segunda-feira, 18 de outubro de 2021

EFEMÉRIDES DE 18 DE OUTUBRO


 


A data de hoje, 18 de outubro, marca o nascimento ou falecimento dos seguintes artistas: CASIMIRO DE AMBREU, AMÉLIA BRANDÃO NERY, BRENO FERREIRA, GRANDE OTELO, JORACY CAMARGO e FAFÁ LEMOS.



 
CASIMIRO DE ABREU
(1839 – 1860)



 
O poeta Casimiro de Abreu pertenceu à Segunda Geração Romântica, no século XIX. Nascido no interior do estado do Rio de Janeiro , em 04 de janeiro de 1839, ele faleceu em Indaiaçú (atual Casimiro de Abreu – RJ), em 18 de outubro de 1860, com 21 anos de idade.
 
Com um espírito romântico, ele escreveu seus primeiros versos quando morava em Portugal, inspirado pela saudade de sua família e casa, no Brasil.
 
Um de seus mais famosos poemas é Meus Oito Anos.
 
Um ano antes de falecer, publicou um livro com suas poesias reunidas, intitulado Primaveras (1859).
 
A partir de 1902, teve seus poemas musicados e gravados em discos. Uma dessas gravações, realizada em 1903 por Senhorita Odette, é a do belo poema Poesia e Amor, que foi musicado por Chiquinha Gonzaga.
 
Saibam mais sobre Casimiro de Abreu: https://bit.ly/3p3f0Nb
 

 
POESIA E AMOR
Poema musicado por Chiquinha Gonzaga
Gravado por Senhorita Odete em 1903
Disco Zon-O-Phone X705



MEU LAR
Modinha gravada por Mário Pinheiro
Disco Odeon Record 70.508
Gravado por volta de 1907


 
AMOR E MEDO
Canção gravada por Mário Pinheiro
Disco Odeon Record 70.514
Gravado por volta de 1907


 

 
 
AMÉLIA BRANDÃO NERY
(1897 – 1983)



AMELIA BRANDÃO NERY
Arquivo Nirez


 
Amélia Brandão Nery foi uma importante instrumentista, pianista e compositora pernambucana. Nascida em Jaboatão (PE), em 25 de maio de 1897, ela faleceu em Goiânia (GO), em 18 de outubro de 1983, aos 86 anos de idade.
 
Ao final da década de 1920 e início da década de 1930, Amélia Brandão Nery tornou-se um nome conhecido no meio musical do Rio de Janeiro, já sendo prestigiada em Pernambuco e no Nordeste (na época, chamado de Norte).
 
Por esse período, teve suas composições gravadas por importantes nomes ne nossa música popular, como os também pernambucanos Stefana de Macedo e Vicente Cunha.
 
Compositora e pianista inspirada, ela seria homenageada pelo célebre pianista e compositor Ernesto Nazareth.
 
A filha de Amélia, Silene Brandão Nery, era cantora e gravou algumas obras da mãe.
 
Já idosa, Amélia passou a ser conhecida como Tia Amélia, conquistando novas gerações com teu talento e carisma.
 
Saibam mais sobre Amélia Brandão Nery: https://bit.ly/3hS2q3e
 


 
MALVADA
Samba de Amélia Brandão Nery
Gravado por Vicente Cunha (Aitaré)
Acompanhamento de Gaó, Zezinho, Chaves e Grany
Disco Columbia 5.240-B, matriz 380803-1
Lançado em julho de 1930

 

CASA DE FARINHA
Cantiga de Amélia Brandão Nery
Gravada por Stefana de Macedo
Acompanhamento de Gaó, Zezinho, Chaves e Napoleão
Disco Columbia 7.032-B, matriz 380809
Lançado em outubro de 1930



 
NOS CAFUNDÓ DO CORAÇÃO
Canção Amélia Brandão Nery
Gravada por Stefana de Macedo
Acompanhamento de Gaó, Zezinho e Chaves
Disco Columbia 7.032-B, matriz 380821
Lançado em outubro de 1930



 
MEU POETA
Choro de Amélia Brandão Nery
Gravado por Tia Amélia ao piano
Disco Continental 16.873-A, matriz C-3201
Gravado em 18 de agosto de 1953 e lançado em novembro/dezembro


 
CHUVISCO
Choro de Amélia Brandão Nery
Gravado por Tia Amélia ao piano
Disco Continental 16.873-B, matriz C-3202
Gravado em 18 de agosto de 1953 e lançado em novembro/dezembro


 


 
 
BRENO FERREIRA
(1907 – 1966)



BRENO FERREIRA
Arquivo Nirez


 
O cantor e compositor Breno Ferreira Hehl nasceu na cidade do Rio de Janeiro, em 18 de outubro de 1907, falecendo nessa mesma cidade em 23 de novembro de 1966.
 
Foi um dos artistas pioneiros da gravadora Victor, no Brasil, em 1929, sendo um dos primeiros a lançar discos por esse selo.
 
