de agosto de 1930 Phono-Arte fazia elogios a Elsie Houston devido aos lançamentos da cantora. Destacava não só a bonita voz de Elsie, mas a habilidade e acerto diante do microfone, chegado nas gravações brasileiras em 1927, além de uma articulação precisa e clara.


Phono-Arte nº43, 30 de maio de 1930
Arquivo Nirez


Elsie Houston também gravou versões de músicas americanas. Ela era filha de um dentista americano, James Houston, e de uma carioca, Arinda Houston.

Phono-Arte destaca duas versões gravadas por Elsie de músicas do filme O Sonho que Viveu (Sunny Side Up), sucesso nos cinemas em 1929, estrelado por Janet Gaynor e Charles Farrell.

Elsie Houston cantava os foxtrotes Sonhador (Aren´t We All) e Se Eu Ttivesse um Filme Falado de Você (If I Had a Talking Picture of You), que ela canta com Januário de Oliveira.


Phono-Arte nº43, 30 de maio de 1930
Arquivo Nirez



SONHADOR
Foxtrot de De Sylva, Brown, Henderson, em versão de Décio Abramo
Gravado por Elsie Houston
Acompanhamento de Gaó, Jonas, Napoleão e Zezinho
Disco Columbia 5.207-B, matriz 380666
Lançado em junho de 1930


 
SE EU TIVESSE UM FILME FALADO DE VOCÊ
Foxtrot de De Sylva, Brown, Henderson, em versão de Décio Abramo
Gravado por Elsie Houston e Januário de Oliveira
Acompanhamento de Gaó, Jonas, Napoleão e Zezinho
Disco Columbia 5.207-B, matriz 380665
Lançado em junho de 1930




Phono-Arte nº44, de 30 de junho de 1930


Novamente elogiando Elsie Houston, Phono-Arte aconselhava à gravadora Columbia a aproveitar a cantora, um “elemento precioso” entre seus artistas.
 
Entre as músicas destacadas, estava o samba de Ary Kerner, Morena Cor de Canela, gravado por Elsie Houston na Columbia em 1930. O outro lado do disco estava o samba, de Nelson Silveira de Souza e Jorge Pereira Nóbrega, Saudades da Bahia.
 

A crítica ainda destacava mais um disco da parceria Elsie Houston/Januário de Oliveira.



MORENA COR DE CANELA
Samba, adaptação de Ary Kerner Veiga de Castro
Gravado por Elsie Houston
Acompanhamento de Petit e Zezinho
Disco Columbia 5.217-B, matriz 380649
Lançado em junho de 1930


 
SAUDADES DA BAHIA
Samba de Jorge Pereira Nóbrega e Nelson Silveira de Souza
Gravado por Elsie Houston
Acompanhamento de Petit e Zezinho
Disco Columbia 5.217-B, matriz 380652
Lançado em junho de 1930



Phono-Arte nº46, de 30 de agosto de 1930
 

Esse número de Phono-Arte trazia a propaganda de duas interessantes músicas gravadas por Elsie Houston: Coração das Muié e Vou P´ra Bahia.
 

VOU P´RA BAHIA
Samba Canção de Pedro de Sá Pereira e Correia da Silva
Gravado por Elsie Houston
Acompanhamento de Gaó, Jonas, Petit e Chaves
Disco Columbia 5.242-B, matriz 380766
Lançado em julho de 1930


 
CORAÇÃO DAS MUIÉ
Canção de Plínio Brito e Domingos Magarinos
Gravado por Elsie Houston
Acompanhamento de Gaó, Jonas, Petit e Chaves
Disco Columbia 5.242-B, matriz 380767
Lançado em julho de 1930





Phono-Arte nº47, de 30 de setembro de 1930
 
 
Em setembro de 1930, Phono-Arte trazia três discos de Elsie Houston para serem avaliados em suas páginas. Entre as músicas gravadas estavam quatro cantadas em inglês e duas em português.
 
Das seis músicas conseguimos quatro, duas em inglês, Should I (de Arthur Freed e Hacio Herb Brown) e You do Something to Me (de Cole Porter). As peças cantadas em português eram O Barão da Bahia, de Maria Amélia Barros, e Cadê Minha Pomba Rola, batuque de motivo popular, com arranjo da própria Elsie Houston.


Phono-Arte nº47, 30 de setembro de 1930 
Arquivo Nirez



Phono-Arte nº47, 30 de setembro de 1930 
Arquivo Nirez



O BARÃO DA BAHIA
De Maria Amélia Barros
Gravada por Elsie Houston
Acompanhamento de Gaó, Jonas e Zezinho
Disco Columbia 7.014-B, matriz 380830
Lançado em setembro de 1930
 


 
CADÊ MINHA POMBA ROLA
Batuque Popular, arranjo de Elsie Houston
Gravado por Elsie Houston
Acompanhamento de Gaó, Jonas, Zezinho e Petit
Disco Columbia 7.014-B, matriz 380832
Lançado em setembro de 1930


 
SHOULD I
Foxtrot de Arthur Freed e Hacio Herb Brown
Gravado por Elsie Houston
Acompanhamento da Columbia Dance Orquestra
Disco Columbia 7.016-B, matriz 380798-1
Lançado em setembro de 1930


 
YOU DO SOMETHING TO ME
Foxtrot de Cole Porter
Gravado por Elsie Houston
Acompanhamento da Columbia Dance Orquestra
Disco Columbia 7.016-B, matriz 380799-1
Lançado em setembro de 1930




Outra atração sobre Elsie Houston neste número de Phono-Arte era a fotografia da artista com a seguinte legenda: “Pelo nome dir-se-ia tratar-se de uma artista extrangeira. Elsie Houston é, ao contrario, bem brasileira, como o demonstra fartamente na maneira Typica com que vem interpretando as nossas melodias atravez os discos Columbia. Aliás, acreditamos ser Elsie Houston o melhor elemento com que conta a Columbia Nacional para a interpretação das nossas canções. Possue voz muito phonogenica, canta com graça e muito desembaraço. Este mez, marcou um grande successo no seu disco n. 7.014, em que entôa com extraordinaria graça, o batuque, Cadê Minha Pomba Rôla e o samba O Barão da Bahia. É este um dos melhores discos lançados pela Columbia em Setembro. Os nossos parabens á distincta artista”.



Phono-Arte nº47, 30 de setembro de 1930 
Arquivo Nirez


 
Trazemos a fotografia original, assinada por Elsie Houston, que faz parte do Arquivo Nirez.


ELSIE HOUSTON
    "Á Phono-Arte, com a minha sympathia
Elsie Houston
Rio, 6/10/30".
Arquivo Nirez




Phono-Arte nº48, de 30 de novembro de 1930
 
 
Em novembro, as músicas lançadas por Elsie Houston, que foram analisadas por Phono-Arte, foram o samba de Ary Kerner, Aluga-se um Coração, e a marcha de Amélia Brandão Nery, Cheguei!.
 
Não encontramos as gravações, mas trazemos as críticas das mesmas.



Phono-Arte nº48, 30 de novembro de 1930
Arquivo Nirez














Agradecimentoa Gilberto Inácio Gonçalves e ao Arquivo Nirez










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...