sexta-feira, 15 de maio de 2020

EFEMÉRIDES DE 15 DE MAIO: ANA S. CABRERA, MANUEL MONTEIRO, ALCIDES GERARDI, CAUBY PEIXOTO E ZEZINHA




A data de hoje, 15 de maio, marca o nascimento ou falecimento dos seguintes artistas: ANA S. CABRERA, MANUEL MONTEIRO,  ALCIDES GERARDI, CAUBY PEIXOTO e ZEZINHA.






ANA S. CABRERA


Arquivo Humberto Franceschi


Ana Schneider de Cabrera nasceu Simoca, Província de Tucumán, na Argentina, em 14 de dezembro de 1890.

Além de cantora, Ana S. Cabrera foi violonista e compositora de temas folclóricos e tangos, adotando em algumas ocasiões o pseudônimo de Anastasio Leiva. Quando esteve em Córdoba, estudou clássico com o célebre violonista espanhol Andrés Segovia.

Em reconhecimento à sua experiência, o Ministério de Instrução Pública a enviou à Europa, em 1926, para dar concertos e conferências explicando a música argentina e americana, apresentando-se em Madrid e na Sorbone, de Paris.

Ana S. Cabrera morou alguns anos no Brasil, chegando aqui na segunda metade da década de 1920, gravando alguns discos pela Odeon.

Ela faleceu em 15 de maio de 1970, aos 79 anos de idade.

FUMANDO ESPERO
Tango Argentino de Juan Villadomat
Gravado por Ana S. Cabrera
Acompanhamento de Piano e Violino
Disco Odeon 10.038-A
Lançado em outubro de 1927



PATO CON VARIACIONES
Baile Argentino de Ana S. Cabrera
Gravado por Ana S. Cabrera
Acompanhamento de Violão
Disco Odeon 10.038-B, matriz 1294
Lançado em outubro de 1927


  

MANUEL MONTEIRO


Manuel Monteiro
https://soundcloud.com/manuel-monteiro-fadista


Manuel Monteiro nasceu em Martinho de Cimbres, Portugal, em 15 de maio de 1909 (algumas fontes dão como 1901).

Em 1923, aos 14 anos, veio com o pai para o Brasil.

Estreou na carreira artística em 1933, atuando no rádio e gravando seu primeiro disco, com os fados O Teu Olhar e O Último Fado, ambos de Carlos Campos.

Manuel Monteiro foi um dos populares cantores dos anos 30, gravando marchas, sambas, mas também fados, sempre divulgando a música portuguesa no Brasil.

Em 1935, atuou no filme Alô, Alô Brasil, cantando a marcha Salada Portuguesa, de Vicente Paiva e Paulo Barbosa, mais conhecida como Caninha-Verde.

Em 1939, Manuel Monteiro apresentou-se em Lisboa, Porto e Coimbra ao lado de Moreira da Silva.

Em 1948, atuou como ator e também responsável pela cenografia do filme Inconfidência Mineira, dirigido por Carmen Santos, que trazia no elenco grandes nomes como Benjamin de Oliveira e Rodolfo Meyer.

Manuel Monteiro faleceu em 26 de novembro de 1990, no Rio de Janeiro, aos 81 anos de idade.


ROSAS DIVINAIS
Fado de Caramés e Domingos Santos
Gravado por Manuel Monteiro
Acompanhamento de Caramés na Guitarra e Jélio Gonçalves Dias ao Violão
Disco Odeon 11.052-A, matriz 4705
Gravado em 04 de agosto de 1933 e lançado em setembro de 1933



FADO DO DESTINO
Fado de Manuel Monteiro e Alípio Rama
Acompanhamento de Caramés na Guitarra e Jélio Gonçalves Dias ao Violão
Disco Odeon 11.052-B, matriz 4706
Gravado em 04 de agosto de 1933 e lançado em setembro de 1933



SALADA PORTUGUESA
Marcha de Vicente Paiva e Paulo Barbosa
Gravada por Manuel Monteiro
Acompanhamento da Orquestra Odeon, sob a Direção de Simon Bountman
Disco Odeon 11.183-A, matriz 4949
Gravado em 21 de novembro de 1934 e lançado em janeiro de 1935



MORENINHA DO RANCHO
Marcha de Vicente Paiva e Paulo Barbosa
Gravada por Manuel Monteiro
Acompanhamento da Orquestra Odeon, sob a Direção de Simon Bountman
Disco Odeon 11.183-B, matriz 4948
Gravado em 21 de novembro de 1934 e lançado em janeiro de 1935



