domingo, 14 de novembro de 2021

RELEMBRANDO O CANTOR DICK FARNEY

DICK FARNEY
Foto Halfeld
Álbum A Scena Muda, 1949
http://memoria.bn.br/
 
 
 
Há 100 anos nascia o cantor, pianista e compositor DICK FARNEY, um de nossos grandes intérpretes ao longo das décadas de 1940 e 1950.
 
Farnésio Dutra da Silva nasceu no Rio de Janeiro, em 14 de novembro de 1921. Ainda na infância, aprendeu lições de piano, passando a estudar música erudita com seu pai, ao mesmo tempo em que sua mãe lhe ensinava noções de canto.


Em 1934, com 13 anos de idade, estava cursando o Instituto Nacional de Música. Aos 14 anos, apresentou-se na Rádio Mayrink Veiga, no programa de Barbosa Júnior, Picolino, executando ao piano a Dança Ritual do Fogo, do compositor espanhol Manuel de Falla.


Diário de Noticias, 13 de janeiro de 1934, p.06
(imagem editada)
http://memoria.bn.br/


 
Pouco depois, veio o interesse pela música norte-americana, quando se tornou pianista do conjunto Swing Maníacos, do qual fazia parte seu irmão, o futuro ator Cyll Farney, o baterista. Esse grupo acompanharia Edu da Gaita na gravação de Canção da Índia, de Nikolay Rimsky-Norsakov, em 1939.
 
Dick Farney estreou como cantor em 1937, no programa Hora Juvenil, na Rádio Cruzeiro do Sul, no Rio de Janeiro, interpretando Deep Purple, de David Rose.
 
Com muita afinidade com o repertório norte-americano, Dick Farney, levado pelas mãos do locutor César Ladeira, foi para a Rádio Mayrink Veiga, tendo seu próprio programa: Dick Farney, sua voz e piano, onde interpretava várias músicas norte-americanas.
 
Integrando a Orquestra de Carlos Machado, entre 1941 e 1944 apresentou-se no Cassino da Urca.
 
Fez sua primeira gravação solo em 1944, como crooner da Orquestra de Ferreira Filho, lançado pela Continental: The Music Stopped e Mairzy Doats. Também gravaria como crooner do conjunto Milionários do Ritmo.



Fon Fon, 1942
http://memoria.bn.br/




Fon Fon, 1944
http://memoria.bn.br/




Carioca, 1944
http://memoria.bn.br/


 
Foi contratado como cantor independente pela mesma Continental em 1946, quando lançou seu primeiro disco com músicas cantadas em português. Nesse disco, lançou o clássico samba Copacabana, de João de Barro e Alberto Ribeiro, que seria um de seus grandes sucessos. Do outro lado, o samba Barqueiro do São Francisco, de Alcyr Pires Vermelho e Alberto Ribeiro.
 
Ainda em 1946, a partir do encontro com o arranjador Bill Hitchcock e do pianista Eddie Duchin, em um show no Copacabana Palace, Dick Farney foi convidado para ir aos EUA, apresentando-se em Nova York ao lado de Nat King Cole, Bill Evans, e David Brubeck.
 
Retornou ao Rio de Janeiro em 1947, gravando mais discos. Mas, voltaria aos EUA em fevereiro desse mesmo ano, apresentando-se na Rádio NBC por dois meses, sendo patrocinado pelos cigarros Philip Morris.

Em 1947, Dick Farney se casou com Cibele Gomes. A princípio, por procuração, uma vez que ele estava no exterior. Em meados de 1947, os dois realizaram a cerimônia religiosa em Nova York.


Vamos Lêr!, 1947
http://memoria.bn.br/


 
Nos EUA, Dick Farney apresentou-se em Hollywood, Chicago e San Francisco, gravando pela primeira vez, Tenderly, de Walter Gross, pela gravadora Majestic Records, que seria sucesso internacional na voz de Nat King Cole. Nos Estados Unidos, conheceu várias celebridades, encontrado-se com sua colega, Carmen Miranda.



