sábado, 22 de agosto de 2020

RELEMBRANDO O MAESTRO IRINEU DE ALMEIDA – 106 ANOS DE SAUDADE

IRINEU DE ALMEIDA
01 de novembro de 1906
Acervo Jacob do Bandolim - MIS-RJ
https://pixinguinha.com.br/



Há 106 anos falecia o instrumentista, compositor e maestro IRINEU DE ALMEIDA.
 
Irineu Gomes de Almeida nasceu no Rio de Janeiro em 1863. Ele foi um dos importantes nomes do choro, tocando oficleide, tuba, trombone e bombardino.
 
Irineu de Almeida era amigo de Alfredo da Rocha Viana, pai de Pixinguinha, frequentando a casa dele nas animadas rodas de músicas. Sempre andando com uma sobrecasaca que se parecia com uma batina, recebeu o apelido de Irineu Batina. 
 
Foi um dos primeiros professores de música de Pixinguinha, sempre dizendo do jovem: “Esse menino tem futuro”.
 
Participou da Banda do Corpo de Bombeiros e do grupo Choro Carioca.
 
A primeira gravação de Pixinguinha foi realizada a convite de Irineu de Almeida. Pixinguinha interpretou na flauta e Irineu no oficleide, juntos ao Choro Carioca, o tango São João Debaixo D´Água, da autoria do próprio Irineu.
 
No livro O Choro, escrito pelo carteiro Alexandre Gonçalves Pinto, Irineu de Almeida é descrito como “um tipo gordo, de altura regular e muito bonachão”, sendo “exímio bombardinista”, e “trombonista disputado por todos os maestros estrangeiros”, das companhias líricas que passavam pelo Rio de Janeiro.
 
Foi diretor do rancho Filhas das Jardineiras (Fundado em 1905), muito importante no começo do século XX, um dos primeiros onde Pixinguinha participou (a convite de Irineu) e onde conheceu Donga e João da Bahiana (também integrantes).


Filhas das Jardineiras
Acervo José Ramos Tinhorão - IMS
https://pixinguinha.com.br/



Filhas das Jardineiras
Na fila de trás, à esquerda, Irineu de Almeida. Pixinguinha está quase escondido, sendo o sexto da esquerda para a direita (de quem vê a foto) com chapéu e flauta.
Acervo José Ramos Tinhorão - IMS
https://pixinguinha.com.br/
 

Atuou como maestro no Circo Spinelli, ao lado do célebre Benjamin de Oliveira.
 
Irineu de Almeida deixou vários choros que seriam executados em arranjos feitos por Pixinguinha ao longo do século XX. Muitas de suas músicas receberam letra de Catullo da Paixão Cearense, como o belo schottisch Os Olhos Dela, lançado em 1908 pela Banda da Casa Edison e que os versos de Catullo fariam uma homenagem à atriz Apolônia Pinto.
 
Segundo José Silas Xavier, Irineu de Almeida faleceu na casa dos Rocha Vianna, conhecida como Pensão Vianna, situada à Rua Elenore de Almeida, bairro de Catumbi, em 22 de agosto de 1914. Quem declarou o óbito, foi o irmão de Pixinguinha, China (Otávio Vianna). Irineu de Almeida foi sepultado no cemitério São Francisco Xavier, sepultura nº 81793.


Piquenique em Paquetá, na residência do General Costallat.
Irineu de Almeida é o segundo sentado da esquerda para a direita (de quem vê), com seu Oficleide.
01 de novembro de 1906
Acervo Jacob do Bandolim - MIS-RJ
https://pixinguinha.com.br/

 
Irineu de Almeida foi o mais célebre dos oficleidistas brasileiros. Após sua morte, em 1914, o Oficleide passou a ser esquecido. Em 2014, o trombonista e bombardinista Everson Moraes produziu e gravou o CD Irineu de Almeida e o Oficleide – 100 Anos Depois, onde regravou clássicos choros de Irineu de Almeida ao Oficleide, com a participação de vários músicos.
 

