quarta-feira, 16 de fevereiro de 2022

RECORDANDO O POETA ADELMAR TAVARES

ADELMAR TAVARES
O Malho, 1919
http://memoria.bn.br/



 
Vamos recordar o poeta ADELMAR TAVARES.
 
Além de poeta, Adelmar Tavares também foi advogado, jurista, professor e Imortal da Academia Brasileira de Letras.


Adelmar Tavares da Silva Cavalcanti nasceu em Recife, em 16 de fevereiro de 1888. Com menos de um mês de vida, passou a morar na cidade de Goiana, no sertão de Pernambuco, onde a família já morava. Sua mãe fora a Recife apenas para dar à luz.
 
Seus pais se chamavam Maria Cândida Tavares e Francisco da Silva Cavalcanti. Adelmar ingressou na Faculdade de Direito do Recife, colando grau em 1909. Quando ainda era estudante, colaborou na imprensa como redator do Jornal Pequeno.
 
Em 1910, passou a morar no Rio de Janeiro, ocupando importantes cargos. Foi professor de Direito Penal na Faculdade de Direito do Estado do Rio de Janeiro; promotor adjunto (1910); curador de resíduos e testamentos (1918); curador de órfãos (1918-1940); advogado do Banco do Brasil (1925-1930); desembargador da Corte de Apelação do Distrito Federal (1940) e presidente do Tribunal de Justiça (1948-1950).
 
Mesmo trabalhando com magistratura, Adelmar Tavares colaborava na imprensa, sendo muito conhecido nacionalmente por sua trova, considerado o maior trovador brasileiro. Apresentava uma obra poética caracterizada pelo romantismo, lirismo e sensibilidade, evocando sempre temas como a saudade e a vida simples junto à natureza.
 
Também era membro da Sociedade Brasileira de Criminologia, do Instituto dos Advogados, da Academia Brasileira de Belas Artes, membro e patrono da Academia Brasileira de Trovas. Era considerado o Príncipe dos Trovadores Brasileiros.
 
Foi eleito em 25 de março de 1926 para ser o quinto ocupante da Cadeira 11 na Academia Brasileira de Letras, sucedendo João Luís Alves. Foi presidente da Academia Brasileira de Letras em 1948.
 
Seus poemas e trovas, muito conhecidos do público, passaram a ser gravados em 1909, ainda na Casa Edison.
 
Em parceria com Abdon Lyra, Adelmar Tavares compôs a modinha Stella (Estela, na grafia atual). Essa composição fez muito sucesso, sendo gravada várias vezes, no período mecânico e elétrico de gravações. Mário Pinheiro, Eduardo das Neves, Orestes de Mattos, Stefana de Macedo e Paraguassú, seriam alguns de seus intérpretes.
 
Teve seu poema Dindinha Lua gravado em 1929 pela Miss Paraná 1929, Didi Caillet, que declama a poesia com muita graça.
 
Nesse ano de 1929, teve um outro poema gravado que fez muito sucesso: História Triste de Uma Praieira. Esse poema havia anos que fora composto, porém, em 1929, Stefana de Macedo, também pernambucana como Adelmar, fez um arranjo melódico sobre um tema popular e o gravou em disco Columbia. Até hoje a música é lembrada, sendo também conhecida como Meu Lindo Jangadeiro.
 

Adelmar Tavares faleceu no Rio de Janeiro em 20 de junho de 1963, aos 75 anos de idade.



RECORTES SOBRE ADELMAR TAVARES



Careta, 1910
http://memoria.bn.br/




Fon Fon, 1911
http://memoria.bn.br/




Fon Fon, 1911
http://memoria.bn.br/


Fon Fon, 1912
http://memoria.bn.br/



Comédia Jornal de Theatro, 1919
http://memoria.bn.br/




Comédia Jornal de Theatro, 1919
http://memoria.bn.br/




Fon Fon, 1919
http://memoria.bn.br/





O Malho, 1919
http://memoria.bn.br/




O Malho, 1919
http://memoria.bn.br/




Comédia Jornal de Theatro, 1919
http://memoria.bn.br/




Careta, 1920
http://memoria.bn.br/




Fon Fon, 1920
http://memoria.bn.br/




Fon Fon, 1920
http://memoria.bn.br/




Fon Fon, 1921
http://memoria.bn.br/





Illustração Brasileira, 1924
http://memoria.bn.br/




Vida Doméstica, 1924
http://memoria.bn.br/





Vida Doméstica, 1926
http://memoria.bn.br/






GRAVAÇÕES DA OBRA DE ADELMAR TAVARES




SERENATA

https://discografiabrasileira.com.br/

Serenata de Abdon Lyra e Adelmar Tavares
Gravada por Mário Pinheiro
Acompanhamento de Piano
Disco Odeon Record 108.281, matriz XR-841
Lançado em 1909


 
ESTELLA

https://discografiabrasileira.com.br/

Modinha de Abdon Lyra e Adelmar Tavares
Gravada por Orestes de Mattos
Acompanhamento de Conjunto
Disco Brazil 70.312
Lançado em 1910