Foi contemporâneo de Carmen Miranda, Jesy Barbosa, Sylvio Salema, entre outros, gravando vários discos entre 1929 e o começo da década de 1930.
 
Ele compôs a embolada Andorinha Preta, gravada também por Nat King Cole na década de 1960.
 
Também foi advogado.
 
 
Saibam mais sobre Breno Ferreira: https://bit.ly/3aNz2qf
 

 
 
CONSEIO DE CABOCO
Toada Sertaneja de Josué de Barros
Gravada por Breno Ferreira
Acompanhamento do Choro Victor
Disco Victor 33.212-A, matriz 50004-4
Gravado em 04 de junho de 1929 e lançado em novembro


 
CAIS DOURADO
Toada de J. B. da Silva (Sinhô)
Gravada por Breno Ferreira
Acompanhamento do Choro Victor
Disco Victor 33.211-A, matriz 50043-2
Gravado em 13 de setembro de 1929 e lançado em novembro

 

CHORADEIRA DE JECA
Samba de B. M. de Souza
Gravado por Breno Ferreira
Acompanhamento da Orquestra Victor
Disco Victor 33.224-A, matriz 50070-1
Gravado em 09 de outubro de 1929 e lançado em dezembro

 

MEU GAVIÃO
Samba de Benar
Gravado por Breno Ferreira
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira
Disco Victor 33.250-B, matriz 50140-2
Gravado em 09 de dezembro de 1929 e lançado em janeiro de 1930


 
PAPAGAIO SABIDO
Samba de Pixinguinha e C. Araújo
Gravado por Breno Ferreira
Acompanhamento de dois violões e Orquestra
Disco Victor 33.273-A, matriz 50175-2
Gravado em 18 de fevereiro de 1930 e lançado em maio




 
 
GRANDE OTELO
(1915 – 1993)



GRANDE OTELO
https://twitter.com/jornaloglobo


 
Sebastião Fernandes de Souza Prata nasceu em Uberlândia (MG), em 18 de outubro de 1915, falecendo em Paris, em 26 de novembro de 1993). Em sua primeira infância, foi adotado pela soprano Abigail Alessio Parecis, que também havia sido adotada.
 
Como Grande Otelo, foi um dos maiores artistas brasileiros, dono de um talento ímpar como ator e ainda se destacando como compositor.
 
Ainda criança, fez parte da famosa Companhia Negra de Revistas. Já na década de 1930, continuou atuando no Teatro de Revista, através da empresa de Jardel Jércolis, atuando também no cinema e em cassinos, como o Cassino da Urca, ao lado de Carmen Miranda e Josephine Baker.
 
No cinema, destacou-se em Moleque Tião, de 1943, protagonizado por ele. Mas, seu maior sucesso viria em 1969, com Macunaíma. Na década de 1950, faria uma dupla de muito sucesso com Oscarito nos musicais da Atlântida.
 
Grande Otelo participaria ativamente na televisão brasileira, em novelas ou em programas de humor, como A Escolinha do Professor Raimundo, apresentada e dirigida por Chico Anísio. Como ator, um de seus papéis marcantes foi como Justo em Sinhá Moça, de 1986, onde brilhou ao lado de Jacyra Sampaio, Ruth de Souza e seu filho, Pratinha.
 
Como compositor, ele deixou clássicos como Praça Onze, samba composto em parceria com Herivelto Martins.
 

 
MARIA BONITA
Marcha de Odaurico Mota
Gravada por Grande Otelo
Acompanhamento de Fon Fon e Sua Orquestra
Disco Columbia 55205-A, matriz 258-1
Gravado em 06 de janeiro de 1940 e lançado em janeiro


 
PAULO, PAULO
Samba de Osvaldo Chave Ribeiro (Gadé)
Gravado por Aurora Miranda e Grande Otelo
Acompanhamento de Conjunto
Disco Victor 34.608-B, matriz 33355-1
Gravado em 19 de março de 1940 e lançado em junho


 
PRAÇA ONZE
Samba de Herivelto Martins e Grande Otelo
Gravado pelo Trio de Ouro e Castro Barbosa
Acompanhamento do Grande Conjunto de Benedito Lacerda
Disco Columbia 55.319-A, matriz 488-2
Gravado em 25 de dezembro de 1941 e lançado em janeiro de 1942


 
BOM DIA AVENIDA
Samba de Herivelto Martins e Grande Otelo
Gravado pelo Trio de Ouro
Acompanhamento de Benedito Lacerda e Seu Conjunto
Disco Odeon 12.406-B, matriz 7425-1
Gravado em 23 de novembro de 1943 e lançado em janeiro de 1944


 
JÁ TENHO COMPROMISSO
Batucada de Carvalhinho e Romeu Gentil
Acompanhamento de Claudionor Cruz e Seu Conjunto
Gravada por Grande Otelo
Disco Odeon 12533-B, matriz 7695
Gravado em 27 de outubro de 1944 e lançado em janeiro de 1945

 


 
 
JORACY CAMARGO
(1898 – 1973)



JORACY CAMARGO


 
Joracy Schafflor Camargo nasceu no Rio de Janeiro, em 18 de outubro de 1898, falecendo nessa mesma cidade em 11 de março de 1973.
 