MINHA TERRA
Fado Canção de Caramés e Domingos Santos
Gravado por Manuel Monteiro
Acompanhamento de Caramés e Ferreira nas Guitarras e Pinheiro ao Violão
Disco Odeon 11.237-A, matriz 5055
Gravado em 28 de maio de 1935 e lançado em agosto de 1935



LISBOA ANTIGA
Fado Marcha de Raul Portela e Amadeu do Vale
Gravado por Manuel Monteiro
Acompanhamento de Ferreira e Lourenço nas Guitarras e Dias ao Violão
Disco Odeon 11.470-A, matriz 5532
Gravado em 08 de março de 1937 e lançado em maio de 1937





ALCIDES GERARDI


http://memoria.bn.br

  
João Alcides Gerardi nasceu em Rio Grande (RS), em 15 de maio de 1918. Ainda criança, transferiu-se com a família para Porto Alegre, cursando e concluindo a escola primária.

Iniciou sua carreira de cantor atuando como crooner em uma orquestra de dancing. Passou a morar no Rio de Janeiro na segunda metade da década de 1930, tentando se candidatar como calouro em um programa da Rádio Nacional, não sendo contratado.

Seu primeiro disco foi gravado em 1945, na Odeon, sendo acompanhado por George Brass no acordeon. O disco trazia sua gravação, no lado A, da valsa Lourdes, de George Brass e Mário Rossi.

Ao longo da segunda metade da década de 1940, Alcides Gerardi gravou vários discos pela Odeon. A partir de 1947, gravou alguns discos pela Star. No final de 1955, passou a lançar discos pela Columbia, fazendo sucesso com boleros e sambas canção. Em 1962 começaria a gravar pela CBS.

Alcides Gerardi foi um dos grandes cantores dos anos 50 e 60, com seu repertório romântico que incluíam sucessos como Cabecinha no Ombro e A Chuva Cai.

Ele faleceria em 03 de janeiro de 1978, em um acidente na Via Dutra (RJ), quando voltava de um show, tristemente igual ao que aconteceu com o cantor Francisco Alves em 1952. Alcides Gerardi tinha apenas 59 anos de idade.


LOURDES
Valsa de George Brass e Mário Rossi
Gravada por Alcides Gerardi
Acompanhamento de George Brass ao Acordeon e Seus “Rhythm Players”
Disco Odeon 12.592-A, matriz 7806
Gravado em 30 de abril de 1945 e lançado em junho



SUELI
Valsa de Antenógenes Silva e Miguel Lima
Gravada por Alcides Gerardi
Acompanhamento de Antenógenes Silva ao Acordeon e Orquestra
Disco Odeon 12.627-A, matriz 7885
Gravado em 01 de agosto de 1945 e lançado em outubro



CADA VEZ TE QUERO MAIS
Valsa de Antenógenes Silva e Miguel Lima
Gravada por Alcides Gerardi
Acompanhamento de Antenógenes Silva ao Acordeon e Orquestra
Disco Odeon 12.627-B, matriz 7886
Gravado em 01 de agosto de 1945 e lançado em outubro



ALEGRIA
Marcha de Antenógenes Silva e Miguel Lima
Gravada por Alcides Gerardi
Acompanhamento de Antenógenes Silva com Abel e Seu Conjunto
Disco Odeon 12.645-A, matriz 7919
Gravado em 18 de outubro de 1945 e lançado em dezembro



MEU DEFEITO
Samba de Antenógenes Silva e Miguel Lima
Gravado por Alcides Gerardi
Acompanhamento de Antenógenes Silva com Abel e Seu Conjunto
Disco Odeon 12.645-B, matriz 7920
Gravado em 18 de outubro de 1945 e lançado em dezembro



LILI MARLENE
Fox de Norbert Schultze, Leip e Connor, em versão de Nelson Trigueiro
Gravado por Alcides Gerardi
Acompanhamento de George Brass ao Acordeon e Seus Rhythm Players
Disco Odeon 12.657-A, matriz 7941
Gravado em 22 de novembro de 1945 e lançado em janeiro de 1946






CAUBY PEIXOTO


Arquivo Nirez


Cauby Peixoto Barros nasceu em Niterói (RJ) em 10 de fevereiro de 1931, falecendo em São Paulo em 15 de maio de 2016.

Uma das mais belas vozes de nossa música, Cauby Peixoto era sobrinho do pianista e compositor Romualdo Peixoto (Nonô) e primo do cantor Cyro Monteiro.


