quarta-feira, 8 de julho de 2020

CASO ROSWELL - 73 ANOS

http://tecnologia.terra.com.br


Em 08 de julho de 1947, os habitantes de Roswell, no Novo México (USA), despertaram com a estranha e incrível manchete na primeira página do jornal local, Roswell Daily Record, afirmando que o 509º Grupo de Bombardeiro da (então) Força Aérea do Exército dos Estados Unidos estava em posse dos destroços de um disco voador.




Histórico sobre OVNIS

Ao longo da história da humanidade, sempre apareceram relatos de estranhas luzes ou objetos estranhos aparecendo no céu, sem que ninguém soubesse do que se tratava. Também encontramos vestígios arqueológicos que nos deixam intrigados sobre qual eram as verdadeiras imagens retratadas em pinturas rupestres, esculturas, quadros...
Relatos parecidos também foram colhidos nos últimos séculos.

Mas, desde a Segunda Guerra Mundial, esses fenômenos aumentaram, fazendo com que a data de 24 de junho de 1947, fosse considerada oficialmente como o início da Era Moderna dos Discos Voadores.

Isso aconteceu porque o piloto americano Kenneth Arnold (1915 -1984), relatou ter visto em pleno voo vários objetos voadores que ele não conseguiu identificar, que voavam em formação próximo ao Monte Rainier, em Wasington.

Obs: Voo em formação é quando duas ou mais aeronaves voam juntas e próximas uma das outras, fazendo manobras de forma coordenada. Um exemplo é o voo da Esquadrilha da Fumaça.

Seu relato foi amplamente divulgado. Ele afirmou ter visto nove objetos incomuns no céu, descrevendo-os como parecendo discos a saltar na água. O formato de disco, ou pires (em inglês: saucer), recebeu o nome de Flying Saucer (usado até hoje, mas, no Brasil sendo batizado de Disco Voador).

Também se passou a considerar a sigla OVNI (Objeto Voador Não Identificado), do inglês UFO (Unidentified Flying Object).

Lembrando que um objeto voador não identificado não representa, necessariamente, um disco voador ou nave alienígena, apenas é algo que (como o nome já diz) não foi identificado. Nesse grupo se enquadram aviões, balões, satélites, e outros que não sabemos do que realmente se trata.


Voltando ao Caso Roswell

No início de julho, após uma noite de tempestade, o fazendeiro William Mac Brazel, ao lado de seu filho (Vernon) de oito anos, andavam a cavalo por sua propriedade vendo os possíveis estragos causados pela chuva. Ele encontrou um campo cheio de destroços, em um raio de quatro quilômetros. Um dos materiais que chamou a atenção de MacBrazel foram algumas lâminas bastante maleáveis, que não se rasgavam e, ao serem amassadas, voltavam à forma original sem nenhum arranhão.


William “Mac” Brazel


O fazendeiro guardou alguns destroços em seu celeiro e só se dirigiu ao xerife no dia 05, pois no dia anterior havia sido feriado da independência americana.

O que se sucedeu depois disso até hoje causa fascinação, espanto, dúvida, descrença e curiosidade.

Após noticiar a queda de um disco voador, a imprensa foi obrigada a mudar a manchete, afirmando que se tratava de um balão metereológico.


Nessa história, se destaca o major Jesse Marcel, o primeiro militar a encontrar os destroços e levá-los para seu quartel. Porém, antes disso, Marcel passou em sua casa e mostrou alguns objetos à sua mulher e seu filho Jesse Marcel Jr (ainda vivo), que na época tinha onze anos. Marcel Jr ainda lembra das lâminas que não se amassavam e de bastões com desenhos que lembravam hieróglifos.


Major Jesse Marcel, 1947


Segundo a revista UFO (www.ufo.com.br), o major foi autorizado a tratar do caso como uma legítima queda de um disco voador.

Marcel, ao levar os destroços para o escritório de seu superior, depositou-os em uma ante-sala e dirigiu-se à sala onde era esperado. Lá, soube que uma ordem vinda de Washington, determinavam que mudassem a versão de queda de ufo para a queda de um balão meteorológico. Surpreso com a ordem, ele ainda teria mais um choque: ao chegar à ante-sala todos os destroços haviam sumido e, no lugar, o tal balão "acidentado". 

