quinta-feira, 3 de setembro de 2020

RELEMBRANDO AUGUSTO VASSEUR - 121 ANOS

 

AUGUSTO VASSEUR
Arquivo Nirez



Há 121 anos nascia o pianista, violinista e compositor AUGUSTO VASSEUR.


Augusto Teixeira Vasseur nasceu no Rio de Janeiro em 03 de setembro de 1899. Sua infância foi vivida em Porto Alegre (RS), onde começou a estudar música aos oito anos de idade com João Batista Casson. Ingressou no Conservatório aos treze anos de idade, voltando logo depois, ao Rio de Janeiro. Nessa cidade, estudou no Instituto Nacional de Música, diplomando-se em piano, recebendo medalha de ouro, em 1919.

A partir de 1920, Augusto Vasseur passou a ser um dos grandes professores de piano atuantes no Rio de Janeiro, sendo professor do compositor Sinhô (José Barbosa da Silva), O Rei do Samba.

Augusto Vasseur também foi um dos instrumentistas mais requisitados pelas orquestras a partir da década de 1920, no Rio de Janeiro.

Nos anos 20 e 30 atuou também como compositor. Sua primeira música se intitulava Morena, era um xote e foi composto quando ele tinha quinze anos de idade.

Em 1919, passou a trabalhar na orquestra de Cícero de Meneses, apresentando-se no Cine Avenida. Em 1920, o maestro Abdon Milanez o convidou para se unir, como violinista, ao conjunto de bordo do navio São Paulo, que trazia o rei Alberto, da Bélgica, ao Brasil. Vasseur propôs incorporar ao repertório erudito, algumas composições populares, inclusive as de Sinhô. O rei Alberto e sua esposa ficaram encantados com as composições de Sinhô que, através de Vasseur, fez chegar às mãos do casal real uma pasta com suas composições, com a dedicatória: “A Suas Altezas Rei Alberto I e Rainha Elizabeth, oferece com admiração e respeito José Barbosa da Silva, Sinhô”.

Augusto Vasseur integrou, como violinista e pianista, várias orquestras e conjuntos no Rio de Janeiro. Atuou na Brazilian Jazz em 1923, que foi organizada pelo maestro J. Thomaz, atuando no Cinema Central e no Teatro de Revista. Nesse mesmo período, ao lado de Donga, Sebastião Cirino e Cícero de Meneses, atuou no Jazz-Band Beira Mar Cassino. Depois, passou a integrar a Carlito Jazz, orquestra criada pelo baterista Carlito Blassifera, a pedido da proprietária da Companhia Bataclan de Teatro, que se apresentava no Theatro Lyrico do Rio de Janeiro. Com essa orquestra, Vasseur excursionou pelo Brasil e por Paris.

Também compôs várias partituras para o Teatro de Revista, compondo vários gêneros musicais, entre sambas, valsas, choros, canções, jongos...

Teve sua primeira música gravada em 1928, quando Francisco Alves registrou o tango canção Aves Sem Ninho pela Odeon. Francisco Alves gravaria várias músicas de Augusto Vasseur, como o samba Dando o Valor (Samba do Afeto), de 1929, gravado na Odeon.

Aracy Côrtes, estrela do Teatro de Revista, gravou várias composições de Augusto Vasseur, inclusive algumas que lançou nos palcos, como as bonitas canções Chamego e Alma da Rua, que Vasseur escreveu em parceria com marques Porto e Luiz Peixoto.

Ao lado de Aracy Côrtes, Augusto Vasseur experimentou uma única vez a experiência de ser cantor, quando gravaram o batuque de Ary Barroso e Luís Iglezias No Morro (Eh, Eh), registro feito na Odeon em 1930. Essa música seria regravada por Almirante e Carmen Miranda em 1939, com o nome de Bonce de Pixe.

Em algumas gravações, Augusto Vasseur atuou com seu violino, como em Pra Sinhozinho Drumi e No Pegi de Oxossi, de Heckel Tavares e Luiz Iglezias, gravadas por Francisco Alves na Odeon, em 1929.

Augusto Vasseur chegou ao posto de primeiro violino do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, onde ficou até se aposentar.

Segundo o Dicionário Ricardo Cravo Albin da Música Popular Brasileira, “Ao final da vida, a partir de 1968, visitava com frequência o Museu da Imagem e do Som, de cujo diretor, R. C. Albin, se fez amigo e a quem confidenciou que, dentre todos seus alunos ao piano, o mais cheio de bossa e de ritmo foi Sinhô, o José B. da Silva, a quem considerava um dos expoentes máximos do samba brasileiro”.

Augusto Vasseur faleceu no Rio de Janeiro em 08 de dezembro de 1969, aos 70 anos de idade.