Foi um dos mais destacados cantores da década de 1950, seguindo com uma carreira vitoriosa, sempre fazendo shows, até pouco antes de sua morte, em 2016, aos 85 anos de idade.



MOLAMBO
Samba Canção de Jaime Florence (Meira) e Augusto Mesquita
Gravado Por Cauby Peixoto
Disco Columbia CB-10.267-A, matriz CBO-769
Lançado em agosto de 1956



NADA ALÉM
Fox Canção de Custódio Mesquita e Mário Lago
Gravado Por Cauby Peixoto
Acompanhamento de Orquestra
Disco RCA Victor 80-1691-A, matriz BE6-VB-1261
Gravado em 22 de agosto de 1956 e lançado em novembro



FLOR DO ASFALTO
Fox Canção de J. Thomaz e Orestes Barbosa
Gravado por Cauby Peixoto
Acompanhamento de Orquestra
Disco RCA Victor 80-1691-B, matriz BE6-VB-1266
Gravado em 22 de agosto de 1956 e lançado em novembro



SERENATA
Valsa de Orestes Barbosa e Sílvio Caldas
Gravado por Cauby Peixoto
Acompanhamento de Orquestra
Disco RCA Victor 80-1738-A, matriz BE6-VB-1264
Gravado em 22 de agosto de 1956 e lançado em março de 1957



TRÊS LÁGRIMAS
Canção de Ary Barroso
Gravada por Cauby Peixoto
Acompanhamento de Orquestra
Disco RCA Victor 80-1738-B, matriz BE6-VB-1265
Gravado em 22 de agosto de 1956 e lançado em março de 1957



ROCK' N' ROLL EM COPACABANA
Rock And Roll de Miguel Gustavo
Gravado por Cauby Peixoto
Acompanhamento de Orquestra
Disco RCA Victor 80-1774-A, matriz 13-H2PB-0043
Gravado em 30 de janeiro de 1957 e lançado em maio








ZEZINHA


Zezinha
http://memoria.bn.br/



Carmela Bonaro nasceu em São Paulo, em 16 de janeiro de 1928. Era descendente de italianos, tendo recebido o apelido de Zezinha ainda criança. Com nove anos, começou a estudar acordeom, tendo como professor, Ângelo Reale, que a ensinou a tocar de ouvido. Formou-se em Música Clássica em 1953, no Conservatório Aidir Meirelles.

Em 1946, deu início à sua carreira artística, com 18 anos, sendo convidada por Zulmiro (do Trio Mineiro) para se ligar à música sertaneja. Depois de ensaiar alguns meses, assinou um contrato com a Rádio Tupi, chamando a atenção por sua beleza e por ser raro, na época, mulheres tocarem acordeom. Com o Trio Mineiro, Zezinha ficou trabalhando por um ano.

A dupla Tonico e Tinoco a convidou, em 1947, para excursionar com eles durante oito meses.

Em 1951, Zezinha gravou seu primeiro disco solo de acordeom pela Todamérica, trazendo a valsa Brejeira e a mazurca Alegria, ambas de sua autoria em parceria com Luisinho. Ficaria na Todamérica até 1955, indo para a RCA Victor. Também gravaria pela Odeon, Chantecler, Orion, Doni e Sertanejo.

Findando-se os programas de auditórios, as viagens foram ficando escassas e o trio se desfez. Zezinha se retirou da cena artística e foi viver em Perdizes, bairro paulistano. Ela faleceu nessa cidade, em 1982.

Ficou conhecida como A Imperatriz da Harmônica.




ALEGRIA
Mazurca de Zezinha e Luisinho
Gravada por Zezinha ao Acordeon
Acompanhamento de Armandinho e Seu Conjunto
Disco Todamérica TA-5.048-B, matriz TA-1016-1
Lançado em fevereiro de 1951



SÓ PENA QUE VOA
Polca de Zezinha
Gravada por Zezinha ao Acordeon
Acompanhamento de Armandinho e Seu Conjunto
Disco Todamérica TA-5.066-B, matriz TA-1015-1
Lançado em abril de 1951



SABIÁ GRAÚNA
Baião de Luisinho e Zezinha
Gravado por Zezinha ao Acordeon
Acompanhamento de Conjunto
Disco Todamérica TA-5.139-A, matriz TA-1072
Lançado em março de 1952



O CASAMENTO
Baião de Palmeira e Luizinho
Gravado por Zezinha ao Acordeon
Acompanhamento de Conjunto
Disco Todamérica TA-5.139-B, matriz TA-1073
Lançado em março de 1952















Agradecimento ao Arquivo Nirez










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...