Translate

sexta-feira, 19 de junho de 2020

FESTIVAL CARMEN MIRANDA 1930 - 90 ANOS


CARMEN MIRANDA E NIPPER, 1930.
Arquivo Nirez


FESTIVAL CARMEN MIRANDA
– 90 ANOS –



Há 90 anos Carmen Miranda apresentava o seu primeiro festival no Theatro Lyrico do Rio de Janeiro.




O primeiro semestre de 1930 foi decisivo e fundamental para a carreira de Carmen Miranda. Em dezembro de 1929 ela fazia suas primeiras gravações na Victor após ter gravado um disco na Brunswick. Em janeiro, Carmen já gravada seus primeiros sucessos como Triste Jandaya, Dona Balbina, Yayá Yoyô e a marcha P´ra você gostar de mim (Taí) que a consagrou como cantora nacional.

A partir de então, a gravadora Victor investiu em seu talento e Carmen gravava com regularidade, dando entrevistas, participando de programas de rádio e espetáculos como convidada.

Naquela época, era comum os artistas apresentarem um festival em sua homenagem, onde vários colegas eram convidados para tornar a noite mais brilhante. Carmen Miranda programou o seu festival para a tarde do dia 19 de junho de 1930, a ser realizado no Theatro Lyrico, no Rio de Janeiro.

Os jornais anunciavam o evento, que tornaria Carmen Miranda ainda mais conhecida, encerrando o semestre com “chave de ouro” e consolidando sua carreira de cantora.

Um dia antes, em 18 de junho de 1930, o jornal O Paiz informava: “A julgar pela procura que têm tido os bilhetes para o festival que a senhorita Carmen Miranda leva a efeito amanhã, à tarde, o amplo teatro da Guarda Velha ficará sem um só lugar vago”.

Carmen Miranda não se apresentou sozinha. Vários artistas de peso participaram do evento, como Procópio Ferreira, Olegário Mariano, Patrício Teixeira, Breno Ferreira Gastão Formenti, Alda Garrido, Raul Roulien, Thamar Moema, Sylvio Vieira, Álvaro Moreyra, Olympio Bastos (Mesquitinha), Orquestra Victor Brasileira, entre outros.

O programa era o seguinte:

Primeira Parte
Orquestra Victor – Gypsy dream rose, fox
Procópio Ferreira – A Mulata
Hortência Santos – A Rosa e o Espinho
Palitos Payta – Tago Argentino (paródia)
Estevão Amarante – A Voz do Vinho
Alda Garrido – Ri melhor quem ri por último
Olympio Bastos – Paródia à Casa de Caboclo.

Segunda Parte
Orquestra Victor – Modulando, choro
Carmen Miranda (com acompanhamento da Orquestra Victor) – Neguinho e Gostinho Diferente
Orquestra Victor – Tamoio e Quebrando
Carmen Miranda (ao violão de Rogério Guimarães, Josué de Barros e Jacy Pereira) – Ciúme da Cabocla, Triste Jandaya e A muié quando não qué.

Terceira Parte
Orquestra Victor – Dr. Sem sorte, tango
Álvaro Moreira – Futebol
Sylvio Vieira – Se uma boca vou beijar
Gastão Formenti – Sou Yoyô de Yayá e Dá-se um Jeitinho
Patrício Teixeira – Jurity e Samba na Areia
Breno Ferreira – Casa de Caboclo por um alemão e Côco Catolé.
Thamar Moema – Volverás e La Pampera
Olegário Mariano – Meu Brasil e outros poemas.


No dia seguinte, 20 de junho de 1930, o jornal A Noite publicou: “Foi uma noite encantadora a de Carmen Miranda, ontem, no Lyrico. A velha casa de diversões da rua Treze de Maio ficou com a sua lotação esgotada e Carmen Miranda, ainda uma vez, teve a ocasião de verificar a simpatia de que desfruta do nosso público. Ela cantou com muita graça e muita expressão várias modinhas brasileiras do seu repertório”.

No festival, ainda foi homenageado Agostinho Fortes Filho, conhecido como Fortes, do Fluminense F. C., que foi jogador 2º colocado no concurso dos Cigarros Monroe. O vencedor foi Russinho, do Vasco da Gama, que ganharia depois uma baratinha (automóvel), sendo imortalizado no samba Quem dá Mais?, de Noel Rosa.

Carmen Miranda se fixava cada vez mais como cantora e intérprete de nossa música. Em breve, ela seria a cantora de mais destaque e popularidade da década de 1930.