Fon Fon, 1947
http://memoria.bn.br/




Carioca, 1947
http://memoria.bn.br/




Fon Fon, 1947
http://memoria.bn.br/





Jornal das Moças, 1949
http://memoria.bn.br/



Voltaria ao Rio de Janeiro no final de 1948, onde apresentou-se, com muito sucesso, na boate Vogue.
 
Nessa época, devido sua grande popularidade, foi fundado o fan-club Sinatra-Farney, onde jovens cariocas, que admiravam jazz, exprimiam a admiração por ele e pelo cantor norte-americano, Frank Sinatra.


O Cruzeiro, 1948
http://memoria.bn.br/


 
Em 1950, atuou no filme Somos dois, dirigido por Milton Rodrigues.
 
Na década de 1950, seguiu gravando regularmente em português, lançando sambas e sambas canção.
 
Outro grande sucesso lançado por Dick Farney foi o samba canção de Jose Maria de Abreu e Jair Amorim, Alguém como Tu, que ele interpretaria no mesmo ano no filme Carnaval Atlântida, dirigido por José Carlos Burle.
 
Em 1953, atuou no filme Perdidos de Amor, dirigido por Eurides Ramos, e organizou o Dick Farney e Seu Conjunto, onde tocava piano, gravando na continental o choro João Sebastião Bach, de sua autoria e Nestor Campos, guitarrista de seu conjunto. Também gravou Nova Ilusão, samba de Luiz Bittencourt e Jose Menezes.
 
Ao lado do colega Lúcio Alves, lançou mais um sucesso, em 1954, o samba Teresa da Praia, de Tom Jobim e Billy Blanco. Nesse mesmo ano, participou da gravação do disco de 10 polegadas, Sinfonia do Rio de Janeiro, de Tom Jobim e Billy Blanco.
 
Ainda em 1954, Dick Farney lançou o LP, Música Romântica com Dick Farney, onde se destacaram as músicas Canção do Mar, de Bruno Marnet, e Outra Vez, de Tom Jobim.
 
Também gravaria músicas de sua autoria.
 
Em 1957, voltou aos Estados Unidos, apresentando-se no Waldorf Astoria Hotel e no Shell Burn Hotel, em Nova York. De lá, excursionou por Cuba, República Dominicana, Porto Rico e pelas ilhas do Caribe. Voltou ao Brasil em outubro de 1958, tendo ficado fora por um ano e meio.
 
Em 1959, a TV Record exibiu, em São Paulo, o Dick Farney Show, tendo ele também se apresentado no bar do Hotel Claridge, nessa mesma cidade.
 
Em São Paulo, Dick Farney também seria proprietário de uma boate, a Farney´s, situada na praça Roosevelt, durando pouco mais de um ano.
 
Continuou lançado LPs no final dos anos 50 e início da década de 1960.
 
Em 1965, na recém-inaugurada TV Globo, ao lado de Betty Faria, apresentou o programa Dick e Betty, que durou seis meses.
Em 1978, ao lado de Lúcio Alves, Nara Leão, Carlos Lyra e outros colegas, participou do show 20 Anos de Bossa Nova, em São Paulo.
 
Seu último disco foi lançado em 1986, Dick Farney ao Vivo, lançado pelo selo Inverno e Verão, trazendo antigos sucessos e um pot-pourri com músicas que fizeram sucesso no Cassino da Urca.
 
Dick Farney faleceu em São Paulo, em 04 de agosto de 1987, aos 66 anos de idade.
 
Em 2013, a novela Joia Rara, da TV Globo, incluiu em sua trilha sonora a gravação de Não Tem Solução, samba canção de Dorival Caymmi e Carlos Guinle, que Dick Farney gravou em 1950.



