quinta-feira, 16 de julho de 2020

ELIZETH CARDOSO - O CENTENÁRIO DA DIVINA

ELIZETH CARDOSO
O Cruzeiro, 1958
http://memoria.bn.br/



Há 100 anos nascia a cantora ELIZETH CARDOSO, A Divina.


Elizeth Cardoso Valdez nasceu no Rio de Janeiro, na Rua Ceará, nº 05, na Estação de São Francisco Xavier, que fica próximo ao morro de Mangueira. Era filha de Jaime Moreira Cardoso, seresteiro e tocador de violão, e de Maria José Pilar, que gostava de cantar. Seu tio, Pedro, frequentava as sociedades dançantes da época e as rodas de samba, como as da casa de Tia Ciata, onde a pequena Elizeth também frequentava.


Aos cinco anos de idade, Elizeth subiu ao palco da célebre Sociedade Familiar Dançante Kananga do Japão, na Praça Onze, e cantou a marcha de José Francisco de Freitas, Zizinha, sendo acompanhada pelo pianista da casa, Torjeiro. Sobrinha do presidente da Kananga, Juca, Elizeth ainda venceu um concurso infantil de Charleston.

Aos dez anos de idade, passou a trabalhar em vários empregos para ajudar a família. Em uma festa familiar, onde compareceram Pixinguinha, Dilermando Reis e o jovem de 18 anos, Jacob Bittencourt (futuro Jacob do Bandolim), sua tia Ivone falou para Jacob: Olha aí, Jacob, a minha sobrinha aí, a Elizeth, sabe cantar algumas coisas. Que tal vocês ouvirem e organizarem um acompanhamento para ela?”. Mesmo sem graça, Elizeth cantou e encantou a todos com sua voz. Ela recebeu um convite de Jacob para um teste na Rádio Guanabara, que seria um trampolim para sua carreira, participando do Programa Suburbano, ao lado de grandes nomes, como Aracy de Almeida, Vicente Celestino, Moreira da Silva, Noel Rosa e Marília Baptista.

Aprovada, na semana seguinte foi contratada pela rádio para atuar no mesmo Programa Suburbano, ganhando 10 mil réis por semana, sendo acompanhada pelo próprio Jacob do Bandolim, de quem foi amiga por mais de sessenta anos.


Carioca, 1937
Arquivo Nirez

Depois, atuou na Rádio Educadora, cantando no programa Samba e Outras Coisas, que era apresentado pelos irmãos Marília e Henrique Baptista. Após a Rádio Educadora, foi para a Rádio Transmissora, onde participou do programa Rádio Novidades. Nesse programa, cantou pela primeira vez com uma orquestra, a do maestro Fon Fon. Seguiu para a Rádio Mayrink Veiga, atuando ao lado do jovem Dorival Caymmi.

Em 1939, Elizeth Cardoso passou a fazer shows em circos, clubes e cinemas. Nessa época, ao lado de Grande Otelo, criou um quadro que foi sucesso por mais de dez anos, Boneca de Piche, inspirado na composição de Ary Barroso e Luiz Iglézias.

Sendo um talento como cantora e passista, foi convidada para atuar na Companhia de Teatro de Pedro Gonçalves e De Chocolat. Nessa companhia, conheceu Ari Valdez (Tatuzinho) com quem se casou. Porém, o casamento não durou muito, mas dessa união nasceu o único filho de Elizeth Cardoso, Paulo César Valdez.

Separada do esposo, foi trabalhar como taxi-girl, no famoso Dancing Avenida. Mas, afastou-se por causa da gravidez.

Após um período de dificuldades financeiras, aceitou um convite de Grande Otelo para atuar no Circo Olimecha. Em 1945, Elizeth estava em São Paulo trabalhando no Salão Verde do Edifício Martinelli e no programa Pescando Humoristas, da Rádio Cruzeiro do Sul. Voltou ao Rio de Janeiro em 1946, trabalhando como crooner da Orquestra de Dedé, no Dancing Avenida.

Elizeth Cardoso gravou seu primeiro disco por intermédio de Ataulfo Alves, em 1949, pela Star. O disco trazia os sambas Braços Vazios, de Acir Alves e Edgard G. Alves, e Mensageiro da Saudade, de Ataulfo Alves e José Batista, sendo acompanhada pela Orquestra de Acir Alves. O disco seria lançado em 1950.