Como Joracy Camargo, foi jornalista, cronista, professor e teatrólogo, sendo também integrante da Academia Brasileira de Letras.
 
Alguns de seus poemas foram musicados e gravados, como Favela, Guacira e Mamãe Baiana, gravados por Raul Roulien e Aracy de Almeida.
 
Entre suas peças, destaca-se Deus lhe pague, de 1932, sucesso do ator Procópio Ferreira. Também escreveu para o Teatro de Revista.
 
Joracy Camargo foi um dos presidentes da SBAT (Sociedade Brasileira de Autores Teatrais).
 
 
 
TU NUM GOSTA DE NINGUÉM
Canção de G. Lucena e Joracy Camargo
Gravada por Gastão Formenti
Acompanhamento de Henrique Vogeler ao Piano
Disco Odeon 10.392-B, matriz 2568
Lançado em junho de 1929


 
FAVELA
Canção Estilo Carioca de Hekel Tavares e Joracy Camargo
Gravada por Raul Roulien
Acompanhamento de Hekel Tavares ao Piano
Disco Victor 33.631-A, matriz 65655-2
Gravado em 24 de janeiro de 1933 e lançado em março de 1933


 
GUACIRA
Canção Brasileira de Hekel Tavares e Joracy Camargo
Gravada por Raul Roulien
Acompanhamento de Hekel Tavares ao Piano
Disco Victor 33.631-B, matriz 65667-1
Gravado em 07 de fevereiro de 1933 e lançado em março de 1933


 
LEILÃO
Cena Colonial de Hekel Tavares e Joracy Camargo
Gravada por Jorge Fernandes
Acompanhamento da Orquestra Odeon de Salão
Disco Odeon 11.032-B, matriz 4641
Gravado em 15 de abril de 1933 e lançado em julho de 1933


 
MAMÃE BAIANA
Canção Regional de Joracy Camargo e Xerém
Gravada por Aracy de Almeida
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 34.586-A, matriz 33322-1
Gravado em 14 de fevereiro de 1940 e lançado em abril de 1940
 



 
 
FAFÁ LEMOS
(1921 – 2004)



FAFA LEMOS
http://memoria.bn.br/


 
Rafael Lemos Júnior nasceu no Rio de Janeiro em 19 de fevereiro de 1921, falecendo nessa mesma cidade, em 18 de outubro de 2004.
 
Fafá Lemos foi um instrumentista e violinista brasileiro, considerado por muitos como um dos precursores da Bossa Nova.
 
Em 1940, atuou em orquestras como a de Carlos Machado, no Rio de Janeiro. Ainda nesse ano, foi instrumentista da Orquestra Sinfônica Brasileira durante quatro meses.
 
Em 1950, passou a atuar na Rádio Nacional como solista.
Começou a gravar discos em 1951, acompanhando, ainda nesse ano, Linda Batista na famosa gravação de Vingança, de Lupicínio Rodrigues.
 
Também gravaria cantando, como no interessante samba Meu Guarda-Chuva, que ele gravou em 1952.
 
Fafá Lemos atuaria até o final da década de 1990, quando se aposentou.
 
 
 
VINGANÇA
Samba Canção de Lupicínio Rodrigues
Gravado por Linda Batista
Acompanhamento de Conjunto
Disco RCA Victor 80-0802-A, matriz S-092961
Gravado em 29 de maio de 1951 e lançado em agosto de 1951


 
CIGANO NO BAIÃO
Baião de Garoto
Gravado por Fafá Lemos ao Violino
Acompanhamento de Regional
Disco RCA Victor 80-0804-A, matriz S-092963
Gravado em 30 de maio de 1951 e lançado em agosto de 1951


 
VIOLINO TRISTE
Fox Canção de Paulo César
Gravado por Fafá Lemos e Seu Conjunto
Disco RCA Victor 80-0922-B, matriz S-093249
Gravado em 23 de abril de 1952 e lançado em julho de 1952


 
MEU GUARDA-CHUVA
Samba de Ubenor Santos e Amâncio de Morais
Gravado por Fafa Lemos (Canto)
Acompanhamento de Conjunto
Disco RCA Victor 80-0968-A, matriz S-093327
Gravado em 18 de junho de 1952 e lançado em setembro de 1952


 
UMA NOITE NA LAPA
Choro de Guaxini
Gravado por Fafá Lemos ao Violino
Acompanhamento de Seu Conjunto
Disco RCA Victor 80-0968-B, matriz S-093328
Gravado em 18 de junho de 1952 e lançado em setembro de 1952
 










 
 
 

Agradecimento ao Arquivo Nirez








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...