  

Augusto Vasseur Cantor


NO MORRO (EH EH)
Batuque de Ary Barroso e Luís Iglezias
Gravado por Aracy Côrtes e Augusto Vasseur
Acompanhamento da Orquestra Copacabana
Disco Odeon 10.680-A, matriz 3863
Lançado em setembro de 1930



Augusto Vasseur Compositor

AVES SEM NINHO
Tango Canção de Augusto Vasseur e Zeca Ivo
Gravado por Francisco Alves
Acompanhamento da Orquestra Rádio Central
Disco Odeon 10.214-A, matriz 1672
Gravado em 1928 e lançado em agosto de 1928



DANDO O VALOR (SAMBA DO AFETO)
Samba de Augusto Vasseur
Gravado por Francisco Alves
Acompanhamento da Orquestra Pan American
Disco Odeon 10.329-B, matriz 2267
Lançado em janeiro de 1929



CARNAVAL
Fox Marcha Carnavalesca de Augusto Vasseur
Gravado por Francisco Alves
Acompanhamento do Rio Dance Orquestra
Disco Odeon 10.332-A, matriz 2276
Lançado em janeiro de 1929



MORENA BRASILEIRA
Chorinho Canção de Augusto Vasseur
Gravado por Laís Areda
Acompanhamento da Orquestra Rio Artists
Disco Odeon 10.371-A, matriz 2437
Lançado em maio de 1929



QUANDO BATE AVE MARIA
Canção de Augusto Vasseur
Gravada por Oscar Gonçalves
Acompanhamento da Orquestra Rádio Central
Disco Odeon 10.401-B, matriz 2548-I
Lançado em junho de 1929



NAS SERRAS MINEIRAS
Fox Trot de Augusto Vasseur
Gravado por Francisco Alves
Acompanhamento de Simão Nacional Orquestra
Disco Parlophon 13.047-B, matriz 2863
Gravado em 1929 e lançado em novembro de 1929



MEU NATAL
Canção de Augusto Vasseur e Luiz Peixoto
Gravada por Aracy Côrtes
Acompanhamento de Orquestra
Disco Odeon 10.618-B, matriz 3594
Lançado em junho de 1930



ALMA DA RUA
Canção de Augusto Vasseur e Luís Iglezias
Gravada por Aracy Côrtes
Acompanhamento de Orquestra
Disco Odeon 10.692-A, matriz 3896
Gravado em 14 de agosto de 1930 e lançado em outubro de 1930



CHAMEGO
Canção de Augusto Vasseur, Marques Porto e Luiz Peixoto
Gravada por Aracy Côrtes
Acompanhamento de Orquestra
Disco Odeon 10.692-B, matriz 3897
Gravado em 14 de agosto de 1930 e lançado em outubro de 1930



PRETO E BRANCO
Toada de Augusto Vasseur, Marques Porto e Luiz Peixoto
Gravada por Aracy Côrtes
Acompanhamento de Piano
Disco Odeon 10.681-B, matriz 3865
Gravado em setembro de 1930



O QUE FOI QUE EU FIZ?
Fox Blues Canção de Augusto Vasseur e Luiz Peixoto
Gravado por Elisa Coelho
Acompanhamento do Bando de Tangarás
Disco Parlophon 13.321-B, matriz 131153-3
Lançado em julho de 1931



COMO É O NOME DO PAPAI?
Canção de Augusto Vasseur e Luiz Peixoto
Gravada por Elisa Coelho
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira, sob a direção de João Martins
Disco Victor 33.561-B, matriz 65403-1
Gravado em 09 de março de 1932 e lançado em junho de 1932



O GALO
Toada de Augusto Vasseur e Luiz Peixoto
Gravada por Almirante e Gastão Formenti
Acompanhamento do Grupo do Canhoto
Disco Victor 33.781-B, matriz 65963-1
Gravado em 23 de março de 1934 e lançado em maio de 1934



E NÃO ESQUEÇO DE VOCÊ
Samba de Augusto Vasseur e Ernâni Campos
Gravado por Francisco Alves
Acompanhamento da Orquestra Odeon, Sob Direção de Simon Bountman
Disco Odeon 11.722-B, matriz 6042
Gravado em 28 de março de 1939 e lançado em maio de 1939



PRETO E BRANCO
Batuque de Augusto Vasseur, Marques Porto e Luiz Peixoto
Gravado por Carmen Miranda e Almirante
Acompanhamento do Conjunto Odeon, Sob Direção de Simon Bountman
Disco Odeon 11.777-A, matriz 6075
Gravado em 02 de maio de 1939 e lançado em outubro de 1939











Agradecimento a Dijalma Cândido e ao Arquivo Nirez











Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...