 
STELLA

https://discografiabrasileira.com.br/

Canção de Abdon Lyra e Adelmar Tavares
Gravada por Mário Pinheiro
Acompanhamento de Violão
Disco Victor Record 99.730, matriz C9239
Gravado em 27 de junho de 1910 e lançado em 1910


 
STELLA

https://discografiabrasileira.com.br/

Modinha de Abdon Lyra e Adelmar Tavares
Gravada por Arthur Castro
Acompanhamento de Piano e Flauta
Disco Favorite Record 1-455.089, matriz 11482-0-
Gravado em 21 de maio de 1911 e lançado em 1911


 
STELLA

https://discografiabrasileira.com.br/

Modinha de Abdon Lyra e Adelmar Tavares
Gravada por Eduardo das Neves
Acompanhamento de Violão
Disco Odeon Record 108.678, matriz XR1621
Gravado e lançado em 1912



STELLA

https://discografiabrasileira.com.br/

Modinha de Adelmar Tavares e Abdon Lyra
Gravada por Arthur Castro
Acompanhamento de Violão
Disco Phoenix Record 278, matriz 1501
Lançado em 1913


 
LÁGRIMAS E RISOS

https://discografiabrasileira.com.br/

Valsa de Eustórgio Wanderley e Adelmar Tavares
Gravada por Bahiano
Acompanhamento de Violão
Disco Odeon Record 120.271, matriz 120271-2
Gravada em 22 de setembro de 1911 e lançado em 1913


 
E NADA MAIS
Canção de Hekel Tavares e Adelmar Tavares
Gravada por Roberto Vilmar
Disco Odeon 10.059-B, matriz 1349
Lançado em novembro de 1927


 
DINDINHA LUA
Poesia de Adelmar Tavares
Gravada por Didi Caillet
Disco Odeon 10.394-A, matriz 2582
Gravado em 15 de maio de 1929 e lançado em junho de 1929


 
STELLA
Canção de Abdon Lyra e Adelmar Tavares, arranjo de Stefana de Macedo
Gravada por Stefana de Macedo
Acompanhamento de Violões
Disco Columbia 5.067-B, matriz 380237
Lançado em setembro de 1929


 
HISTÓRIA TRISTE DE UMA PRAIEIRA
Canção Popular, versos de Adelmar Tavares, arranjo de Stefana de Macedo
Gravado por Stefana de Macedo
Acompanhamento de Violões
Disco Columbia 5.093-B, matriz 380236-2
Lançado em outubro de 1929


 
TABOADA
Canção de Joubert de Carvalho e Adelmar Tavares
Gravada por Francisco Alves
Acompanhamento de Conjunto
Disco Odeon 11.002-A, matriz 4513
Gravado em 26 de setembro de 1932 e lançado em maio de 1933
 


 
VER-TE SUMIR DOS MEUS OLHOS
Barcarola de Georgette Moherdani e Adelmar Tavares
Gravada por Gastão Formenti
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira
Disco Victor 34.063-B, matriz 80154-1
Gravado em 07 de maio de 1936 e lançado em junho de 1936


 
SENTIMENTO
Valsa de Adelmar Tavares e Míriam Rocha
Gravada por Paulo Murilo
Acompanhamento do Grande Conjunto de Benedito Lacerda
Disco Columbia 55.301-A, matriz 456
Gravado em 1941 e lançado em setembro de 1941


 
DIZEM QUE AMAR CUSTA MUITO
Samba de Adelmar Tavares e Míriam Rocha
Gravada por Paulo Murilo
Acompanhamento do Grande Conjunto de Benedito Lacerda
Disco Columbia 55.301-B, matriz 457
Gravado em 1941 e lançado em setembro de 1941


 
ESTELA
Modinha de Abdon Lyra e Adelmar Tavares, arranjo de Stefana de Macedo
Gravada por Paraguassú
Acompanhamento de Rago e Seu Conjunto
Disco Continental 15.419-A, matriz 10445-1
Gravado em 12 de julho de 1945 e lançado em setembro de 1945


 
LÁGRIMAS E RISOS
Canção de Eustórgio Wanderley e Adelmar Tavares
Gravada por Vicente Celestino
Acompanhamento de Orquestra
Disco RCA Victor 80-0976-B, matriz SB-093345
Gravado em 02 de julho de 1952 e lançado em setembro de 1952


 
CANTIGA (VELA BRANCA)
Canção de Lina Pesce e Adelmar Tavares
Gravada por Nadir de Melo Couto
Acompanhamento de Orquestra
Disco Copacabana 20.001-B, matriz M-503
Lançado em 1953


 
OLHA-ME BEM NOS OLHOS
Canção de Joubert de Carvalho e Adelmar Tavares
Gravada por Paulo Tapajós
Acompanhamento de Léo Perachi e Sua Orquestra
Disco Sinter 513-B, matriz S-1134
Gravado em 1956 e lançado em dezembro de 1956














Agradecimento ao Arquivo Nirez










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...