Vamos Lêr!, 1944
http://memoria.bn.br/


 
 


RECORTES SOBRE DICK FARNEY




Fon Fon, 1945
http://memoria.bn.br/




Carioca, 1946
http://memoria.bn.br/






Carioca, 1947
http://memoria.bn.br/




Fon Fon, 1947
http://memoria.bn.br/





Fon Fon, 1947
http://memoria.bn.br/




Fon Fon, 1947
http://memoria.bn.br/




Rádio Visão, 1947
http://memoria.bn.br/




Revista do Rádio, 1948
http://memoria.bn.br/






Fon Fon, 1949
http://memoria.bn.br/







Álbum A Scena Muda, 1949
http://memoria.bn.br/




DICK FARNEY
O Cruzeiro, 1949
http://memoria.bn.br/





 
GRAVAÇÕES DE DICK FARNEY
 

 
THE MUSIC STOPPED
Fox de Harold Adamson, Jimmy Mchugh e César Siqueira
Gravado por Dick Farney
Acompanhamento de Ferreira Filho e Sua Orquestra
Disco Continental 15.180-A, matriz 839-1
Gravado em 1944 e lançado em julho de 1944


 
MAIRZY DOATS
Fox Trot de M. Drake, Hoffman, J. Levingston e C. Siqueira
Gravado por Dick Farney
Acompanhamento de Ferreira Filho e Sua Orquestra
Disco Continental 15.180-B, matriz 840-1
Gravado em 1944 e lançado em julho de 1944


 
WHAT'S NEW
Fox Trot de Bob Hagart e Burke
Gravado por Dick Farney
Acompanhamento dos Milionários do Ritmo
Disco Continental 15.186-A, matriz 819-1
Gravado em 1944 e lançado em agosto de 1944


 
SAN FERNANDO VALLEY
Fox de Gordon Jenkins
Gravado por Dick Farney
Acompanhamento de Ferreira Filho e Sua Orquestra
Disco Continental 15.209-A, matriz 877-1
Gravado em 1944 e lançado em Setembro de 1944
 



I LOVE YOU
Beguine de Cole Porter
Gravado por Dick Farney
Acompanhamento de Ferreira Filho e Sua Orquestra
Disco Continental 15.209-B, matriz 876-1
Gravado em 1944 e lançado em Setembro de 1944


 
I DON'T WANT TO WALK WITHOUT YOU
Fox de F. Leosser e J. Styne
Gravado por Dick Farney
Acompanhamento dos Milionários do Ritmo
Disco Continental 15.211-A, matriz 868-1
Gravado em 1944 e lançado em setembro de 1944


 
THIS LOVE OF MINE
Fox Trot de Sinatra, Parker e Sanicola
Gravado por Dick Farney
Acompanhamento dos Milionários do Ritmo
Disco Continental 15.215-A, matriz 870-1
Gravado em 1944 e lançado em janeiro de 1945


 
COPACABANA
Samba de João de Barro e Alberto Ribeiro
Gravado por Dick Farney
Acompanhamento de Eduardo Patané e Sua Orquestra
Disco Continental 15.663-A, matriz 1509-3
Gravado em 02 de junho de 1946 e lançado em julho/agosto de 1946


 
BARQUEIRO DE SÃO FRANCISCO
Samba de Alberto Ribeiro e Alcyr Pires Vermelho
Gravado por Dick Farney
Acompanhamento de Eduardo Patané e Sua Orquestra
Disco Continental 15.663-B, matriz 1508-2
Gravado em 02 de junho de 1946 e lançado em julho/agosto de 1946


 
BARQUEIRO DE SÃO FRANCISCO
Samba de Alberto Ribeiro e Alcyr Pires Vermelho
Gravado por Dick Farney
Acompanhamento de Eduardo Patané e Sua Orquestra
Disco Continental 15.663-B, matriz 1508-3
Gravado em 02 de junho de 1946 e lançado em julho/agosto de 1946


 
ERA ELA
Samba de Oscar Belandi e Luís Machado Filho
Gravado por Dick Farney
Acompanhamento de Belandi, Abel e Vidal
Disco Continental 15.690-A, matriz 1544-1
Lançado em setembro de 1946


 
ELA FOI EMBORA
Samba de Oscar Belandi e Djalma Ferreira
Gravado por Dick Farney
Acompanhamento de Belandi, Abel e Vidal
Disco Continental 15.690-B, matriz 1543-1
Lançado em setembro de 1946