O segundo disco de Elizeth Cardoso trouxe seu primeiro sucesso, pela gravadora Todamérica. O lado A trazia o samba Complexo, de Wilson Batista e Magno de Oliveira; já o lado B, trazia o samba Canção de Amor, de Elano de Paula e Chocolate, que foi um grande êxito. O sucesso de Canção de Amor, Elizeth Cardoso seria contratada pela Rádio Tupi do Rio de Janeiro.

Gravando vário discos e atuando no rádio, Elizeth Cardoso também atuaria no cinema, em 1953, no filme É Fogo na Roupa, de Watson Macedo, onde canta o samba canção Ingratidão, de Almanir Grego e Rutinaldo, que ela gravaria em disco.





Em 1954, conheceu e participou de homenagens à Carmen Miranda, que visitava o Brasil e que, ao voltar aos EUA, teceria vários elogios à Elizeth Cardoso.

Com uma carreira longa e vitoriosa, Elizeth Cardoso se destacou em vários estilos musicais, seja no Samba ou na Bossa Nova. Um de seus memoráveis shows aconteceu em 1968, ao lado de Jacob do Bandolim e do Zimbo Trio, em um histórico espetáculo no Teatro João Caetano do Rio de Janeiro, com objetivo de levantar fundos para o Museu da Imagem e do Som. O show foi idealizado pelo Conselho Superior de Música Popular, criado na gestão de Ricardo Cravo Albin. A direção ficou a cargo de Hemínio Bello de Carvalho.

Conhecida como Divina, Elizeth Cardoso cantou para gerações até o fim de sua vida, no Rio de Janeiro em 07 de maio de 1990. Assim como aos cinco anos de idade, na Kananga do Japão, ela encantou a todos até o fechar das cortinas.


ELIZETH CARDOSO
O Crizeiro, 1958
http://memoria.bn.br/


Trago algumas gravações de Elizeth Cardoso em seu início de carreira, incluindo seus primeiros registros em disco e o seu primeiro sucesso.



BRAÇOS VAZIOS
Samba de Acir Alves e Edgard G. Alves
Gravado por Elizeth Cardoso
Acompanhamento da Orquestra de Acir Alves
Disco Star 202-A, matriz 202 A
Gravado em 1949 e lançado em 1950



MENSAGEIRO DA SAUDADE
Samba de Ataulfo Alves e José Batista
Gravado por Elizeth Cardoso
Acompanhamento da Orquestra de Acir Alves
Disco Star 202-B, matriz 202 B
Gravado em 1949 e lançado em 1950



COMPLEXO

Samba de Wilson Batista e Magno de Oliveira
Gravado por Elizeth Cardoso
Acompanhamento de Orquestra
Disco Todamérica TA-5.010-A, matriz TA-19
Gravado em 27 de julho de 1950 e lançado em outubro de 1950



CANÇÃO DE AMOR
Samba de Elano de Paula e Chocolate
Gravado por Elizeth Cardoso
Acompanhamento de Orquestra
Disco Todamérica TA-5.010-B, matriz TA-20
Gravado em 27 de julho de 1950 e lançado em outubro de 1950


VEM PARA OS BRAÇOS MEUS
Samba de Arlindo Marques, Sátiro de Melo e Roberto Roberti
Gravado por Elizeth Cardoso
Acompanhamento de Regional e Ritmo
Disco Todamérica TA-5.021-A, matriz TA-41
Gravado em 26 de setembro de 1950, lançado em novembro de 1950



A MENTIRA ACABA
Samba de Rui de Almeida e Arnô Provenzano
Gravado por Elizeth Cardoso
Acompanhamento de Regional e Ritmo
Disco Todamérica TA-5.021-B, matriz TA-42
Gravado em 26 de setembro de 1950, lançado em novembro de 1950



DÁ-ME TUAS MÃOS
Samba de Erasmo Silva e Jorge de Castro
Gravado por Elizeth Cardoso
Acompanhamento de Cópia e Sua Orquestra
Disco Todamérica TA-5.052-A, matriz TA-109
Gravado em 15 de março de 1951 e lançado em abril de 1951



