sábado, 7 de agosto de 2021

ORLANDO SILVA, Um Artista da Nova Geração de Bons Cantores, 1936

ORLANDO SILVA
Arquivo Nirez





A revista Carioca publicou, em 01 de agosto de 1936, uma interessante matéria sobre um jovem cantor que estava iniciando carreira e já era aclamado pela crítica e conquistando muitos fãs: Orando Silva.

Abaixo, fiz um comentário sobre a matéria, copiando as declarações feita pelo cantor.



Um Artista da Nova Geração de Bons Cantores

Sendo apontado como uma das últimas revelações do broadcasting carioca, mesmo sendo revelado por Francisco Alves, o jovem havia vencido pelo seu próprio valor. E que valor, que voz!

Surgido entre vários outros cantores novatos, Orlando procurou seguir um gênero explorado por Sílvio Caldas, a canção, formando sua personalidade.
Na época da matéria, pertencia ao cast da Rádio Transmissora PRE-3, que renovava sempre seu contrato.

“Dedico às minhas ouvintes invisíveis, essas amáveis admiradoras, todo o sentimento das canções que interpreto”, afirmava o jovem cantor, “mesmo porque, sou talvez um dos homens verdadeiramente livres que existem sobre a terra... Não tenho noiva, nem esposa, nem namorada. Faltam-me as musas inspiradoras”.

Tendo aparecido cantando em 1934, estreou no antigo Programa Francisco Alves.

“Fiz a primeira prova de voz dentro do automóvel de Francisco Alves. Felizmente o grande cantor agradou-se das músicas interpretadas e eu passei a fazer parte de seu programa. Nele, atuei durante longo tempo. Depois, ingressei para a Rádio Mayrink Veiga; atuei em várias outras estações, até fixar-me na Rádio Transmissora”, contou Orlando Silva.
 Nessa última emissora, ele estava contratado com exclusividade, sendo motivo de atração na casa, recebendo dezenas de cartas e telefonema dos fãs, aumentando sempre sua popularidade.

Passou a gravar na RCA Victor, lançado várias músicas de Cândido das Neves, J. Cascata, José Maria de Abreu, entre outros. Uma de suas mais lindas canções é Última Estrofe, que, entre outras, firmaram seu prestígio artístico.

“Sou muito sujeito a emoções. Mas, reconheço que todas são diferentes, dificultando um resultado qualquer. Lembro-me que a primeira vez que cantei ao microfone fiquei profundamente nervoso, porém, ao filmar diante da câmera e dos apetrechos cinematográficos, senti emoção ainda maior. No entanto, recordo-me que fiquei verdadeiramente abalado ao ouvir pela primeira vez a minha voz gravada num disco”, declarou Orlando Silva.






LÁGRIMAS
Valsa canção de Cândido das neves (Índio)
Acompanhamento de Pereira Filho, Luís Bittencourt e Luperce Miranda
Disco Victor 33.975-B, matriz 79932-1
Gravado em 18 de junho de 1935 e lançado em setembro





APOTEOSE DO AMOR
Valsa de Cândido das Neves (Índio)
Acompanhamento de Pereira Filho, Luís Bittencourt e Luperce Miranda
Disco Victor 34.047-A, matriz 79948-1
Gravado em 01 de julho de 1935 e lançado em abril de 1936




LÁBIOS QUE BEIJEI
Valsa de J. Cascata e Leonel Azevedo
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira
Disco Victor 34.157-B, matriz 80328-1
Gravado em 15 de março de 1937 e lançado nesse mesmo mês 




ALIANÇA PARTIDA
Valsa de Benedito Lacerda e Roberto Martins
Acompanhamento dos Boêmios da Cidade
Disco Victor 34.172-A, matriz 80388-1
Gravado em 30 de abril de 1937 e lançado em junho




ROSA
Valsa de Alfredo Viana (Pixinguinha) e Otávio de Souza
Acompanhamento do Conjunto regional RCA Victor
Disco Victor 34.181-B, matriz 80424-1
Gravado em 28 de maio de 1937 e lançado em julho



HORAS IGUAIS
Valsa de José Maria de Abreu e Francisco Matoso
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira
Disco Victor 34.202-B, matriz 80506-1
Gravado em 30 de junho de 1937 e lançado em setembro




LÁGRIMAS DE ROSA
Valsa canção de Dante Santoro e Kid Pepe
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira
Disco Victor 34.213-B, matriz 80527-2
Gravado em 09 de julho de 1937 e lançado em outubro



CIÚME SEM RAZÃO
Valsa de João de Barro e Alberto Ribeiro
Acompanhamento dos Diabos do Céu
Disco Victor 34.225-A, matriz 806000-1
Gravado em 25 de agosto de 1937 e lançado em novembro




NEUSA
Valsa de Antônio Caldas e Celso Figueiredo
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira
Disco Victor 34.308-B, matriz 80717-1
Gravado em 28 de março de 1938 e lançado em maio



DEUSA DO CASSINO
Valsa de Nilton Teixeira e Torres Homem
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira
Disco Victor 34.319-B, matriz 80719-1
Gravado em 28 de março de 1938 e lançado em junho

















Agradecimento ao Arquivo Nirez










2 comentários:

  1. Olá Marcelo, Achei incrível ler as declarações impressas de um Orlando tão Jovem...impressionou-me mais ainda a coerência do cantor com a sua própria história. Em várias outras ocasiões, até o fim da vida, em entrevistas, suas afirmações corresponderam ao que foi dito naquele distante 1936.

    ResponderExcluir
  2. Se ele ficou abalado quando ouviu sua primeira gravação...Eu me abalo até hoje em todas que ouço.Incrível!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...