MARINA
Samba de Dorival Caymmi
Gravado por Dick Farney
Acompanhamento de Dick Farney ao Piano
Disco Continental 15.783-A, matriz 1651-1
Gravado em 19 de abril de 1947 e lançado em junho de 1947


 
FOI E NÃO VOLTOU
Samba de Oscar Belandi e Chuca Chuca
Gravado por Dick Farney
Acompanhamento de Dick Farney ao Piano
Disco Continental 15.783-B, matriz 1655-1
Gravado em 19 de abril de 1947 e lançado em junho de 1947


 
MEU RIO DE JANEIRO
Samba de Oscar Belandi e Nelson Trigueiro
Gravado por Dick Farney
Acompanhamento de Jose Maria e Sua Orquestra
Disco Continental 15.917-A, matriz 1867
Gravado em 29 de maio de 1948 e lançado em julho/setembro de 1948


 
A SAUDADE MATA A GENTE
Samba de João de Barro e Antônio Almeida
Gravado por Dick Farney
Acompanhamento de Jose Maria e Sua Orquestra
Disco Continental 15.917-B, matriz 1877
Gravado em 04 de junho de 1948 e lançado em julho/setembro de 1948


 
A SAUDADE MATA A GENTE
Samba de João de Barro e Antônio Almeida
Gravado por Dick Farney
Acompanhamento de Jose Maria e Sua Orquestra
Disco Continental 15.917-B, matriz 1877-2
Gravado em 04 de junho de 1948 e lançado em julho/setembro de 1948


 
ESQUECE
Samba de Gilberto Milfont
Gravado por Dick Farney
Acompanhamento de Dick, Betinho e Juvenal
Disco Continental 15.927-A, matriz 1869
Gravado em 29 de maio de 1948 e lançado em julho/setembro de 1948


 
SOMOS DOIS...
Samba de Armando Cavalcânti, Klécius Caldas e Luís Antônio
Gravado por Dick Farney
Acompanhamento de Dick, Betinho e Juvenal
Disco Continental 15.927-B, matriz 1876-1
Gravado em 04 de junho de 1948 e lançado em julho/setembro de 1948
 
 

 
ALGUÉM COMO TU
Samba de José Maria de Abreu e Jair Amorim
Gravado por Dick Farney
Acompanhamento de Orquestra e Órgão
Disco Continental 16.659-B, matriz IB-260-52
Gravado em 1952 e lançado em setembro/dezembro de 1952


 
NOVA ILUSÃO
Samba de Luís Bittencourt e José Menezes
Gravado por Dick Farney
Acompanhamento de Seu Quinteto
Disco Continental 16.807-A, matriz C-3144
Gravado em 10 de junho de 1953 e lançado em julho/agosto de 1953



JOÃO SEBASTIÃO BACH
Choro de Dick Farney e Nestor Campos
Gravado por Dick Farney
Acompanhamento de Seu Quinteto
Disco Continental 16.807-B, matriz C-3145
Gravado em 10 de junho de 1953 e lançado em julho/agosto de 1953


 
APRIL IN PARIS
Fox Trot de V. Duque e E. Y. Harburg
Gravado por Dick Farney
Acompanhamento de Órgão e Orquestra
Disco Continental 16.814-A, matriz IB-372/53
Gravado em 1953 e lançado em julho/agosto de 1953


 
ALL THINGS YOU ARE
Fox Trot de Jerome Kern e O. Hammerstein II
Gravado por Dick Farney
Acompanhamento de Órgão e Orquestra
Disco Continental 16.814-B, matriz IB-373/52
Gravado em 1952 e lançado em julho/agosto de 1953


 
GRANDE VERDADE
Samba Canção de Billy Blanco
Gravado por Dick Farney
Acompanhamento de Orquestra
Disco Continental 16.911-A, matriz C-3284
Lançado em março de 1954













Agradecimento ao Arquivo Nirez










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...