A imprensa também estava presente e Marcel foi “convidado” a posar segurando o balão, afirmando que tudo não passara de um mal entendido. Nas fotos, ele parece sorrir, mas, não consegue disfarçar seu espanto. 

Hoje, passados mais de sessenta anos, especialistas conseguiram analisar as fotos em alta definição e identificaram algumas palavras do memorando que o General Ramey (superior de Marcel) segurava, onde há menção de queda de objeto voador não identificado, e não de balão meteorológico.

A história do Caso Roswell apresenta dezenas de personagens que durante décadas tiveram medo de testemunhar o que viram e presenciaram. Houveram pessoas (um grupo de estudantes de arqueologia e outros civis) que afirmaram ter visto pequenos corpos no local do acidente; um agente funerário dizia ter recebido a encomenda de vários caixões infantis e que foi perguntado sobre qual a melhor forma de conservar corpos queimados; uma enfermeira (amiga desse agente) que, após comentar sobre o que viu no hospital, foi enviada para outro país e, depois, dada como morta... Enfim, são muitos casos e muitas teorias contra e a favor do que realmente aconteceu. Ainda iram "enfeitar" a teoria do balão, criando um projeto chamado Mogul.

Há alguns anos, militares na reserva que, com a idade bem avançada, resolveram contar o que testemunharam. 

É o caso do Coronel Philip J. Corso (1915 - 1998), que em 1997, durante os 50 anos do acontecido, lançou o livro The Day After Roswell (O Dia Após Roswell), onde faz importantes revelações, como afirmando ter visto os corpos dos seres acidentados.

O Caso Roswell já inspirou livros, filmes, séries e é uma atração turística para a cidade, no deserto de Nevada.

Eu trago três vídeos que considero importante para ter alguma noção sobre o caso. Independente de acreditar ou não, é uma fonte de informação sobre um dos mais intrigantes casos da ufologia mundial.

No final, fotos da histórica missão de acobertamento, onde o exército apresentou à imprensa o balão meteorológico. 

Para saber mais, sugiro a leitura em sites como o da revista UFO (www.ufo.com.br), onde há detalhes.


Por ocasião da data em 2013, o Google apresentou o seguinte doodle:







Músicas sobre Disco Voador


DISCO VOADOR
Choro de Abelardo Barbosa (Chacrinha) e José Gonçalves
Gravado por Zé Gonzaga
Acompanhamento de Regional
Disco Odeon 13.041-A, matriz 8709
Gravado em 15 de junho de 1950 e lançado em setembro de 1950




DISCO VOADOR
Moda Campeira de Diogo Mulero (Palmeira)
Gravada por Palmeira e Biá
Acompanhamento de Conjunto
Disco RCA Victor 80-1427-A, matriz BE5-VB-0661
Gravado em 15 de fevereiro de 1955 e lançado em abril de 1955




DISCO VOADOR
Marcha de Hervé Cordovil
Gravada por Carmélia Alves
Acompanhamento de Severino Araújo e Sua Orquestra Tabajara
Disco Continental 17.062-B, matriz C-3528
Gravado em 1954 e lançado em janeiro de 1955




Filme e Documentários






O Caso Roswell (1994) 
 Filme de Jeremy Kagan, estrelado por Kyle MacLachlan (como o major Jesse Marcel) e Martin Sheen.







O Caso Roswell
Documentário produzido pelo Discovery Channel







Arquivos Extraterrestres - O Dia Seguinte a Roswell 
Documentário produzido pelo History Channel






Fotos da apresentação do balão meteorológico à imprensa, desmentindo a versão de disco voador


Major Jesse Marcel.
http://pre.docdat.com


Major Jesse Marcel.
http://battleofearth.files.wordpress.com


General Ramey, à esquerda.
http://paradigmunhinged.com


Desenhos de Jesse Marcel Jr., feitos em 1989 e em data mais recente




http://www.ufomystic.com


O coronel e médico Jesse Marcel Jr,
uma das últimas testemunhas oculares vivas do Caso Roswell.









Agradecimento ao Arquivo Nirez pelas gravações
















Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...