O AMOR É UMA CANÇÃO
Samba de José Maria de Abreu e Jair Amorim
Gravado por Elizeth Cardoso
Acompanhamento de Cópia e Sua Orquestra
Disco Todamérica TA-5.052-B, matriz TA-110
Gravado em 15 de março de 1951 e lançado em abril de 1951



INGRATIDÃO
Samba de Almanir Greco e Rutinaldo Silva
Gravado por Elizeth Cardoso
Acompanhamento de Orquestra
Disco Todamérica TA-5.243-A, matriz TA-394-1
Gravado em 09 de outubro de 1952 e lançado em novembro de 1952



ALGUÉM COMO TU
Samba de José Maria de Abreu e Jair Amorim
Gravado por Elizeth Cardoso
Acompanhamento de Orquestra
Disco Todamérica TA-5.290-A, matriz TA-425-1
Gravado em 19 de março de 1953 e lançado em maio



GRAÇAS A DEUS
Samba de Ivan Paulo da Silva (Carioca)
Gravado por Elizeth Cardoso
Acompanhamento de Orquestra
Disco Todamérica TA-5.324-B, matriz TA-470-1
Gravado em 21 de maio de 1953 e lançado em agosto de 1953



BRIGAS DE AMOR
Samba de Antônio Almeida
Gravado por Elizeth Cardoso
Acompanhamento de Orquestra
Disco Todamérica TA-5.473-A, matriz TA-717
Gravado em 12 de agosto de 1954 e lançado em outubro de 1954



VIDA VAZIA
Samba de Mário Lago e Chocolate
Gravado por Elizeth Cardoso
Acompanhamento de Orquestra
Disco Todamérica TA-5.473-B, matriz TA-716
Gravado em 12 de agosto de 1954 e lançado em outubro de 1954



SERESTEIRO
Samba de Renato Lima, Tufic Lauar e Zé Kéti
Gravado por Elizeth Cardoso
Acompanhamento de Orquestra
Disco Todamérica TA-5.495-A, matriz TA-733
Gravado em 09 de novembro de 1954 e lançado em novembro de 1954



PALHAÇO
Marcha de Jota Jr. e Vera Silva
Gravada por Elizeth Cardoso
Acompanhamento de Orquestra
Disco Todamérica TA-5.495-B, matriz TA-734
Gravado em 09 de novembro de 1954 e lançado em novembro de 1954



SUBÚRBIO
Samba de Luís Antônio
Gravado por Elizeth Cardoso
Acompanhamento de Orquestra
Disco Todamérica TA-5.568-A, matriz TA-851
Gravado em 30 de junho de 1955 e lançado em setembro de 1955



AMOR OCULTO
Samba Canção de José Saleme e Lucas Vieira
Gravado por Elizeth Cardoso
Acompanhamento de Orquestra
Disco Copacabana 5.616-A, matriz M-1597
Lançado em 1956



VELHAS MEMÓRIAS
Samba Canção de Lombardi Filho e Pedro Rogério
Gravado por Elizeth Cardoso
Acompanhamento de Orquestra
Disco Copacabana 5.616-B, matriz M-1598
Lançado em 1956



CHOVE LÁ FORA
Valsa de Tito madi
Gravada por Elizeth Cardoso
Acompanhamento de Orquestra
Disco Copacabana 5.821-A, matriz M-2002
Lançado em setembro de 1957



NUNCA É TARDE
Samba Canção de João Pinto
Gravado por Elizeth Cardoso
Acompanhamento de Orquestra
Disco Copacabana 5.821-B, matriz M-1994
Lançado em setembro de 1957



NA CADÊNCIA DO SAMBA
Samba de Luíz Bandeira
Gravado por Elizeth Cardoso
Acompanhamento de Orquestra
Disco Copacabana 6.017-A, matriz M-2435
Lançado em 1959



MULATA ASSANHADA
Samba de Ataulfo Alves
Gravado por Elizeth Cardoso
Acompanhamento de Moacir Silva e Seu Conjunto
Disco Copacabana 6.148, matriz M-2734
Lançado em 1960














Agradecimento ao Arquivo Nirez









Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...