Recortes sobre Irineu de Almeida


Correio da Manhã, 05 de fevereiro de 1907, p.08
http://memoria.bn.br/


Correio da Manhã, 26 de março de 1907, p.08
http://memoria.bn.br/


O Paiz, 02 de agosto de 1907, p.05
http://memoria.bn.br/



O Paiz, 23 de junho de 1908, p.10
http://memoria.bn.br/





O Rio-Nú 1909
http://memoria.bn.br/





O Rio-Nú 1909 
http://memoria.bn.br/



Correio da Manhã, 06 de agosto de 1910, p.03
http://memoria.bn.br/



Correio da Manhã, 12 de fevereiro de 1911, p.19
http://memoria.bn.br/



Gazeta de Notícias, 20 de agosto de 1912, p.09
http://memoria.bn.br/


Trago várias gravações onde Irineu de Almeida aparece como intérprete (ao Oficleide) e como compositor, na interpretação da Banda da Casa Edison, Choro Carioca, Mário Pinheiro, Eduardo das Neves, entre outros.



 
Irineu de Almeida ao Oficleide
  
QUALQUER COISA
Polca de Irineu de AlmeidaGravada por Irineu de Almeida ao OficleideDisco Favorite Record 1-454.031, matriz 11472
Gravado em 08 de maio de 1911 e lançado em 1911


 
Irineu de Almeida Compositor (Instrumentais)
 
BEM TE QUERO


Valsa de Irineu de Almeida
Gravado pelo Grupo do Novo CordãoAcompanhamento de Cavaquinho, Violão e ClarineteDisco Odeon Record 40.720
Lançado em 1906
 

 
BEM TE QUERO


Valsa de Irineu de AlmeidaGravado pela Banda do Corpo de BombeirosDisco Odeon Record 108.040, matriz XR-573
Lançado em 1908


 
OS OLHOS DELA


Schottisch de Irineu de AlmeidaGravado pela Banda da Casa EdisonDisco Odeon Record 108.143, matriz XR-676
Lançado em 1908


 
MEU IDEAL
Schottisch de Irineu de AlmeidaGravado pela Banda da Casa EdisonDisco Odeon Record 108.145
Lançado em 1908


 
NININHA
Polca de Irineu de AlmeidaGravada pelo Choro CariocaDisco Favorite Record 1-450.004
Gravado lançado em 1911


 
DAINÉA
Polca de Irineu de AlmeidaGravada pelo Choro CariocaDisco Favorite Record 1-450.005
Lançado em 1911


 
SÃO JOÃO DEBAIXO DÁGUA
Tango de Irineu de AlmeidaGravado pelo Choro CariocaDisco Favorite Record 1-450.006, matriz 11141
Gravado em 08 de maio de 1911 e lançado em 1911


 
SALVE (A PRINCESA DE CRISTAL)


Schottisch de Irineu de AlmeidaGravado pelo Choro CariocaDisco Favorite Record 1-450.011, matriz 11135
Gravado em 07 de maio de 1911 e lançado em 1911


 
ALBERTINA
Polca de Irineu de AlmeidaGravada pelo Choro CariocaDisco Favorite Record 1-450.030
Gravado e lançado em 1911


 
MORCEGO


Tango de Irineu de AlmeidaGravado pelo Choro CariocaDisco Favorite Record 1-450.087, matriz 11125Gravado em 07 de maio de 1911 e lançado em 1911

 

 
Irineu de Almeida Compositor (Cantadas)
 

O MEU IDEAL


Canção de Irineu de Almeida e Catulo da Paixão CearenseGravada por Mário PinheiroDisco Odeon Record 40.533
Lançado em 1905


 
OS OLHOS DELA


Modinha de Irineu de Almeida e Catulo da Paixão CearenseGravada por Mário PinheiroAcompanhamento de ViolãoDisco Victor Record 98.943
Lançado em 1910


 
OS OLHOS DELA
Schottisch de Irineu de Almeida e Catulo da Paixão CearenseGravado por Eduardo das NevesDisco Odeon Record 120.342, matriz XR-1724
Gravado em 27 de setembro de 1911 e lançado em março de 1913


 
SALVE


Modinha de Irineu de Almeida e Catulo da Paixão Cearense
Gravada por Vicente CelestinoAcompanhamento de Cavaquinho e ViolãoDisco Odeon Record 121.119
Lançado em fevereiro de 1916

  
VAI, MEU AMOR, AO CAMPO SANTO


Canção de Irineu de Almeida e Catulo da Paixão Cearense
Gravada por Vicente CelestinoAcompanhamento de Cavaquinho e ViolãoDisco Odeon Record 121.373
Gravado e lançado em 1917














Agradecimento ao Arquivo Nirez









Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...