Recortes sobre o Festival Carmen Miranda



A BATALHA


A Batalha, 19 de junho de 1930, p.04
http://memoria.bn.br/

A NOITE


A Noite, 05 de junho de 1930, p.04
http://memoria.bn.br/


A Noite, 18 de junho de 1930, p.05
http://memoria.bn.br/


A Noite, 20 de junho de 1930, p.05
http://memoria.bn.br/


CORREIO DA MANHÃ



Correio da Manhã, 11 de junho de 1930, p.10
http://memoria.bn.br/


Correio da Manhã, 19 de junho de 1930, p.05
http://memoria.bn.br/


DIÁRIO CARIOCA


Diário Carioca, 19 de junho de 1930, p.02
http://memoria.bn.br/


O PAIZ


O Paiz, 15 de junho de 1930, p.05
http://memoria.bn.br/


O Paiz, 18 de junho de 1930, p.05
http://memoria.bn.br/




Gravações de algumas músicas do 
Festival Carmen Miranda



MEU BRASIL
Declamação de poema de Olegário Mariano
Gravado por Olegário Mariano
Disco Parlophon 12.853-B, matriz 1934
Lançado em novembro de 1928



SAMBA NA AREIA


Samba de Pixinguinha
Gravado por Mário Pessoa
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira
Disco Victor 33.247-A, matriz 50123-2
Gravado em 27 de novembro de 1929 e lançado em janeiro de 1930



TRISTE JANDAIA
Canção Toada de Josué de Barros
Gravada por Carmen Miranda
Acompanhamento de Rogério Guimarães e Josué de Barro aos Violões
Disco Victor 33.249-A, matriz 50134-2
Gravado em 04 de dezembro de 1929 e lançado em janeiro de 1930



SOU YOYÔ DE YAYÁ
Samba Canção de Henrique Vogeler
Gravado por Gastão Formenti
Acompanhamento da Orquestra Pan American, sob a direção de Simon Bountman
Disco Odeon 10.563-A, matriz 3280
Lançado em fevereiro de 1930



PAGANINI - SE UMA BOCA EU BEIJAR


Canção de Franz Lehar e Sylvio Vieira
Gravada por Sylvio Vieira
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira
Disco Victor 33.286-B, matriz 50237-2
Gravado em 17 de abril de 1930 e lançado em agosto de 1930



GOSTINHO DIFERENTE


Samba de Joubert de Carvalho
Gravado por Carmen Miranda
Acompanhamento da Orquestra Victor e Violão
Disco Victor 33.287-A, matriz 50239-2
Gravado em 23 de abril de 1930 e lançado em julho de 1930



NEGUINHO


Canção de Joubert de Carvalho
Gravada por Carmen Miranda
Acompanhamento da Orquestra Victor e Violão
Disco Victor 33.287-B, matriz 50239-2
Gravado em 22 de abril de 1930 e lançado em julho de 1930



MODULANDO


Maxixe de Tinoco Filho
Gravado pela Orquestra Victor Brasileira
Disco Victor 33.289-A, matriz 50244-2
Gravado em 28 de abril de 1930 e lançado em junho de 1930



DOUTOR SEM SORTE


Maxixe de De Bens
Gravado pela Orquestra Victor Brasileira
Disco Victor 33.289-B, matriz 50243-2
Gravado em 28 de abril de 1930 e lançado em junho de 1930



DÁ-SE UM JEITINHO
Samba de Joubert de Carvalho
Gravado por Gastão Formenti
Disco Odeon 10.602-A, matriz 3511
Lançado em maio de 1930



TAMOIO


Maxixe de Carlos Cardoso
Gravado pela Orquestra Victor Brasileira
Disco Victor 33.318-A, matriz 50305-2
Gravado em 10 de junho de 1930 e lançado em novembro de 1930



CATOLÉ


Embolada de Randoval Montenegro
Gravada por Breno Ferreira
Acompanhamento do Choro Victor
Disco Victor 33.319-A, matriz 50314-1
Gravado em 11 de junho de 1930 e lançado em dezembro de 1930



CIÚME DE CABOCA


Toada de Josué de Barros
Gravada por Elisa Coelho
Acompanhamento de Rogério Guimarães e Jacy Pereira aos Violões
Disco Victor 33.444-B, matriz 50308-1
Gravado em 11 de junho de 1930 e lançado em agosto de 1931



A MULHÉ QUANDO NÃO QUÉ


Lundu de Sátiro de Melo
Gravado por Carmen Miranda
Acompanhamento do Choro Victor
Disco Victor 33.339-B, matriz 50318-1
Gravado em 13 de junho de 1930 e lançado em setembro de 1930













Agradecimento a Abel Cardoso Jr. (In memoriam) e ao Arquivo Nirez










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...